Teletrabalho: um guia completo de cuidados e dicas

O Teletrabalho é uma realidade cada vez mais comum na vida de profissionais brasileiros. Entenda tudo sobre o Home Office e o Trabalho a distância neste (...)

Autor: Redação Impacta

O teletrabalho virou um dos assuntos mais comentados no Brasil, principalmente com a pandemia. Inclusive, sabia que o termo home office nunca foi tão pesquisado no Google pelos brasileiros? Pois é! A opção de fazer trabalho remoto, fora do ambiente da empresa, tornou-se uma possibilidade e um atrativo muito interessante.

Para os colaboradores, há o conforto de casa, menos trânsito, mais flexibilidade. Para as empresas, mais produtividade e satisfação dos funcionários, além de economia com a estrutura física.

O fato é que até a legislação brasileira sofreu alterações para trazer mais amparo legal a todos os envolvidos. Como o home office ainda é novidade para muita gente, há diversas dúvidas que ainda não foram respondidas. Por isso, juntamos todas neste artigo, para você ter mais conhecimento legal, dicas de produtividade e muito mais. Vamos lá?

O que é teletrabalho?

O teletrabalho se caracteriza pelo exercício da profissão fora do ambiente da empresa. Ou seja, os funcionários exercerem suas atividades em outros locais, seja em suas casas, em viagens etc., e apostam na tecnologia para uma comunicação eficiente.

Assim, o teletrabalho é entendido como toda forma de trabalho remoto. Os formatos podem ser:

  • home office: quando o colaborador trabalha de sua própria casa;
  • a distância: no caso de empresas contratarem funcionários de outro estado, às vezes até de outro país para se tornarem mais competitivas Ou permitirem que os funcionários trabalhem em escritórios de coworking.

No Brasil, essa forma de trabalho se popularizou muito com a pandemia causada pelo Coronavírus, pois se tornou a maneira mais simples de empregadores zelarem pela saúde de seus funcionários.

Entretanto, algumas companhias, principalmente no ramo de tecnologia, já vinham apostando no teletrabalho como uma vantagem na contratação de colaboradores, uma vez que eles podem ficar mais com a família, não enfrentam trânsito e têm mais flexibilidade.

Quais são as características do teletrabalho?

Para que o teletrabalho se mostre realmente uma opção interessante a ambas às partes, há algumas características básicas que a companhia deve estabelecer e comunicar aos funcionários. Vamos a elas!

Uso de novas tecnologias

Não é porque você está de home office que não precisa se comunicar com sua equipe. Pense em um desenvolvedor de aplicativos: ele tem prazos a cumprir e os entregáveis precisam ser aprovados. Isso tudo implica em comunicação.

Assim, as empresas devem ter ferramentas e tecnologias que permitam a todos estarem integrados e receberem as informações necessárias para que possam dar conta de suas obrigações.

O fato de cada colaborador estar em um local também pede que arquivos e documentos estejam em nuvem, para que todos possam acessar. Ou seja, as organizações passam a contratar serviços de software em nuvem, que também requerem segurança extra, como a criptografia, para que não aconteça a exposição de dados.

Não se trata de um trabalho externo ou freelancer

Quando somos autônomos, acabamos sendo nossos próprios líderes. Dessa forma, somos mais independentes no que diz respeito à prestação de contas e horas de serviço. No entanto, o home office não é um trabalho freelancer.

Por isso, os colaboradores precisam prestar contas e estar em comunicação constante. Imagine só que seu chefe chame você no começo da tarde e você já decidiu encerrar o expediente mais cedo. Esse tipo de atitude pode gerar um ruído e precisa ser sempre conversada, ok?

Carga horária mais flexível

Ao mesmo tempo, o trabalho remoto traz algumas facilidades, como concentrar suas horas de trabalho em um período em que você sinta mais produtividade. Você pode fazer isso desde que esteja acordado com os supervisores e também esteja presente nas reuniões de time.

Fortalecimento da confiança entre líder e liderado

Muita firma ainda olha o teletrabalho com certa desconfiança, porque não acredita que o funcionário está engajado nas entregas. Ao mesmo tempo, os colaboradores sentem uma insegurança, que fica mais forte nos momentos de crise.

Ou seja, a confiança é peça-chave para que este novo formato dê certo. Afinal, não faz o menor sentido que líderes fiquem checando o tempo todo se o colaborador está trabalhando ou não.

Estabelecimento de metas

Empresas que estipulam metas e entregáveis definidos aos funcionários têm uma chance maior de se adaptarem ao teletrabalho porque seus colaboradores sabem exatamente o que precisam fazer.

Além disso, vale a pena repensar a cultura da empresa, mostrando que o cumprimento das metas pode permitir que o colaborador cresça na carreira e possa ocupar cargos de destaque.

