Quais os fatores que contribuem para a empregabilidade no Brasil?

Tem algo mais legal do que conseguir um emprego na área que você gosta? Entenda como aumentar suas chances de empregabilidade aqui!

Autor: Rogério Ramalho

Não pode ler esse artigo agora? Ouça a matéria no Player abaixo:

Tem algo mais bacana do que conseguir um emprego na área que você gosta? Pois é! E o que faz disso uma conquista importante é a forma de se preparar para o mercado de trabalho.

Afinal, não basta ficar de olho na empregabilidade, é preciso considerar uma série de fatores para que você consiga, de fato, executar todas as tarefas que serão exigidas.

Por isso, o primeiro passo é analisar exatamente quais são as suas habilidades. Depois, escolher a faculdade é fundamental para que sua bagagem intelectual e prática seja potencializada.

Mas, ao mesmo tempo, é bom entender como funciona o mercado de trabalho no Brasil e no mundo, caso você queira apostar ainda mais alto e ter uma experiência fora.

Pensando em ajudá-la (a) com todas as informações necessárias para entender 100% o que contribui para a empregabilidade, fizemos o material abaixo. Confira e tire suas dúvidas!

1. O que é empregabilidade?

Logo no comecinho deste artigo falamos de empregabilidade. Você sabe o que isso significa? Vamos lá: com a modernização de várias estruturas dentro das empresas e o maior acesso ao ensino superior nos dias se hoje, a concorrência entre profissionais aumentou consideravelmente, não é mesmo?

Por isso, as organizações se viram em meio a processos seletivos com muitas pessoas em busca da mesma vaga e, para não errarem na contratação de colaboradores fora do perfil, a empregabilidade começou a ser aplicada.

Isso quer dizer que a empregabilidade consiste nos atributos e qualidades que as empresas buscam nos profissionais.

Para ficar ainda mais claro, a empregabilidade tem como condições que você seja contratável em qualquer tipo de negócio ou até mesmo modelos de trabalho, tendo em vista as transformações ao logo da vida profissional, que é normal e natural dentro de qualquer carreira.

Tudo isso para dizer que a empregabilidade pode ser encarada como um conjunto de características que sustentam a sua capacidade de produzir e executar um serviço.

2. Seis fatores que influenciam a empregabilidade

Como você viu no conceito de empregabilidade, é preciso considerar alguns fatores que ajudam na busca por uma oportunidade no mercado de trabalho.

Esses quesitos são essenciais para conseguir alcançar o sucesso que tanto deseja, principalmente se ainda estiver no comecinho da sua carreira, como no início da graduação.

Lembre-se sempre de que, para encontrar um emprego, é preciso, antes de tudo, motivação profissional — algo que realmente vai contar bastante até em momentos mais difíceis.

Então, para que você esteja preparado e seja realmente aquilo que as empresas estão procurando, nada melhor do que ter o perfil ideal. Considere também os seguintes fatores:

2.1 Alinhamento profissional

Já pensou ter todo um futuro pela frente que nem ao menos é algo em que você se vê feliz concretizando? A dica é investir no que gosta, no que tem afinidade!

Afinal, uma carreira baseada em momentos que não trazem qualquer satisfação é fadada ao fracasso, então, fuja disso e pense em você.

Vale dizer ainda que, quando se faz o que gosta, é preciso também ter um ótimo profissionalismo, ou seja, ser muito competente para encarar todos os desafios e trazer sempre ideias novas e soluções diferentes.

Indo além, seu sucesso depende apenas de você e da forma como está contente na área em que escolheu trabalhar.

Mas, e se você escolheu algo e depois percebeu que não era exatamente como imaginava? Não tem problema, é hora de rever seus conceitos, refletir outras possibilidades e não perder tempo. O erro será grande se você persistir em uma profissão que não traz realizações.

2.2 Autoestima

De que adianta começar um ótimo trabalho se você não se sente capaz de executá-lo no dia a dia? Além de ser muito ruim esse sentimento, isso pode atrapalhar seu desempenho e seu chefe pode perceber que você não acredita em si mesmo.

Portanto, aqui a dica é ter a percepção de quem você é, o valor que tem (tanto para empresa como para você mesmo) e o que é capaz de fazer.

Quando conseguir responder a esses questionamentos com total clareza, você perceberá o grande potencial que tem em mãos e estava deixando de lado por conta de receios desnecessários.

