Maneiras de estimular a criatividade nos projetos

Independentemente da área, os projetos que buscam a inovação tendem a se destacar, mas como fazer para estimular a criatividade? Veja essas dicas!

Autor: Redação Impacta

Não pode ler esse artigo agora? Ouça a matéria no Player abaixo:

Em um mercado que exige inovação, é esperado que cada vez mais pessoas busquem formas de estimular a criatividade. Afinal, trata-se de uma das principais habilidades buscadas pelas empresas que pretendem se diferenciar e agregar valor aos seus produtos ou serviços.
Exercitar a mente representa o primeiro passo para desenvolver coisas úteis, propor soluções e resolver problemas. Por isso, é uma prática que deve fazer parte da rotina de estudantes e profissionais de diferentes áreas.
Quer saber quais estímulos podem ajudar você a ser uma pessoa mais criativa? Fique de olho em nosso artigo e descubra!

De onde vem a criatividade?

Um ato de inteligência aplicado para inventar ou inovar na arte, na ciência, na educação e em qualquer outro campo do saber. É disso que se trata a criatividade, uma das habilidades interpessoais (soft skills) mais importantes.
Graças a ela podemos não só corrigir erros e aprimorar processos, mas lidar com os desafios diários para aprender a usar dados, ferramentas e outros recursos a nosso favor — de modo a beneficiar um grupo ou toda a sociedade.
A criatividade vem de diversas maneiras. Algumas vezes parece surgir do nada, em outras, é construída a partir de muita curiosidade e experimentos. Independentemente da situação, uma coisa é certa: ela precisa ser estimulada com frequência.
Isso ocorre porque mesmo as ideias mais simples e instantâneas exigem algum tipo de impulso — que pode ser representado por uma mudança na rotina, visualização de uma paisagem específica, aplicação de um método novo, entre outras ações.

Quais são os tipos de criatividade?

Tudo o que conhecemos foi criado de formas distintas porque nenhuma pessoa pensa igual à outra. Em outras palavras, cada pessoa tende a desenvolver suas ideias de maneiras específicas.
Essa diversidade no modo de conceber as coisas pode ser representada por 4 tipos de criatividade. Veja se você consegue identificar aquela que mais representa o seu perfil.

Deliberada e cognitiva

Exige bastante conhecimento e dedicação por parte da pessoa. Isso explica porque quem domina esse tipo de criatividade costuma fazer muitas pesquisas, avaliar hipóteses e executar testes antes de partir para a criação de algo.
Também é comum que esse perfil formule várias combinações a partir dos aprendizados acumulados ao longo do tempo. Com tamanha carga de informações guardadas, fica mais fácil tomar as decisões certas e saber exatamente o caminho a ser percorrido.

Deliberada e emocional

Nesse modelo, a pessoa também sabe muito bem o que está fazendo, mas a parte de estudos e pesquisas é substituída por um mergulho profundo no aspecto emocional. Significa que o modo como se sente e percebe determinadas situações passa a ser relevante na tomada de decisão.
Criativos com esse perfil costumam trabalhar melhor quando estão sozinhos, em um lugar tranquilo e livre de interrupções. São pessoas que valorizam suas experiências pessoais e têm maior interesse na subjetividade, deixando, muitas vezes, os dados e a racionalidade de lado.

Espontânea e cognitiva

Pessoas espontâneas se livram de regras e obrigatoriedades na hora de falar ou agir. Quando unem o aspecto cognitivo a essa característica, significa que não conseguem forçar a mente a trabalhar. Em muitos casos, precisam de um período fora do escritório, sala ou ateliê convencional para pensar e organizar suas ideias.
Geralmente, são criativos que obtêm soluções em momentos de puro ócio, ou seja, quando não estão focados em um problema ou projeto específico. Basta uma alteração na rotina ou no modo de executar as coisas que tudo começa a fazer sentido.

