Quais são as soft skills mais importantes para o mercado?

Encarar o mercado de trabalho e começar a jornada rumo à construção da sua carreira é uma tarefa que exige dedicação. Mais do que nunca, é preciso (...)

Autor: Rogério Ramalho

Encarar o mercado de trabalho e começar a jornada rumo à construção da sua carreira é uma tarefa que exige dedicação — principalmente nos dias de hoje, quando há uma enorme quantidade de pessoas que também estão em busca de uma oportunidade.
Mais do que nunca, é preciso se destacar e ficar de olho nas soft skills que os empregadores mais valorizam. É bom ressaltar que essas habilidades são essenciais para garantir a sua empregabilidade, visto que as empresas prezam por atributos e qualidades com potencial nos candidatos a uma vaga de trabalho. Ou seja, é importante estar alinhado a essas necessidades dos empregadores, já que é um dos primeiros passos para o seu próprio sucesso!
Para ajudar você a entender um pouco mais sobre o que são soft skills e como elas estão inseridas nas demandas de mercado, separamos algumas informações importantes. Confira!

1. Afinal, o que são soft skills?

Chamadas também de competências comportamentais, as soft skills são características pessoais que você não só deve, como precisa ter, para trilhar uma carreira bem-sucedida na empresa em que trabalha. Lembre-se de que não há tempo a perder quando se fala em ganhar destaque e figurar entre os profissionais mais admirados e requisitados para uma companhia.
Indo um pouco mais a fundo no conceito, as soft skills geralmente estão ligadas à capacidade de se dar bem com o próximo, ter uma boa interação com os colegas de trabalho e ter muita facilidade de comunicação e desenvoltura para manter conversas e por aí vai. Ou seja, elas realmente são competências que foram desenvolvidas ao longo da vida.
Por isso mesmo, costuma-se dizer que as soft skills não são habilidades fáceis de aprender, já que elas são frutos de experiências pessoais que cada pessoa carrega consigo. Quanto mais vivência você tiver, maiores são as chances de o empregador querer que você faça parte do quadro de profissionais da empresa.
Um exemplo bem claro de como essas competências são bem-vistas é se pensarmos na seguinte situação: cada vez mais é comum um recrutador dar preferência para um candidato extrovertido e curioso do que para um mais tímido, ainda que ele tenha o domínio de uma língua estrangeira. Isso porque um idioma se aprende, enquanto a sociabilidade é algo que leva mais tempo para ser desenvolvido.
Tudo isso reforça a ideia de que é muito mais fácil um profissional desenvolver uma qualidade técnica do que começar apenas agora a melhorar algumas habilidades comportamentais, como a de se relacionar com outros profissionais e ter temperamento aberto no ambiente de trabalho.
Quer uma dica? Se você tiver algumas características das soft skills, a melhor coisa é destacar isso no seu currículo. Aproveite também para falar um pouco sobre isso durante a entrevista com o empregador, enfatizando as competências que tem e mostrando que você é um forte candidato à vaga em aberto — você verá como ganhará pontos a favor!

2. Qual a diferença entre soft skills e hard skills?

Enquanto as soft skills podem ajudar você a crescer cada vez mais dentro da empresa e, ao mesmo tempo, criar e fortalecer seu networking, as hard skills atuam de maneira diferente. Elas são o que chamamos de competências técnicas — aquelas habilidades que podem ser desenvolvidas com a ajuda de cursos e aprendidas em aulas de capacitação.
Para entender de um jeito ainda mais fácil, as hard skills são, por exemplo, o domínio para usar determinadas ferramentas, ter treinamentos corporativos, conhecimentos profissionais em geral e outros.
Fique atento: um profissional que seja completo ou que esteja em busca desse objetivo tenta ao máximo unir todas as suas habilidades, sejam elas hard skills ou soft skills. Se você souber equilibrar essas duas forças, estará sempre entre os melhores candidatos para uma vaga de emprego — o que é excelente, não é mesmo?

