Efeitos visuais e efeitos especiais: tem diferença?

Antigamente restritos ao cinema, os efeitos visuais e efeitos especiais estão cada vez mais em vídeos. Mas você sabe o que faz cada um deles? Confira!(...)

Autor: Redação Impacta

Não pode ler esse artigo agora? Ouça a matéria no Player abaixo:

Você ainda está começando a carreira na área de Design? Então, este é o momento ideal para aprender a distinguir corretamente alguns conceitos mais usados no segmento, como efeitos visuais e efeitos especiais. Eles estão presentes em videoclipes, no cinema, na publicidade e tornam-se cada dia mais sofisticados.
Por falta de conhecimento, a maioria das pessoas confunde facilmente os dois termos. Para quem vê o resultado final de uma produção, a diferença realmente é sutil, mas, tecnicamente falando, cada um dos tipos de efeito têm dinâmicas e funções distintas entre si.
Neste post, vamos direcionar os holofotes sobre o assunto para falarmos dessas distinções e de suas aplicações. Acompanhe e saiba mais!

Efeitos visuais ou efeitos especiais?

Primeiramente, o que existe em comum entre os dois efeitos? Ambos utilizam recursos gráficos para modificar ambientes, criar cenários, reproduzir personagens e uma infinidade de recursos que prendem e enganam os olhos do expectador.
Os efeitos visuais (VFX) são os mais comuns; no entanto, os efeitos especiais (FX) são usados desde os primórdios da TV e do cinema. Então, como saber quando se trata de um ou do outro, afinal?

Efeitos especiais

Eles podem ser separados em duas categorias: ópticos e mecânicos. O primeiro consiste na manipulação de lentes de câmera e da iluminação no momento da captar as imagens para provocar modificações na cena.
Os efeitos mecânicos são o uso de elementos artificiais no cenário: presença de animatronics, maquetes e puppets, ventania, fogo, chuva e até estruturas muito complexas e perigosas, como explosões.
A execução dos efeitos especiais perigosos sempre envolve a equipe responsável e apenas um grupo de pessoas estritamente necessárias para isso. As normas de segurança são fundamentais e precisam ser adotadas e rigorosamente aplicadas a fim de evitar acidentes.

Efeitos visuais

Os efeitos visuais (VFX) se transformaram no principal suporte do cinema atual. São formados por um conjunto de processos aplicados às imagens filmadas por meio da manipulação digital. A finalidade é integrá-los de forma sutil e homogênea nas cenas cuja gravação seria impossível por diversos motivos, incluindo perigo e orçamento muito alto para produzir tudo com elementos concretos.
O lançamento do filme Star Wars em 1977 turbinou o uso de VFX nas produções cinematográficas. Hoje, é difícil pensar em um filme sem algum tipo de intervenção de efeitos visuais. E, embora a maior parte da execução seja feita na pós-produção, os efeitos visuais são pensados com antecedência, durante a pré-produção e produção.
As duas técnicas geralmente coexistem e funcionam em conjunto — tudo depende das preferências dos diretores. Alguns optam pelos efeitos reais em frente às câmeras, enquanto outros são mais comedidos e, por isso, decidem manter um controle e uma flexibilidade maior para alterar as cenas na fase de pós-produção.

Que ferramentas usar?

O cinema é uma grande fonte de inspiração para designers e, por isso, tudo o que acontece em termos de inovação na telona serve como aprendizado. Para isso, não é necessário virar o mundo tecnológico de pernas para o ar, pois os programas usados nem sempre são ferramentas muito complexas.
Muitas vezes, nos sentimos intimidados com a ideia de manipular um software de edição de imagens e vídeos por acharmos que efeitos tão sensacionais só sairiam de programas impossíveis de serem manuseados por qualquer mortal. Isso não poderia ser mais equivocado.

Com a era digital inovando a cada dia, os softwares estão sofisticados e acessíveis, disponibilizando a chance de aprender a desenvolver projetos memoráveis sem grandes dificuldades. Se esse é o seu caso, fique ligado em algumas ótimas ferramentas que você pode dominar para arrasar nos efeitos.

Nuke

Esse é o mais novo programa de edição filmográfica e de efeitos visuais lançado pela The Foundry. Sua plataforma é muito familiar para quem já usa outros da mesma empresa, portanto, não há riscos de problemas de interação com a interface. Nele, você ainda pode contar com recursos extras, como a produção de um projeto completo em um único aplicativo, o que o diferencia de outros aplicativos de VFX.
O Nuke apresenta mais um diferencial: o centro de controle total do projeto, que permite a atuação de diversos colaboradores no mesmo vídeo. Dispõe de ferramentas para diálogo, troca de informações ou realização de ações conjuntas, como uma rede social inserida no programa.
É possível, ainda, filtrar o vídeo com uma paleta de cores bem diversificada, aplicar efeitos visuais que não afetam a composição dos pixels, renderizar em alta velocidade e editar vídeos compostos.

After Effects

Quer fazer composições gráficas, acabamentos e finalização de vídeos com muita competência? O After Effects é o programa indicado. Com ele, você pode adicionar uma ampla variedade de efeitos visuais envolvendo ícones, gráficos, legendas e ilustrações em movimento. Além disso, ele serve para fazer retoques que suavizam cortes na edição.
Sua linguagem é simplificada se comparada à de outros softwares de VFX, podendo ser facilmente compreendido por produtores de conteúdo digital e designers gráficos. Dentre suas funcionalidades artísticas, existem as animações modelo criadas no próprio After Effects, que podem ser exportadas para o Illustrator e o Photoshop sem prejudicar o arquivo.
As animações podem ganhar ainda mais vida com um refinamento do Adobe Character Criator, que dão movimento a imagens do Illustrator e do Photoshop por meio da programação de reconhecimento facial.
Como se não bastasse, ele ainda tem ferramentas técnicas de correção de imagens com pouca nitidez ou que ficaram tremidas durante a gravação. Pode, também, configurar a captura de imagens com até 999 quadros por segundo, viabilizando a exportação de vídeos originários de iPhone e câmeras GoPro.

Adobe Premiere Pro

Para quem prefere usar programas configurados em português, o Adobe Premiere Pro tem essa vantagem: a ferramenta pode ser instalada inteiramente na língua portuguesa. É um programa profissional muito usado em grandes estúdios.
Na página da Adobe, na sessão de ajuda, é possível encontrar tutoriais que ensinam diversas funcionalidades do software, como edições básicas, efeitos visuais, interface, legendas etc. O material oficial fica disponível em inglês, no entanto, existem canais brasileiros que fornecem muitas dicas sobre o Premiere no YouTube.

Lightworks

Se você precisa de versatilidade com recursos avançados, esta é a ferramenta ideal para você. Ela funciona em Windows, Linux e no sistema IOS. Embora seja avançado, o programa é mais simples que o Adobe Premiere e o Final Cut.
Segundo o fabricante, é o software de edição mais rápido do mercado e, apesar de ter sido usado em grandes produções hollywoodianas, como Pulp Fiction e Lobo de Wall Street, ainda é pouco conhecido fora do circuito cinematográfico.
Agora ficou fácil entender o que são efeitos visuais e efeitos especiais, não é mesmo? Mas, para atuar na área de produção de vídeos, é preciso muito empenho e conhecimento técnico profissional e, por isso, é importante sempre buscar capacitação e aprimorar as habilidades.
Se você é um iniciante na carreira de Design e deseja saber mais sobre a atuação de freelancers na área, não deixe de ler algumas dicas que preparamos especialmente para você!

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!