E quando encontrar desafios, encare-os sempre de forma positiva. Não se esqueça de que você ainda pode influenciar seus colegas de trabalho com a energia certa e, ao final, pode conseguir pontos extras com a chefia pela capacidade de incentivar sua equipe. Pense nisso!

2.3 Desenvolvimento de competências

Ao terminar a faculdade, não pense que acabaram os estudos. Muito pelo contrário, agora que é hora de dar continuidade e jamais parar de aprender.

Isso garante que você sempre esteja atualizado e de olho em tudo o que acontece de novo no mercado de trabalho. Muitas vezes, é essa percepção mais apurada e afiada que faz de você um diferencial para as empresas!

Então, leia bastante, estude, esteja sempre preparado, procure se desenvolver com frequência, além de cuidar das suas habilidades — tanto físicas como mentais —, e dê atenção ao equilíbrio entre vida pessoal e profissional para que nunca um sobrecarregue o outro.

Por fim, foque nas suas competências técnicas, mas também nas comportamentais, ok?

2.4 Planejamento de carreira

Outro fator de empregabilidade muito procurado pelas empresas tem a ver com a sua meta profissional.

Ou seja, se você tem um plano de carreira que pretende seguir, fará de tudo para alcançá-lo. Por isso, saiba sempre para onde quer ir, tenha objetivos claros para a profissão e seja firme com seus compromissos.

Não se esqueça também de investir em você, ou seja, sabe aquele curso livre de jogos digitais que você quer tanto fazer? Programe-se e faça! E aquele curso de inglês que é tão necessário para você trabalhar? Também se planeje e faça.

Encare cada um desses gastos a mais como investimentos importantes para uma carreira de sucesso e valorização profissional.

2.5 Comportamento ético

Que tal potencializar a sua empregabilidade ainda mais atuando corretamente na sua profissão? Além de ser algo que já é esperado por qualquer empresa, ser ético no campo pessoal e profissional faz de você uma pessoa confiável e comprometida.

Vale a pena conferir as políticas da empresa para estar alinhado com as expectativas dos gestores.

Para ajudar nesse sentido, basta fazer algumas perguntas a si mesmo, como: “minha atitude segue as leis e códigos de conduta?”, “minhas atitudes são aceitas pela sociedade?”, “posso ter a consciência tranquila?”.

Se você responder “sim” para cada um desses questionamentos, seu comportamento é ético como deve ser.

2.6 Marketing pessoal

Agora, um fator que contribui bastante para uma empregabilidade em alta é o seu marketing pessoal.

É importante ressaltar que você precisa cuidar com zelo dos relacionamentos profissionais, focando sempre em uma boa visibilidade para suas competências e habilidades.

Saber vender o próprio trabalho tem muito de marketing envolvido, sabia?

Portanto, ser comunicativo, trocar informações com pessoas da mesma área, e se fazer presente em eventos do meio podem ajudar bastante sua carreira a decolar — sem contar nas oportunidades que podem surgir vindas desses contatos.

3. Seis dicas para aumentar sua empregabilidade

Depois de entender melhor quais são os fatores que influenciam diretamente na sua empregabilidade, é bacana ter em mente o que é preciso para aumentar as chances no mercado de trabalho.

Como a empregabilidade é algo que deve ser trabalhada sempre, você pode melhorar o tempo todo algumas habilidades e ser um potencial funcionário.
Vale considerar algumas atitudes vistas como exemplares, como:

3.1 Tenha liderança

Um profissional com senso de liderança forte é capaz de fazer verdadeiras mudanças dentro de qualquer tipo de empresa.

Aliás, muitas companhias buscam por colaboradores que queiram desempenhar esse papel, já que nem sempre é fácil de executá-lo. Por isso, procure sempre se mostrar à frente, com ideias interessantes e entusiasmo perceptível.

Mas, como demonstrar isso em uma entrevista de emprego, por exemplo?

Durante a conversa com o recrutador, você pode perguntar como funciona a hierarquia dentro da organização e se colocar à disposição para ajudar no que for necessário.

Reforce que gosta de compartilhar experiências e que ajudar a equipe é um de seus maiores objetivos. Isso será ponto positivo!

3.2 Seja criativo

Com a modernização das formas de trabalho e as novas tecnologias presente nas empresas, é preciso uma dose a mais de criatividade para se destacar.

Não basta só saber usar e criar softwares, por exemplo; também é necessário que sua criatividade seja ilimitada e que você vá em busca de soluções inovadoras sempre que possível.

Essa característica é, inclusive, muito questionada em entrevistas de emprego.