Como o teletrabalho é encarado no Brasil?

Ao que tudo indica, com ótimos olhos, afinal, o Brasil é o terceiro país no qual este novo formato mais cresce.

Por aqui, o número de pessoas em home office vinha aumentando pouco a pouco e chegou a bater recordes em 2018, de acordo com o IBGE. Ainda assim, nada comparado com o boom causado pela pandemia. 

Segundo pesquisa da FGV, mesmo após a pandemia, 30% das empresas devem permanecer no modelo de teletrabalho. Organizações mais jovens, como o Twitter, já afirmaram que o home office será eterno em todos os seus escritórios espalhados pelo mundo.

O que diz a lei brasileira sobre a prática do teletrabalho?

O teletrabalho, como você viu, já era uma prática que vinha crescendo no Brasil, sobretudo em startups de tecnologia. Nesse sentido, a última Reforma Trabalhista acabou servindo para formalizar essa modalidade. Afinal, pode existir algumas confusões sobre quais são as responsabilidades da empresa e quais as do colaborador.

Assim, como explica o artigo. 6º da CLT, os pressupostos da relação de emprego não têm distinção entre o trabalho realizado no prédio da empresa, feito no domicílio do empregado e realizado a distância.

Quais são os direitos e as obrigações do trabalhador?

Vale dizer que Medida Provisória nº 927, criada para que empregadores possam enfrentar situações de calamidade pública, estabelece que o empregado em regime de teletrabalho não está sujeito a controle de horário de trabalho, afinal, fica complicado fazer essa medição a distância.

Mas não é por isso que você pode trabalhar menos e não entregar todas as demandas. Mesmo porque, a empresa tem metas a cumprir e isso pode atrapalhar seu desempenho e, claro, sua permanência no cargo.

Além disso, segue sendo direito dos funcionários o período de descanso de um dia de jornada ao outro. Não está entre os direitos do empregado se recusar a tirar férias, caso a empresa opte por essa solução com as demandas de trabalho.

Quanto aos benefícios, o vale-transporte pode ser cortado e o vale-refeição, usado em restaurantes, pode ser substituído pelo vale-alimentação, que permite fazer compras em supermercado.

E quanto aos direitos e obrigações da empresa?

De acordo com a mesma Medida Provisória citada anteriormente, empresa ou empregador poderá mudar o regime de trabalho presencial para o teletrabalho, o trabalho remoto ou a distância. Ainda assim, é necessário que o colaborador concorde com essa alteração. Isso é feito por meio de um aditivo no contrato, que pode ser assinado virtualmente.

Também é possível determinar o retorno ao trabalho presencial, independentemente da existência de acordos, sejam individuais ou coletivos. Ou seja, não é necessário um registro prévio dessa mudança. 

Outro ponto é que não existe um consenso se a empresa vai oferecer os materiais de trabalho, como computadores, notebooks, headsets e cadeiras, nem se ela vai pagar pela internet do colaborador.

Porém, se o funcionário não tiver os materiais necessários para exercer suas funções, é o empregador que deve fornecê-los, de acordo com a MP nº 927. Também é muito importante que a empresa instrua seus colaboradores a criar o melhor ambiente de trabalho.

Se você ficou na dúvida quanto aos casos de acidentes durante o trabalho, saiba que teve mudança, sim. Antes, a empresa era totalmente responsável por zelar pela saúde e segurança de seus empregados no ambiente de trabalho, certo?

Porém, agora ela deve fornecer as melhores informações para que a equipe evite possíveis doenças e acidentes de trabalho. Uma das práticas é exigir que empregado assine um termo de responsabilidade sobre o cumprimento dessas instruções

Quais são as dicas para um teletrabalho eficiente?

Muita gente associa o ficar em casa com descanso, ou seja, ficar no sofá maratonando séries, dormir até mais tarde, entre outros. Essa mentalidade é a primeira que deve mudar. Também trazemos outras dicas na sequência. 

Tenha um ambiente de trabalho adequado

Trabalhar deitado na cama ou jogado no sofá pode parecer muito satisfatório. Porém, a longo prazo, sua postura fica comprometida e as dores na coluna surgem. Além disso, não é nada profissional fazer call de vídeo com seu chefe deitado na cama.

Por isso, arrume um cantinho da sua casa para isso. Pode ser no seu quarto, na sala ou mesmo na mesa da cozinha (caso não tenha opção). Porém, estabeleça aquele local como o seu trabalho — fica mais simples se concentrar.

Conte com uma iluminação agradável

Durante o dia, janela aberta e iluminação natural são muito inspiradoras. Porém, se você é do tipo noturno e rende melhor nesse horário, aposte em uma luminária ou coloque uma lâmpada que ilumine de forma confortável — em geral, as brancas frias são as mais adequadas.