3. Quais são as soft skills mais buscadas no mercado de trabalho?

Como você viu até agora, para ser um profissional com chances de crescimento e com oportunidades de trabalho sempre nas melhores posições é preciso ter algumas soft skills. Mas afinal, quais características são essas e quais são as mais procuradas e desejadas pelas empresas? Veja algumas delas a seguir:

3.1. Comunicação

Saber se comunicar é, sem dúvidas, uma das soft skills mais bem-vindas nos tempos atuais. Não basta saber escrever e entender o que foi pedido. É preciso também saber se expressar, trocar ideias, opiniões e ajudar quem está com dificuldade de entender algo, o que é um ponto extremamente positivo.
É bom reforçar que se alguém não consegue passar uma mensagem, isso pode gerar falhas na comunicação, levando a mal-entendidos. Por isso, não se esqueça que saber ouvir e saber falar são duas habilidades muito boas. Quanto mais claro você conseguir ser ao passar uma mensagem, melhor ela será entendida.
No ambiente profissional isso é essencial. Imagine, por exemplo, um gestor que não consegue se expressar e informar sobre as metas que não foram atingidas em determinado período. Isso poderia gerar diversos problemas, certo? Portanto, para informar esses dados, ele precisa ser claro e dizer objetivamente em quais aspectos a equipe deve melhorar. Se ele não conseguir passar essa mensagem, os colaboradores não entenderão e tudo continuará igual.
Não é que você precise ter o dom da oratória, mas se comunicar bem, de uma forma leve e sem rodeios é sim algo fundamental para se destacar entre outros profissionais.

3.2. Colaboração

Andando lado a lado com a comunicação, sobre a qual falamos no tópico anterior, a colaboração é uma das soft skills mais importantes que existem. As duas precisam sempre estar juntas, pois, para que haja colaboração, é preciso que esteja estabelecida uma comunicação, não é mesmo? No ambiente corporativo, isso fica ainda mais evidente quando falamos de equipes e áreas de atuação.
Em uma empresa, é muito comum que os profissionais trabalhem em conjunto para o desenvolvimento de algum produto ou serviço e, até mesmo, no atendimento de clientes e resolução de problemas. Quando se trabalha em equipe, as chances de alcançar um objetivo são muito maiores do que quando se está só.
O melhor desse cenário é: os colaboradores podem ajudar uns aos outros com domínios particulares de cada um. Dessa forma, a colaboração será mais eficaz e complementar, levando a equipe a caminhar sempre para frente e em constante desenvolvimento.

3.3. Relacionamento interpessoal

Em uma empresa normalmente existem áreas que conversam entre si e trabalham em parceria. No entanto, para que a coordenação dos colaboradores seja mantida, é preciso que todos se relacionem bem. Nesse contexto, o relacionamento interpessoal é essencial — ainda mais em áreas como a de vendas e marketing.
Os colaboradores precisam estar realmente conectados e ter uma grande capacidade de entender funções além das suas próprias tarefas, entendendo também as necessidades dos outros colegas de trabalho. Com um bom relacionamento entre as equipes, é muito mais tranquilo atingir bons resultados em todas as áreas.
Isso funciona muito bem quando falamos em metas em comum. Quando uma empresa precisa colocar em prática uma nova estratégia, ela lança uma demanda diferente, que exige o esforço de todas as partes da organização. Se todos caminharem juntos e se as equipes trocarem informações entre elas, há grandes chances de que os objetivos sejam levados ainda mais a sério e, assim, alcançados mais facilmente.

3.4. Equilíbrio emocional

Com a correria do dia a dia, é normal que muitas vezes você tenha que trabalhar sob pressão. Por isso, é importantíssimo conseguir manter o seu equilíbrio emocional, pois momentos intensos poderão ocorrer ao longo da carreira profissional. Isso pode envolver uma série de situações, como prazos apertados, clientes irritados, demissão, reclamações, desentendimentos etc.
O equilíbrio emocional é essencial para que você saiba lidar com feedbacks negativos, frustrações (como uma promoção que acabou não acontecendo), sem contar com as demandas que podem surgir sem terem sido programadas, mas que fazem parte do trabalho e devem ser atendidas. Se você não estiver preparado para encarar obstáculos como esses, poderá ser muito difícil se manter em um emprego.
Não à toa, o equilíbrio emocional está entre uma das soft skills mais procuradas pelos empregadores. Por mais que a empresa seja conhecida por ter uma rotina tranquila e sem atropelos, é extremamente natural que, em alguns períodos do ano, esse cenário mude. Nesse caso, o estresse pode ser uma consequência difícil de lidar, mas é preciso estar preparado e ter autocontrole.