Alguns recrutadores fazem questão de saber se você se considera um profissional criativo; se esse não for o seu caso, talvez tenha chegado a hora de expandir seus horizontes e treinar um pouco mais esse papel.

3.3 Empreenda

Sim! Um profissional com alma de empreendedor geralmente consegue alcançar resultados inéditos e que fazem toda a diferença. Isso porque empreender não tem a ver somente com quem abre um negócio, mas sim com a vontade de fazer com que algo dê certo.

Um colaborador com esse perfil tende a lutar por bons resultados e engajar a equipe.

Para empreender, é preciso que você esteja de olhos bem atentos a todas as oportunidades que surgirem na empresa — o que significa aceitar desafios, desenvolver ideias incríveis e ser diferente ao pensar em caminhos alternativos para um projeto.

Por fim, dê um passo à frente e proponha ações bacanas que visam ao crescimento da companhia.

3.4 Seja um agente de mudanças

Andando lado a lado com a última dica do tópico anterior, se você realmente quiser dar uma guinada na sua empregabilidade é bom pensar em atuar como um agente de mudanças. Como assim?

Imagine que, dentro das organizações, há sempre algo surgindo ou em curso, esperando para dar certo e contando com profissionais capazes de alcançar bons resultados.

Porém, nem sempre isso acontece. E é nessa hora que mudanças são sempre bem-vindas, ainda mais se forem estimuladas pela própria equipe!

Seja esse profissional que une todos em prol de uma causa e que, além do próprio trabalho, procura incentivar os colegas a fazerem diferente e a lutarem por mudanças benéficas para a empresa.

3.5 Mantenha-se firme

Qualquer pessoa passa por períodos mais difíceis no emprego, não é mesmo? Seja por conta de clientes que estão insatisfeitos, seja por algo internamente que não vai bem.

Nesses momentos, é preciso ser firme e manter a resistência à frustração, afinal, se isso acontecer, dificilmente você conseguirá trabalhar pensando com otimismo.

Uma boa dica para treinar o desgaste com frustrações é tentar enxergar os problemas sempre como algo passageiro. Se o que você estiver procurando não der certo, faz parte!

É hora de tentar uma outra estratégia e seguir em frente. O que não pode é se deixar abater e influenciar diretamente na sua empregabilidade.

3.6 Trabalhe em equipe

Essa dica é, sem dúvida, importantíssima para o seu desenvolvimento profissional.

Não importa se a empresa em que você trabalha é pequena ou grande, provavelmente haverá equipes que atuam em conjunto para que a companhia esteja sempre em crescimento e rendendo bons frutos. Faça parte desse cenário e crie laços profissionais saudáveis.

Isso engloba participar ativamente em reuniões, ajudar colegas que estejam com dificuldades, formar parcerias para que o trabalho flua mais rápido, estreitar relacionamento com outras áreas da empresa, realizar projetos que sejam interessantes para todos e por aí vai.

O trabalho em equipe só funciona se todos estiverem em sintonia.

4. Por que buscar uma formação ajuda na sua empregabilidade?

Você sabia que alguns dos benefícios da graduação estão diretamente ligados a chances maiores de empregabilidade? Essa ideia reforça o quão importante é apostar em um curso superior, que começa pela escolha de qual faculdade cursar.

Se o que interessa a você é a área de tecnologia, por exemplo, há uma gama de cursos interessantes para ingressar.

Não só isso, a formação é uma importante aliada na forma como você se portará para o mercado de trabalho, assim como o que é preciso para atender a todas as demandas e expectativas dos futuros empregadores.

Fazer uma graduação é o começo do seu futuro, que depois deverá também passar pela pós-graduação ou MBA e seguir aprendendo. Quer mais bons motivos para apostar nisso? Olha só:

4.1 Desenvolver novas habilidades

Quando se decide fazer uma graduação, um mundo inteiro de oportunidades começa a surgir para você. Dentro dele, suas habilidades estão em formação contínua, sendo moldadas para deixá-lo com o potencial necessário para atuar com grandeza na profissão.

Esse ponto é fundamental para que sua empregabilidade seja boa e atrativa para as empresas em geral.

E quem melhor que uma faculdade para ajudar você no desenvolvimento dessas habilidades?

Às vezes, você pode pensar que já tem tudo no controle, mas, com aulas e professores experientes e atuantes no mercado, suas ferramentas de trabalho serão muito melhores e aprimoradas com o passar do tempo. Ou seja: você só tende a ganhar!