Espontânea e emocional

Os criativos com esse perfil não conseguem trabalhar sob pressão e lidar com prazos. Isso porque, além da espontaneidade, carregam o fator emocional em tudo o que fazem. Não é à toa que precisam de momentos calmos e de lugares inspiradores para obter ideias e manter a produtividade.

Artistas plásticos, músicos e escritores são bons exemplos de profissionais que costumam apresentar perfil espontâneo emocional. Para eles, as experiências pessoais são mais importantes que análises lógicas.

Como estimular a criatividade?

Nosso subconsciente é capaz de processar uma série de informações todos os dias. Isso significa que quanto mais impulsos positivos você receber, mais “materiais” de qualidade terá para produzir coisas boas.
O segredo é não ficar parado e manter a curiosidade aguçada para que simples dados sejam combinados e, aos poucos, transformados em soluções.
Veja práticas que podem ajudar você a alcançar esse objetivo e beneficiar seus projetos.

1. Invista no espaço de trabalho

Sala de aula, home office, ambiente corporativo, não importa. O local de trabalho precisa ser inspirador e agradável para que seu cérebro funcione adequadamente.
Afinal, se o corpo não estiver confortável, dificilmente a mente terá condições de produzir boas ideias. Sabendo disso, capriche na organização e na decoração do ambiente em que você trabalha. Invista em iluminação, em bons móveis e instrumentos de estudo.

2. Faça cursos e treinamentos

Aprender algo novo ou complementar os conhecimentos acumulados é um dos melhores estímulos para a criatividade.
Você pode fazer isso por meio de cursos livres, oficinas, workshops, participação em palestras, discussões em grupo, desenvolvimento de projetos, treinamentos e até trabalhos voluntários. Escolha a alternativa mais viável no momento e atualize-se!

3. Use ferramentas interativas

Aplicativos para diversas finalidades são úteis na rotina de qualquer perfil criativo. Existem versões que contam o tempo necessário para finalizar cada etapa de um projeto, modelos que organizam a agenda de trabalhos e até opções que permitem esboçar ideias.
Sites específicos, como aqueles que reproduzem sons de chuva, do crepitar de uma fogueira ou de um estabelecimento cheio de pessoas, também são exemplos de ferramentas que estimulam o processo criativo. O importante é testar novos recursos e desafiar seu cérebro.

4. Converse com diferentes pessoas

Trocar ideias com colegas de trabalho ou de estudos é uma ótima forma de ter contato com ideias diferentes. Afinal, cada pessoa tem uma opinião sobre determinado assunto e pode contribuir com um novo olhar sobre aquele tema.
Também vale a pena dialogar com pessoas que tenham os mesmos interesses que você, a fim de saber se as propostas que tem para uma solução são realmente inovadoras.

5. Pratique o hábito da leitura

Livros, revistas, blogs e e-books são fontes incríveis de informação e devem ser consumidos sem cautela. Procure materiais com assuntos variados, intercalando entre temas que você gosta e assuntos que ainda são novidade.
Quem sabe você não encontra um conteúdo que atraia a atenção para outra área do conhecimento ou que o ajude a desenvolver habilidades desconhecidas? Não há nada a perder no universo da leitura!

6. Descanse o cérebro

Relaxar entre um trabalho e outro é essencial para o processo criativo. Assim como o corpo, o cérebro precisa de pausas para descansar e recarregar as energias.
Então, durma o suficiente, medite, tire uma soneca após o almoço e tire um tempo para cuidar de você. Você pode reservar alguns períodos para fazer absolutamente nada, permitindo, assim, que novas ideias surjam a todo vapor.
E então, já elegeu uma prática favorita para estimular a criatividade e manter sua mente sempre ativa? Nossa sugestão final é que você inclua o máximo dessas dicas em seu dia a dia para potencializar os resultados e beneficiar diferentes projetos.
Agora, que tal garantir acesso rápido às próximas publicações do blog? Assine a nossa newsletter e receba cada postagem em sua caixa de entrada!

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!