Vocação profissional: como definir a carreira de acordo com sua personalidade?

Descobrir a sua verdadeira vocação profissional é o melhor caminho para acertar na escolha de uma carreira, pois leva em conta a sua personalidade. Entenda!(...)

Autor: Maria Cecilia Antunes

Não pode ler esse artigo agora? Ouça a matéria no Player abaixo:

A vocação profissional é algo que vai além do que você gosta de fazer. Na verdade, ela envolve diversas outras coisas e é um dos fatores mais relevantes para se considerar no momento da escolha de uma profissão. Mas, afinal, o que é vocação profissional?
Esse termo é usado para determinar a inclinação natural de uma pessoa a determinada profissão, tendo em vista os seus desejos, as habilidades, o estilo de vida e suas preferências. A vocação também está muito ligada ao propósito da pessoa e ao que ela tem paixão em realizar.
Muitos acreditam que a vocação profissional é um chamado e que basta esperar por ele. Contudo, apesar de derivar do latim “vocare” (chamado) a vocação não é algo pelo qual você senta e espera — é preciso descobrir suas aptidões e desenvolvê-las.
Nesse sentido, a sua personalidade está diretamente ligada à sua vocação, uma vez que algumas áreas são mais recomendadas para determinados tipos de perfis do que outras. Quer saber mais? Então, continue conosco até o final e confira tudo sobre o assunto!

Busque autoconhecimento

Às vezes, gostamos muito da aula de uma matéria na escola e pensamos em seguir uma carreira ligada a ela. No entanto, há uma grande diferença entre o que se aprende na escola e o que se aprende na faculdade.
Talvez você goste muito de química, mas também gosta de se comunicar e falar com todo mundo. Assim, se optar por uma carreira ligada à química, dificilmente exercerá essa sua personalidade mais expansiva.
Por isso, é muito importante refletir sobre os seus desejos e características pessoais. Quanto mais você descobrir sobre si, mais perto estará de escolher a melhor carreira.
É claro que, muitas vezes, é difícil entender sobre o que gostamos ou queremos de verdade. Ainda assim, o autoconhecimento deve ser constantemente trabalhado ao longo da nossa vida.
Para ajudar você com isso, separamos alguns exercícios rápidos para que você possa se conhecer melhor. Vamos tentar?

Reflita sobre seus pontos positivos e negativos

Para esse exercício, você precisa separar duas colunas: uma para qualidades e outra para defeitos. Então, reflita sobre suas características e liste 5 qualidades e 5 defeitos.
A primeira coisa que você deve ter em mente é que você não deve se julgar. Então, não tenha medo de listar seus pontos negativos: todos têm defeitos e é melhor encará-los de frente do que ignorá-los.
Depois de fazer essa lista, pergunte para 5 pessoas próximas (parentes, amigos, professores) qual elas acham que é o seu pior defeito e qual é a sua melhor qualidade. Agora, veja todos os itens que estão no papel e compare a sua lista com o que as pessoas disseram sobre você. Procure entender os pontos em comum e os divergentes.

Faça perguntas sobre você

Indicamos, a seguir, algumas perguntas para que você possa fazer sobre si. Lembre-se de que não existe certo ou errado nesse exercício, ok? Pense com calma e responda da maneira mais honesta possível. Inclusive, aproveite o que descobriu no exercício anterior para ajudar a refletir sobre essas respostas.

  • Qual hábito seu você gostaria de mudar?
  • O que mais gosta em você?
  • Qual é a sua maior paixão?
  • Sobre qual assunto você mais gosta de conversar?
  • Qual é o seu maior medo?
  • Você aprendeu alguma coisa nova no último mês?
  • Como você descreveria os últimos meses da sua vida usando apenas cinco palavras?
  • Quem você considera o seu maior exemplo de vida?
  • Se o mundo acabasse amanhã, o que você faria hoje?

Esses dois exercícios simples já ajudam a entender melhor sobre você. Agora, vamos seguir para entender como a sua personalidade interfere na sua vocação profissional. Confira!

