Economia Criativa: o guia das profissões na área

A Economia Criativa abrange cargos e profissões que representam a criatividade e inovação no mercado. Saiba quais são e como se preparar pra elas no (...)

Autor: Redação Impacta

Não pode ler esse artigo agora? Ouça a matéria no Player abaixo:

Quando falamos em mercado de trabalho moderno, um termo que não podemos esquecer é economia criativa. Essa expressão tem sido usada para descrever abordagens profissionais relacionadas com as novas tecnologias e buscam diferentes maneiras de entregar resultados. Quem deseja se manter atualizado em relação às novas carreiras precisa conhecer bem sobre esse tema.
Se você se interessa pelo assunto, quer entender os valores relevantes para um profissional de sucesso e escolher qual área seguir, não deixe de acompanhar os tópicos seguintes. Boa leitura!

O que é economia criativa?

economia criativa é o conjunto de cargos e profissões que representam uma expressão de criatividade e inovação. Em outras palavras, são atividades que dependem fortemente da capacidade das pessoas em buscar sempre o diferente, ao contrário de alguns dos cargos tradicionais que requeriam uma habilidade mecânica.
Considerando como exemplo as revoluções industriais, fica claro como o trabalho evoluiu para esse paradigma atual. Nas primeiras, os trabalhadores focavam funções repetitivas e mecânicas que exigiam um bom condicionamento físico, além da capacidade de aprendizado e memorização estática.
À medida que as tecnologias evoluíram, os profissionais passaram a conviver com máquinas e robôs. Uma vez que esses equipamentos começaram a executar as funções mais repetitivas, uma nova demanda foi criada para as pessoas: trabalhos criativos que dependem de um fator exclusivamente humano. No geral, são tarefas que envolvem decisões dinâmicas, pensamento crítico e talento.
Evidentemente, algumas profissões da economia criativa sempre existiram, mas ganharam proeminência aos poucos. A humanidade passou a se preocupar mais com essas funções, e as condições para sobrevivência foram criadas.
Historicamente, essas atividades estão relacionadas com cultura e tecnologia. Nesse sentido, é possível dividir essa economia em frentes principais, a fim de compreender os seus pilares. Vamos conhecer algumas delas a seguir.

Patrimônio ou herança cultural

Esses trabalhos envolvem as origens das artes. Por isso, são mais tradicionalistas e têm uma forte relação com o passado. São exemplos as funções desempenhadas em eventos culturais, sítios, museus e livrarias.

Artes

Quando falamos em economia criativa, talvez esse campo seja o que vem à mente de maneira instantânea. São profissões que dependem de talento, criatividade, mas também de estudo e disciplina. Movimentam indústrias que intencionam gerar valor de entretenimento paras as pessoas. Alguns exemplos se encontram na música, na dança, na pintura e no teatro.

Mídia

As profissões de mídia estão relacionadas com os canais de comunicação. Envolvem materiais impressos, como livros e jornais, mas também programas de rádio e TV. 

Tecnologia

Esse é outro setor facilmente associado com a criatividade. A tecnologia da informação e as atividades relacionadas sempre necessitaram dessa capacidade, principalmente para a solução de problemas. Nesse cenário, destacam-se o desenvolvimento, programação, gestão de TI, entre outros.

Criações funcionais

As criações funcionais são serviços e produtos que nascem diante de uma demanda específica. Geralmente, envolvem bastante a criatividade, mas também são focados nas necessidades de cada cliente — como no design, na publicidade, na moda e na arquitetura.

Como a tecnologia suporta esse conceito?

A tecnologia moderna oferece forte apoio ao conceito e aos paradigmas da economia criativa. As novas ferramentas estão concedendo espaço para que profissões inovadoras ganhem destaque no mercado. Isso porque essas atividades têm relação com os princípios valorizados na era da transformação digital.
A Internet permite que as pessoas aprendam novos assuntos diretamente de suas casas. É possível ler e obter valor de materiais relevantes, que cooperam para que o profissional esteja sempre preparado para o mercado. Com a grande rede, também é possível criar e divulgar o trabalho criativo para um número imenso de receptores disponíveis e interessados.
As novas ferramentas também ajudam na produtividade, permitindo que os usuários controlem seu tempo e se dediquem inteiramente. Com isso, dá para obter mais foco a fim de extrair criatividade e propor soluções inovadoras. As redes sociais, por exemplo, auxiliam na comunicação e transmissão de ideias, o que contribui com o impulsionamento desses trabalhos.

Por que a criatividade é importante?