O fundamental é evitar trabalhar no escuro porque isso acaba prejudicando sua visão. As dores de cabeça vão chegando e o cansaço também aumenta.

Trabalhe a gestão do tempo

O fato é que nós ganhamos muito tempo ao exercer o teletrabalho porque evitamos trânsito, na maior parte das vezes não é preciso sair para almoçar e não somos interrompidos por colegas de trabalho. Moral da história: você ganha tempo.

Entretanto, nem sempre isso é verdade, porque as distrações e possibilidades aumentam. Como dormir até mais tarde, ver alguma série no almoço, conversar com seus pais, resolver questões pessoais etc. Por isso, o mais inteligente é pensar no seu tempo e dividi-lo para cumprir todas as funções de trabalho e também ter tempo livre, usufruindo da melhor forma das horas que você ganha por não pegar trânsito, por exemplo.

Repense a quantidade da internet que tem em casa

Durante a pandemia, um problema muito comum entre as famílias foi a quantidade de internet usada. Enquanto alguém trabalhava, outra pessoa estava assistindo à Netflix e outro ainda jogava no computador. Haja banda larga, não é mesmo?

Se sua internet anda falhando quando você mais precisa, o mais sábio é conversar com a sua operadora e aumentar o plano. Afinal de contas, estamos falando de um instrumento de trabalho imprescindível!

Evite pijamas ou “roupas de ficar em casa”

Ficar em casa permite uma dose extra de conforto. Sapatos, calça jeans, cinto, camisas e outros itens não muito confortáveis puderam ser substituídos pela calça de moletom, camiseta, chinelo e meia.

Mas é interessante manter uma certa rotina de trocar o pijama pela roupa de trabalho, mesmo que sejam essas peças mais gostosas de usar, até para o cérebro se ligar que é hora de trabalhar. Sem contar que não é nada bacana conversar com a equipe ou seus clientes por vídeo usando pijama, ou roupa furada, concorda?

Faça reuniões com sua equipe

O fato de exercer o teletrabalho não torna você uma ilha, pelo contrário. O trabalho em equipe segue firme e forte. Por isso, marque as reuniões com a equipe e não deixe de aparecer nelas. Tenha em mente que, nesse horário, você está ocupado e não deve agendar mais nada.

Isso mostra dedicação, que você sabe trabalhar em equipe e está preocupado com as atividades de uma forma global. São pequenas atitudes que permitem marcar vários pontos com o chefe!

Marque encontros mais casuais, como coffee break

O teletrabalho tira a convivência diária e faz com que as pessoas se distanciem um pouco. Contudo, as tecnologias estão aí para ajudar.

 Por isso, uma ótima pedida é agendar encontros mais informais, como um happy hour para “sextar” ou um coffee break que sirva para vocês conversarem sobre amenidades e reforçar os laços de amizade.

empregos em tecnologia

Como melhorar a sua produtividade durante o teletrabalho?

É errado pensar que o home office ou trabalho remoto vai fazer com que você produza menos, afinal, as distrações, muitas vezes, vêm do ambiente da empresa. Sozinho, você pode usar um fone, ouvir uma música para se concentrar e trabalhar com nenhuma interrupção. Ainda assim, alguns hacks melhoram sua produtividade, veja quais são!

Evite as distrações 

Para começar, o seu smartphone deve ficar no mundo e longe dos seus olhos. Se você parar para checar as notificações, vai perder muito tempo útil. Sabe como é, do WhatsApp para o Instagram, depois para o LinkedIn e meia hora se foi.

Além disso, peça para quem estiver em casa respeitar o seu momento de trabalho, seja não interrompendo você, assistindo tevê ou ouvindo música em um volume mais baixo etc.

Faça pequenas pausas ao longo da jornada

No escritório, é supernormal parar para um cafezinho ou uma água seguida de um bate-papo no corredor, certo? Em casa, não há problema de essa prática continuar existindo. Você pode estabelecer pausas de hora em hora ou a cada duas horas. 

Com isso, você aproveita para checar o celular ou trocar uma ideia rapidinha com os familiares. Dá até para ver algum vídeo no YouTube ou um episódio curtinho de alguma série.

Tenha cuidados com a ergonomia

Sua produtividade sai ganhando quando você está em um ambiente ergonômico e que não prejudica sua postura. Por isso, uma cadeira na altura certa, apoio de pés, apoio de mouse, notebook ou teclado trazem mais prazer para seu ambiente de trabalho.

A sua própria empresa deve ajudar você com essas dicas — por isso, peça a eles ou, se for autônomo, busque vídeos e materiais na internet, sempre em sites confiáveis.

Use as horas mais produtivas

Nós já falamos sobre elas e vamos reforçar. Concentre as atividades que demandam mais foco nos momentos em que você se sente mais produtivo.