Descubra qual é a sua personalidade vocacional

Antes, muitas pessoas se guiavam a partir da tipologia RIASEC, uma classificação criada pelo pesquisador americano Lewis Holland. Depois de diversos estudos, ele separou as personalidades em seis grandes grupos: realista, investigativo, artístico, social, empreendedor e convencional.
Entretanto, esses 6 grupos poderiam dar origem a mais de 720 tipos diferentes de personalidades. Assim, conforme outros pesquisadores se debruçaram sobre a questão, e com o crescimento do campo da psicologia, esses tipos de personalidades se aperfeiçoaram.
Com isso, o indicador mais popular usado atualmente é o Mayers-Briggs Type Indicator (MBTI). Essa classificação usa quatro tipos de combinações de perfis antagônicos, dentro de um mesmo aspecto. Funciona assim:

  • predileção: Introversão (I) ou Extroversão (E) — o primeiro prefere atividades solitárias, enquanto o segundo tem preferência por atividades em grupo;
  • informação: Intuição (N) ou Sensação (S) — o primeiro é mais criativo, já o segundo, mais “pé no chão”;
  • decisões: Pensante (T) ou Sentimento (F) — o primeiro é mais racional, enquanto o segundo é mais sentimental;
  • estrutura: Julgador (J) ou Percepção (P) — o primeiro é mais decisivo e o segundo lida mais com o improviso.

Essas características se combinam, formando, então, quatro tipos de personalidade — que se subdividem em outras quatro, totalizando 16. Uma dessas possibilidades, por exemplo, é o tipo “Ativista”, ou ENFP, que pertence a uma pessoa de espírito livre, criativo e sociável.
Há, ainda, o tipo “Mediador”, “Defensor”, “Aventureiro”, entre outros, e cada um tem mais afinidade com certos tipos de carreira.
Você já fez alguns exercícios de autoconhecimento? Se tiver curiosidade e interesse, tente agora este teste gratuito para descobrir qual é a sua personalidade e quais áreas têm relação com ela.
A seguir, veja como os tipos de inteligência desenvolvidos por você também podem interferir na sua carreira!

Conheça os diferentes tipos de inteligência

Existe uma teoria criada pelo psicólogo Howard Gardner que reúne 9 tipos de inteligência que podem ser desenvolvidas. Esse princípio justifica porque uma pessoa se destaca em determinada área e em outra, não. Afinal, não existe certo ou errado, mas sim características diferentes que propiciam o desenvolvimento de atividades em diversos segmentos.
No entanto, é importante ressaltar que você pode ter e desenvolver particularidades de mais de uma dessas inteligências. Conseguir identificar qual delas é predominante contribui e muito no momento de decidir qual profissão seguir. Vejamos, a seguir, quais são elas.

Inteligência interpessoal

A capacidade de liderar e influenciar pessoas é um dos pontos mais marcantes de quem tem essa inteligência. As principais características estão ligadas às habilidades de inspirar os outros. Para tanto, ter carisma e empatia é imprescindível, pois somente se colocando no lugar das pessoas é que se consegue motivá-las.

Inteligência intrapessoal

Essa inteligência é a capacidade que nós temos de gerenciar as nossas emoções e sentimentos. Quando a pessoa tem esse autocontrole, é possível ter um domínio maior sobre o seu comportamento e tomar decisões mais favoráveis.
Os indivíduos com essa mentalidade costumam se conhecer bem e, por isso, conseguem identificar os seus pontos fortes e fracos com facilidade. Eles também têm facilidade na resolução de conflitos, pois sabem reconhecer as suas melhores características e usá-las a seu favor em situações desafiadoras.

Inteligência lógica

Existem pessoas que dominam a habilidade de lidar com números e o raciocínio lógico. Geralmente, são mais racionais, introspectivas, organizadas e têm um olhar bastante estratégico.

Inteligência espacial

A inteligência espacial está relacionada à habilidade de enxergar diferentes espaços e recriá-los. É uma capacidade de imaginação aflorada, que contribui para solucionar os problemas de maneira inovadora.

Inteligência motora

As pessoas que têm muita consciência sobre o próprio corpo desenvolvem ainda mais essa inteligência, que também pode ser denominada como corporal. São, muitas vezes, pessoas mais produtivas, uma vez que prática de exercícios físicos contribui diretamente na performance profissional.

Inteligência linguística

Aqueles profissionais que se expressam com confiança, falam bem em público, são comunicativos e conseguem transmitir suas ideias com clareza muitas vezes têm alto grau de inteligência linguística.

Inteligência musical

Essa faculdade está ligada ao talento musical. Por isso, quem tem essa inteligência tem mais habilidade com a música. São pessoas com os sentidos mais aguçados para a composição, canto e utilização de instrumentos.