4.2 Aumentar seu network

Com uma sala cheia de alunos que um dia serão profissionais como você, imagine que é aí que começa uma excelente oportunidade de fazer network.

Sem contar com os professores e coordenadores, todas essas pessoas poderão ter um papel decisivo na sua vida profissional. Quanto mais potenciais parceiros de trabalho você tiver, melhor.

Quer uma dica prática? Logo nos primeiros meses de aula, experimente trocar algumas ideias e informações com seus professores.

Pergunte como anda o mercado de trabalho, o que eles podem aconselhar, onde é mais fácil encontrar emprego ou estágio etc. Aproveite o momento e também se coloque à disposição caso eles saibam de alguma oportunidade.

4.3 Possibilitar horas de treino

Se tem outro detalhe muito bom do que a faculdade pode fazer por você, isso se chama treino. Para quem escolher a área de tecnologia, por exemplo, é essencial colocar em prática tudo o que se aprende nas aulas teóricas.

Afinal, como você saberá se está fazendo certo se nunca tiver a chance de tentar criar um software ou melhorar uma rede de computadores?

Seja aquele aluno que nunca falta ou tenta ao máximo estar presente em todas as aulas. Pesquise bastante, tire todas as suas dúvidas com o professor, traga ideias de casa e veja se tem como usar o laboratório da faculdade para treinar esses projetos.

Forme um grupo para trocar informações sobre tecnologias, soluções, novidades e tantos outros assuntos.

5. Como a reforma trabalhista impacta na empregabilidade?

Você deve ter acompanhado que, em 2017, o governo brasileiro focou bastante em algumas reformas em diversos segmentos. Uma delas foi a reforma trabalhista.

É importante entender bem e refletir sobre esse cenário, já que ele promoveu mudanças sérias em todos os setores do trabalho e, com isso, alguns profissionais ficaram com dúvidas e receios.

Conheça alguns pontos desta reforma e reflita sobre eles:

  • home office: muitos brasileiros já trabalham de casa há um certo tempo e, com a crise principalmente, isso ganhou força. O home office nada mais é do que executar algumas funções fora do ambiente de trabalho, mas com o mesmo compromisso da empresa.Antes, isso não era previsto pela legislação. Agora, todas as empresas contam com segurança jurídica para fechar contratos desse tipo;
  • jornada de trabalho: isso foi um dos quesitos que mais mudaram com a reforma trabalhista. Com a nova ação, é permitido trabalhar até 12 horas, tendo um descanso de 36 horas. E o intervalo para o almoço pode ser de apenas meia hora;
  • trabalho intermitente: Agora, as empresas podem contratar trabalhadores para jornadas definidas de trabalho, ou seja, específicas. Como condição, o profissional tem que ser chamado com três dias de antecedência e o pagamento é proporcional ao dia trabalhado.

Além desses pontos em destaque, mais 100 outros também foram revisados e exigem uma percepção apurada de todos!

6. Considerações finais

Como você viu no decorrer dos assuntos abordados neste artigo, a empregabilidade no Brasil está passando por mudanças, mas isso não quer dizer que as qualidades e perfis profissionais tenham sido deixados de lado.

Para quem pretende atuar com tecnologia, a dica principal é nunca ficar para trás, ou seja, nunca deixar de aprender, de se reinventar, atualizar e aperfeiçoar habilidades para o dia a dia do trabalho.

A área é conhecida mundialmente por uma sede incansável de novidades, soluções inovadoras e muito dinamismo. Portanto, você precisa estar dentro dessas expectativas.

E para quem está começando agora na jornada do mercado de trabalho, diferenciar-se de outros profissionais é quesito chave para sair à frente e achar um bom emprego.

Investir e apostar em você mesmo deve fazer parte das suas prioridades, bem como fazer contatos com profissionais do segmento que podem ser um elo importante na busca por oportunidades.

No mais, não se esqueça de que a empregabilidade é essencial nos dias de hoje.

Se depois de ler as dicas que foram ditas aqui você achar que ainda não está preparado, não hesite em correr atrás disso e procure sempre desenvolver seu potencial.

O mercado de trabalho está em busca de pessoas que queiram exercer como ninguém suas tarefas — e serem os melhores!

Gostou do nosso material? Então, aproveite e assine a nossa newsletter para receber sempre em primeira mão conteúdos ricos em informação como esse!Manual do LinkedIn como conseguir boas vagas de emprego

2 Comentários

    Deixe o seu comentário!

    Não perca nenhum post!