3.5. Flexibilidade

A tecnologia avança cada vez mais e, com ela, surgem novos desafios, novas formas de trabalhar, a necessidade de se reestruturar e se atualizar. O resultado disso é o alto nível de exigências que surgem em forma de demandas tanto dos clientes quanto da própria liderança. Para passar por tudo isso de forma exemplar, é importante saber ser flexível: a versatilidade tem que fazer parte do que você considera primordial na sua vida pessoal e profissional, uma vez que é essencial saber se adaptar a novas situações e pedidos inesperados.
Outro fator sobre o avanço das tecnologias é que ele tem influenciado até a forma como se aprende, principalmente no ambiente corporativo, com as chamadas smart class — você conhece? Nessa nova didática, o foco é a mudança completa da sala de aula tradicional, que passa a ser mais interativa com o uso da internet e, assim, os alunos podem acessar materiais no dia e hora que quiserem. Com esse formato de aula, é possível participar de cursos de aperfeiçoamento totalmente modernos, à distância e que estimulem o seu aprendizado. Para isso, é importante estar aberto a novas maneiras de se aprender.
O que tudo isso quer dizer? Que ser flexível nos dias de hoje é ser receptivo a diversas formas de conhecimento e desenvolvimento de tarefas, seja na sua vida pessoal ou no ambiente de trabalho.

3.6. Criatividade

Antigamente, o que mais importava para uma empresa era que seus colaboradores executassem suas tarefas seguindo um padrão determinado. Entretanto, isso mudou e, atualmente, o que mais é solicitado dentro das organizações é que haja criatividade em tudo o que se faz: de ideias a soluções, passando por problemas e sugestões.
Essa soft skill é analisada desde a entrevista com o recrutador. Você consegue perceber isso claramente quando o profissional questiona como seria a sua forma de enfrentar uma situação difícil e que, aparentemente, não tem solução. É nesse momento que você deve mostrar a sua criatividade e oferecer um caminho alternativo ao empregador, mostrando como poderia resolver a situação com êxito.
Lembre-se que ser criativo não significa que você deve deixar de lado algumas regras ou pular etapas que são consideradas importantes. A criatividade tem tudo a ver com o jeito que você enxerga as situações, como desenvolve as habilidades necessárias para o desenvolvimento de novas técnicas e até mesmo como se comunica com os clientes e parceiros.

3.7. Gestão de tempo

Se tem algo que é muito difícil de organizar em uma rotina atribulada de trabalho, é o tempo. São muitas tarefas para cumprir, projetos que devem ser encaminhados, ideias que precisam sair do papel, afazeres com a equipe da empresa e, além de tudo, os seus compromissos particulares. Com tantas responsabilidades, como não se perder?
Quem tem essa capacidade entre as demais soft skills que já comentamos está um passo à frente de vários candidatos a uma vaga de emprego. Afinal, ainda que você saiba trabalhar sob pressão, seja comunicativo e criativo, é possível que você se atrapalhe e perca prazos, deixe passar detalhes importantes e cometa outras falhas por causa da má administração do tempo.
Por isso, ter controle sobre a gestão do seu tempo é essencial para que todo o seu trabalho seja desenvolvido da melhor maneira possível. Deixar de ter atenção ou fazer as coisas pela metade por falta de tempo já virou uma pedra no sapato de muitos gestores. Com o passar dos dias, se esse tipo de situação continuar, pode ser cabível uma demissão.
A dica é treinar isso na sua rotina — inclusive em casa. Organizar os afazeres do lar pode ajudar mais do que imagina. Planeje seus dias para deixar tudo em ordem e comece a aplicar as mesmas ações no seu lado profissional. Tem uma demanda com prioridade? Faça agora. Depois, enumere tudo o que precisa ser feito e quanto tempo, em média, será consumido em cada tarefa.

3.8. Atitude positiva

Ter atitude positiva pode transformar toda a empresa. Mesmo nos dias em que tudo parece difícil e que você precisa enfrentar vários problemas de uma só vez, ser positivo é uma forma de encarar todas as situações da melhor maneira e ainda ajudar quem está pessimista e desmotivado no trabalho.
Aliás, é importante falar sobre isso também: a desmotivação na carreira profissional. Muitas pessoas passam por momentos em que não há a menor vontade de ir trabalhar e, geralmente, isso está ligado a fatores como acúmulo de tarefas, relacionamento desgastado com outros colaboradores e, mais uma vez, a negatividade que muitas vezes se instala nas empresas.
A dica aqui é tentar ao máximo enxergar o lado positivo de qualquer situação ou problema e, se possível, repassar essa mesma visão para o seu colega. Palavras positivas têm poder e podem contaminar do jeito certo toda a equipe.

3.9. Ética no trabalho

Eis aqui uma das soft skills mais procuradas pelos empregadores. E tudo por uma razão bem simples: quem trabalha com ética costuma seguir prazos, orientações, ouvir atentamente comandos e ainda se sentir à vontade para comentar, dar opiniões e sugerir mudanças. Ser ético no trabalho passa uma imagem incrível da pessoa a qualquer empresa.
Mais do que isso, quem trabalha de forma ética também costuma lidar muito bem com outros profissionais e executar suas tarefas com facilidade e riquezas de detalhes. Como ética é algo que naturalmente vem das experiências pessoais de cada um, a empresa enxerga alguém ético como um profissional que realmente vale a pena ter entre seus colaboradores.