Inteligência naturalista

A inteligência naturalista está relacionada à percepção da natureza. São profissionais que lidam muito bem com os animais e com o meio ambiente como um todo. Como todas as outras, essa é uma aptidão muito útil também no ambiente corporativo.

Inteligência existencial

Essa inteligência permite ao indivíduo se questionar sobre a sua missão no mundo, seu propósito, e está fortemente ligado ao autoconhecimento. São profissionais que conseguem lidar melhor com os desafios do dia a dia por estarem conectados ao seu papel na existência.
Ficou claro que esses tipos de inteligência refletem a individualidade de cada profissional, não é? Portanto, é fundamental entender com qual delas você mais se identifica, pois esse conhecimento sobre si vai ajudar bastante a entender qual área tem mais a ver com o seu perfil.

Identifique suas aptidões

De fato, constatar os seus comportamentos mais predominantes ajuda a entender qual tipo de inteligência você tem em maior escala. Desse modo, é possível identificar a área mais promissora.
Se você se considera uma pessoa com mais inteligência lógica, a área de Engenharia da Computação é uma escolha muito favorável. Entretanto, se o seu perfil está mais voltado para a inteligência interpessoal, escolher um curso de Administração é uma excelente oportunidade para liderar e inspirar pessoas, por exemplo.
A área de Marketing, por sua vez, pode ter uma conexão maior com profissionais que apresentam uma inteligência linguística mais desenvolvida. Nesse contexto, para cada tipo de aptidão existe uma área correlata. Por isso, investir em autoconhecimento possibilita encontrar os melhores caminhos profissionais.
Outra boa dica é pensar sobre quais são as áreas que você não gosta. Depois de mapear o tipo de inteligência que apresenta com mais força, anote as profissões com as quais realmente não sente uma conexão. Assim, você tem mais clareza sobre quais áreas têm mais relação como seu perfil.
Além disso, é importante saber a área que pode proporcionar mais felicidade e qualidade de vida para você! Afinal, a questão financeira não é o único pilar a ser considerado na escolha de uma profissão.

Converse com profissionais

Sem dúvidas, conhecer pessoas pode trazer muitos benefícios, especialmente nesse momento decisivo da sua carreira. É de suma importância entrar em contato com profissionais de áreas diferentes e, principalmente, da área na qual que você tem interesse em atuar.
Nesse contexto, conversar com essas pessoas pode ajudar você a entender melhor o funcionamento do mercado de determinada área e como é a rotina da profissão, uma vez que vivem aquilo diariamente e, portanto, têm experiência no assunto.
Outra ideia interessante é conhecer os locais de trabalho dessas pessoas. Assim, você conseguirá entender de perto como é a rotina daquelas pessoas no ambiente profissional.
Nesse momento, você também pode se perguntar como seria trabalhar em determinados locais. Pensar se você se identifica e se sentiria bem nesse ambiente, por exemplo, é uma boa tática.

Ligue os pontos

Chegando até aqui, você já deve saber um pouco mais sobre seus desejos e sua personalidade, e já descobriu qual área ou carreira é mais indicada para a sua personalidade, certo?
Agora, é hora de explorar suas possibilidades — ou melhor, ligar os pontos entre a sua personalidade e a sua vocação. Existe mesmo uma vocação certa para a sua personalidade e, dentro dela, diversas carreiras interessantes.
Pesquise sobre as profissões que se encaixam à sua personalidade. Veja como é o seu cotidiano de trabalho e as atividades exercidas e se imagine vivendo essa carreira. Você conseguirá fazer o que gosta? Terá oportunidades para usar suas qualidades?
Encontrar essa tendência para uma determinada ocupação requer uma observação constante. Já que estamos em transformações contínuas, muitas vezes, o que queremos hoje já não é mais o mesmo que vamos almejar daqui a alguns anos.
Como vimos, a vocação profissional é algo que deve ser pensado com cuidado. Fazer qualquer coisa pensando que encontrará a aptidão no meio do caminho é um erro grave, que pode afastar as possibilidades de identificar o seu verdadeiro propósito. Por isso, é importante entender a sua personalidade como ponto de partida para descobrir a sua verdadeira vocação profissional.
Se você gostou deste post e quer continuar acompanhando o nosso conteúdo, assine a nossa newsletter e receba tudo com exclusividade!

2 Comentários

  1. aldinojoaomacaue disse:

    costaria de saber de vocao na africa

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!