O que é DevOps e como utilizar?

O modelo DevOps está revolucionando a atuação de times de desenvolvimento e operações. Saiba como funciona e o que é preciso para implementar também.(...)

Autor: Redação Impacta

Não pode ler esse artigo agora? Ouça a matéria no Player abaixo:

Você sente que os processos de produção em TI (Tecnologia da Informação) na sua empresa precisam ser otimizados? Percebe uma lacuna entre cada uma das etapas — desenvolvimento, teste e infraestrutura?
Hoje você vai descobrir como o DevOps pode auxiliar nessas mudanças. Essa metodologia está inovando o mercado da tecnologia e já provou ser a melhor forma de oferecer softwares realmente qualificados e com usabilidade satisfatória.
Se você entende a importância da comunicação entre os processos, veja neste artigo o que o DevOps pode fazer por você!

Afinal, o que é o DevOps?

O DevOps não tem um conceito definitivo. Seu significado ainda é flexível e pode ser definido como filosofias culturais, ferramentas ou práticas que potencializam as condições de uma instituição para distribuir sistemas e serviços em alta velocidade.
Ele otimiza e qualifica produtos de forma mais ágil, o que torna o processo mais rápido do que o das empresas que ainda utilizam métodos tradicionais de desenvolvimento de software e gerenciamento de infraestrutura.
Isso garante que as empresas atendam seus clientes com mais qualidade, garantindo satisfação e sucesso nas negociações.

Como funciona essa metodologia?

Implantando um modelo de DevOps, o time de desenvolvimento e operações não se divide mais como nos métodos tradicionais de trabalho. Antes, cada etapa ficava separada naquelas salas de vidro, batizadas de aquário. Com o DevOps, em alguns casos, essas duas equipes são transformadas em uma só.
Os desenvolvedores assumem um novo compromisso não só na idealização, mas no acompanhamento do aplicativo em todo o seu ciclo — desde o desenvolvimento e testes até a fase de implantação e operações. Assim, eles conseguem aplicar outros aperfeiçoamentos no sistema, tornando a experiência do usuário melhor.

Há também momentos em que equipes de controle se unem ao time de segurança, formando, então, o método DevSecOps. Esses times utilizam métodos de automação de processos que tradicionalmente eram manuais e lentos, sendo capazes de projetar sistemas ágeis e confiáveis por meio de várias ferramentas e tecnologias.

Como aderir ao DevOps?

Por mais simples e prático que seja, o DevOps exige alguns conceitos indispensáveis para sua adesão. São eles: Cultura, Automação, Medição e Compartilhamento (Sharing). Leia a seguir sobre cada um deles.

Cultura

Ao implementar um modelo de DevOps na empresa, o gestor estimula uma cultura colaborativa e com integração entre departamentos. Isso viabiliza um fluxo de produção mais consistente e qualificado.
Tradicionalmente, os processos que geram sistemas tecnológicos são independentes e sem interação uns com os outros. Os prejuízos causados por isso são: lentidão, conflito de comunicação e o surgimento de obstruções que poderiam ser facilmente evitadas com a integração entre as etapas.
Com uma nova cultura, sua empresa se une, projeta e realiza em conjunto. É como se quebrassem todos os obstáculos que antes impediam a colaboratividade da equipe.

Automação

A aplicação de ferramentas de automação desobstrui os processos dos desenvolvedores, possibilitando a entrega de resultados mais qualificados e em larga escala.
Essa ferramenta transforma os procedimentos manuais, massantes e mais sensíveis a falhas em procedimentos automáticos e seguros, uma vez que funcionam a partir de uma programação sistemática, assertiva e menos vulnerável.
O papel da automação é possibilitar que o trabalho dos engenheiros, desde o desenvolvimento ao setor operacional, seja otimizado, tornando a rotina profissional mais simplificada, inovadora e tecnológica.
O melhor é que ela pode ser aplicada em todos os estágios. No desenvolvimento, elas geram os códigos com rapidez e segurança. Na fase de testes, elas identificam com celeridade e qualificadamente todos os bugs para serem consertados. No operacional, a missão é tornar a experiência do usuário mais satisfatória — afinal, é com este setor que o cliente se relaciona diretamente.

Medição

Você pode implementar o DevOps, automatizar processos, viabilizar a comunicação e a integração entre o time, mas nada disso será visível se não houver medição e monitoramento das métricas de resultado. Ao aplicar tais mudanças, observe atentamente os impactos já planejados. Sem isso, será impossível visualizar os efeitos das melhorias aplicadas.
Felizmente, há inúmeras formas e ferramentas de monitoramento das métricas de desempenho. O tempo de uso do seu aplicativo, os resultados e as vendas efetuadas com ações de marketing são alguns exemplos de métricas a serem medidas.
Apesar dessa avaliação parecer um tanto trabalhosa, você pode efetuá-la com base em 5 questionamentos bem simples:

  1. Quanto tempo levou para ir do desenvolvimento à implementação?
  2. Com que frequência erros ou falhas recorrentes acontecem?
  3. Quanto tempo leva a recuperação depois de uma falha do sistema?
  4. Quantas pessoas estão usando seu produto no momento?
  5. Quantos usuários você ganhou/perdeu nesta semana?

Com uma estrutura bem estabelecida, será mais fácil obter métricas sofisticadas e inovadoras quanto a uso de recursos, trajeto do usuário e acordos de nível de serviço (SLAs). Tais informações serão muito úteis quando chegar o momento de mapear o roteiro e especificar sua próxima ação estratégica.
Todos esses levantamentos vão possibilitar um maior índice de assertividade na tomada de decisões. Elas podem ser ainda mais eficientes se forem compartilhadas com outros setores da empresa, como marketing, vendas ou o setor de suporte.

Compartilhamento (Sharing)

Quando você adere ao DevOps, a principal transformação na rotina de produção está na integração entre os setores. O compartilhamento de informações viabiliza um trabalho colaborativo, mais dinâmico e sem obstruções de comunicação.
Desenvolvedores, testers e operadores deixam de assumir funções específicas no processo de criação e se envolvem em todas as etapas. Há um acompanhamento de todos os passos, tornando a otimização de projetos mais produtiva e com menos ruídos.
Os principais impactos da metodologia na rotina colaborativa são: o trato empático entre setores, maior índice de satisfação com a rotina profissional e menos gargalos exaustivos durante o processo.
O DevOps é inovador, desafiador e uma tendência para as futuras corporações de tecnologia. Atualmente, o mercado carece de transformações que otimizem seus processos, sem medo de abandonar o jeito tradicional de fazer as coisas. E isso parte do estímulo a uma nova cultura.
Se você tem interesse em se adequar ao mercado, se destacando nesse segmento, entre em contato com o nosso time de consultores e descubra como os cursos de formação da Impacta Tecnologia podem auxiliar você a ser uma referência profissional.

1 Comentário

    Deixe o seu comentário!

    Não perca nenhum post!