4. Como aperfeiçoar as soft skills?

Agora que você já conhece algumas das soft skills mais procuradas pelo mercado, é hora de tentar entender como aperfeiçoar e melhorar essas habilidades. Lembre-se: para conseguir desenvolver as características que você tem dificuldade, é preciso paciência e dedicação. Assim, você será capaz de melhorar os pontos que precisa e ser um profissional melhor.
A primeira atitude a tomar é passar um tempo refletindo sobre a sua personalidade. Faça uma autocrítica para entender melhor como você se porta no ambiente de trabalho, considerando feedbacks passados, além de sugestões e apontamentos que seus colegas já tenham feito a seu respeito. E tem mais:

4.1. Reconheça seu potencial

Que tal enumerar os seus potenciais mais interessantes e que podem, de fato, contribuir para a empresa em que trabalha? Não se esqueça de que, dentro de uma equipe, sempre tem alguém que se destaca mais, o que geralmente acontece em decorrência do seu potencial e das habilidades que tem para melhorar a organização.
O ideal é que você saiba no que é melhor e procure estimular ainda mais essas características e domínios. Com isso, algumas soft skills serão naturalmente desenvolvidas e notadas por seus gestores e colegas de trabalho, o que pode indicar autoconfiança e capacidade de contribuir para o bem de todos.

4.2. Saiba absorver feedbacks

Os feedbacks servem para que você perceba exatamente em que pontos está indo bem e que pontos precisa melhorar. Quando seu gestor quiser conversar a respeito do seu desempenho, ouça com atenção tudo o que ele disser. Nesse momento, é bom tentar entender o que você pode fazer para oferecer um trabalho excelente e o que a empresa espera do seu profissionalismo.
Uma dica é perguntar ao gestor de que forma ele acredita que você pode contribuir, principalmente nos pontos de melhoria. Com os direcionamentos dele, será muito mais fácil seguir um caminho melhor e trabalhar suas soft skills de um jeito inteligente, que preze sempre pela superação.

4.3. Busque autoconhecimento

O autoconhecimento deveria ser uma análise feita sempre que possível por qualquer pessoa. Isso porque, assim, você consegue se conhecer melhor e saber quais tipos de soft skills ainda não foram despertadas em suas características profissionais. Uma coisa que ajuda bastante nesse processo é o retorno do gestor na hora do feedback.
No entanto, se na sua empresa isso não ocorrer com frequência, a melhor forma de aprimorar suas habilidades é tentando ao máximo enxergar quais são os seus potenciais e suas fraquezas. Outro passo importante é procurar por cursos ou ler bastante sobre temas que você ainda não domina para conseguir aperfeiçoar todas as suas qualidades.

5. O que considerar a partir de agora?

Com todas essas informações em mãos, chegou o momento de colocar em prática tudo o que você aprendeu neste material e correr atrás do que detectou que precisa ser melhorado. Lembre-se: quanto mais soft skills você tiver, mais chances tem de se destacar e conseguir aquela tão sonhada vaga de emprego.
Considere também conversar com pessoas próximas a você, como seus familiares, amigos e colegas da faculdade e do trabalho. Eles podem ser capazes de enxergar características suas que nem você sabia que carregava, o que contribui bastante para uma análise de como o mercado enxergará suas competências e potenciais.
No mais, não hesite em tentar melhorar e surpreender a si e as outras pessoas. Se você já tem um emprego e está sentindo que as coisas não andam muito bem, talvez tenha chegado a hora de se reinventar, mostrar maturidade e reforçar que você é um excelente profissional, deixando claro que está disposto a desenvolver um trabalho de qualidade e com desenvoltura.
Suas soft skills só dependem de você! Saiba como aperfeiçoá-las, desenvolva novas habilidades, melhore seu currículo e deixe que o domínio do que sabe fazer seja visto todos os dias no seu trabalho. Isso contará pontos importantes para toda a sua vida e para promoções futuras. Aposte em você, mas sempre de olho no que pode ser feito de um jeito mais criativo!
Gostou de conhecer as soft skills mais importantes para o mercado? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais e ajude outros profissionais a entender melhor o assunto!

1 Comentário

    Deixe o seu comentário!

    Não perca nenhum post!