Às vezes, o meio da manhã é lotado de reuniões e ligações, certo? Com isso, você pode fazer as atividades mais solitárias no período da tarde ou começo da noite, que tal?

Quais são as melhores ferramentas para o home office?

A produtividade também é aperfeiçoada quando você usa ferramentas que ajudam a facilitar sua produção e comunicação. Por isso, juntamos mais essenciais logo abaixo.

  • Asana: ferramenta para fazer a gestão de trabalhos e projetos, juntamente da sua equipe. Tem boa integração;
  • Trello: com ele, você organiza seus projetos de uma maneira bastante visual. É colaborativo, ou seja, todos da equipe podem atualizá-lo;
  • ContaAzul: importante principalmente para quem é empreendedor. A ContaAzul ajuda você a fazer a gestão contábil do seu negócio e também acompanhar seu fluxo de caixa;
  • Toggl: importante para medir o tempo gasto em diversas tarefas, seja para medir a performance da equipe ou para fazer o preço de suas tarefas como freelancer;
  • Evernote: sabe aquele monte de anotação que fica perdida em bloquinhos, rascunhos de celular e notebook? Unifique-as no Evernote e não perca mais suas ideias, além de permitir que mais pessoas possam trabalhar em conjunto;
  • GSuite: esse pacote do Google conta com Gmail, Hangouts, Google Meet, documentos, planilhas e apresentações — tudo para que os trabalhos fiquem em nuvem e possam ser acessados pelo seu time todo;
  • Microsoft Office Online: é o equivalente do GSuite, só que, claro, da Microsoft. Conta com todo o pacote Office OneDrive, Outlook e Teams;
  • Zoom: software para fazer reuniões online, conferência, chats e webinars;
  • Timely: permite que você faça um registro digital de todo o tempo do projeto e da equipe, sem usar temporizadores;
  • RescueTime: além de medir o tempo gasto em suas atividades, elimina suas principais distrações, traz ótimos insights de produtividade e permite o monitoramento do time todo;
  • Pocket: sabe aquele texto incrível que você quer guardar para ler depois e sempre perde o link? O Pocket armazena todos eles. Assim, você não vai se distraindo ao longo do dia de trabalho;
  • Loom: permite que você grave mensagens de vídeos e as compartilhe. Muito útil para gravar passo a passo de apresentações e explicações;
  • NVoip: sistema de telefonia em nuvem, que possibilita integrar os ramais da empresa, fazer ligações nacionais ou internacionais, tudo do seu notebook;
  • Prestus: secretária e assistente virtual que faz o serviço 24h por dia. Muito útil para quem trabalha com vendas e atendimento ao cliente.

Quais são as vantagens do teletrabalho?

A pesquisa The Annual IWG Global Workspace Survey mostra que o home office ou a flexibilização do trabalho conta muito para que uma pessoa resolva ficar na companhia. Para a firma, o baixo turnover gera uma economia estratégica.

No mesmo estudo, de acordo com 85% dos entrevistados, a produtividade melhora consideravelmente. Ainda, para o colaborador, não há trânsito, há mais tranquilidade. Ou seja, é uma relação clara de ganha-ganha. Ainda existem outras vantagens:

  • possibilidade de ficar mais com a família — principalmente para quem tem filho pequeno em casa;
  • qualidade de vida, porque você está em casa, sem perder horas para chegar até a empresa. Pode fazer refeições mais saudáveis e tem tempo de praticar atividade física, ler etc.;
  • economia, seja com o transporte até a empresa (ainda mais para quem usa carro), seja comendo em casa ou até mesmo em roupas. Para as empresas, a estrutura física, com suas contas de aluguel, energia e água, deixa de pesar no orçamento;
  • flexibilidade — vira e mexe, surgem imprevistos que exigem que você falte do trabalho e depois pague as horas. No teletrabalho, você pode começar mais cedo para resolver as questões pessoais no período da tarde.

O teletrabalho chegou como uma disrupção do modelo de trabalho tradicional, no qual as empresas investiam em estrutura física, como ao locar coberturas de prédio e fazer uma decoração arrojada. Porém, para chegar até esse local, muitos funcionários perdiam duas ou três horas do dia e acabavam tendo episódios de estresse, além de aproveitar pouco a família.

A possibilidade de ter qualidade de vida passou a ser um critério importantíssimo para a escolha de uma empresa. Por isso, as organizações precisam olhar com todo o carinho para as formas remotas de trabalho. Enquanto isso, as pessoas podem ir investindo pouco a pouco em transformar algum cantinho da casa em um escritório aconchegante. Esse é o futuro (e presente)!

Gostou de saber sobre o teletrabalho com mais profundidade? Assine, então, a nossa newsletter para receber conteúdos como esse em primeira mão no seu e-mail!

2 Comentários

    Deixe o seu comentário!

    Não perca nenhum post!