Como vimos, a criatividade não é mais uma característica exclusiva dos trabalhos artísticos: é uma habilidade desejada em diversos campos e situações. Uma das competências dos profissionais modernos é a capacidade de pensar e imaginar soluções inovadoras para problemas comuns. Essas resoluções devem gerar mais eficiência e menos custos.
Trabalhadores criativos conseguem trazer à tona esse pensamento diferente e vão além do presente, imaginando possíveis implicações no futuro. Geralmente, conseguem ser mais organizados e dividem o processo de produção de maneira transparente. Eles buscam sempre maneiras inovadoras de abordar as situações cotidianas e estão sempre determinados a evoluir dos padrões obsoletos.

Inovação

Existe uma certa demanda nos trabalhos criativos para sempre propor novas estratégias. Mesmo que existam padrões, os profissionais dessas áreas valorizam o que podem criar de diferente, buscam dizer algo de uma maneira que não dito ainda.
No design, por exemplo, existem certas maneiras padronizadas de solucionar problemas, mas cada criação deve enfatizar algo que destaque aquela produção do resto.
Por estar sempre diante dessa necessidade, os criativos não se limitam quando precisam ajustar o que for necessário a fim de obter melhores resultados. Esse dinamismo da vida deles se adapta bem ao ritmo do mercado no geral em tempos de tecnologias surgindo a todo tempo.
Eles não pensam duas vezes antes de testar uma nova ferramenta e diferentes abordagens, mesmo que já estejam acostumados com as anteriores. Por essa razão, atividades criativas são importantes nos tempos modernos e envolvem oportunidades valiosas, com possibilidade de crescimento e salários maiores.
Além disso, estão associadas a uma flexibilidade maior para o profissional, com mais autonomia para tomar as próprias decisões e responder por elas. Assim, ele pode gastar menos tempo com burocracias e mais tempo focado em resultados.

Os gestores e líderes ficam satisfeitos quando podem contar com pessoas que estão dispostas a evoluir e a entregar resultados ágeis, inovadores e diferenciados. Afinal, esses membros serão importantes para sugerir insights que ajudem as empresas a continuarem relevantes e alcançarem destaque competitivo. Por isso, esse fator é fundamental para construir a reputação de um profissional e viabilizar o sucesso na carreira.

Quais são as 6 profissões criativas que estão em alta?

Está preparado para se inserir nesse mercado de transformação digital e inovações? Neste tópico, vamos conhecer algumas das profissões criativas mais relevantes atualmente.

1. Designer de games

O designer de games é o profissional responsável por desenhar um jogo e conceber a estrutura dele. Ele cria o cenário, produz as artes e interfaces, além de fazer a modelagem, os personagens, componentes e também a história. É uma profissão que requer muita imaginação e uma visão apurada para pensar em elementos fascinantes.
Essa atividade mistura conhecimentos técnicos de programação de games com a criatividade e capacidade de criar mundos diferentes. É um perfeito equilíbrio entre esses dois aspectos. Não é uma função cansativa e desgastante, já que o criador também se diverte com o fator entretenimento desse tipo de produção.

2. Web designer

Um web designer é o profissional responsável por dar vida aos sites. Geralmente, essa função compreende a parte do layout das páginas e estruturação dos componentes visuais, o que deve ser feito de uma maneira amigável e que permita o uso de acordo com o objetivo.
Esse designer segue padrões reconhecidos para a construção desse tipo de site, mas também é livre para pensar em ideias novas para a identidade visual.
É um especialista que sabe programar códigos e fazer com que o navegador execute o que ele deseja. Da mesma forma, ele é responsável por pensar em interações e animações, além de outros recursos que garantam uma ótima experiência para o usuário.

3. Produtor de conteúdo para web

O YouTube é uma das principais plataformas da Internet. Nela, milhares de criadores de conteúdo publicam novos vídeos todos os dias e alcançam um público específico. Por isso, essa profissão é uma ótima opção para quem deseja ingressar na economia criativa.
Além de produtores de conteúdo, esses profissionais também são conhecidos como infoprodutores e até mesmo YouTubers. De toda forma, eles dependem muito da criatividade para abordar determinados assuntos que, muitas vezes, estão até saturados no mercado.
Essa atividade tem se tornado financeiramente possível e viável principalmente para os jovens. Com o intuito de se destacar em meio a tantos outros, os infoprodutores sempre trabalham na criação de uma marca, algo que pode ser referente à identidade visual ou ao material publicado em si. Embora nem sempre seja reconhecida pelo público, a tendência é que essa profissão ganhe cada vez mais espaço.

4. Roteirista

Desenvolver um roteiro é a arte de estruturar a forma como histórias serão contadas. É uma profissão importante em diversos contextos diferentes: no marketing, no cinema, no jornalismo, entre outros. Além disso, requer a capacidade de pensar em abordagens distintas para comunicar algo às pessoas, de uma forma que as impressione e gere conexão emocional com elas.
Se o design se preocupa com o impacto que componentes visuais geram e com o objetivo que cada layout tem, um roteirista se importa com as palavras e o poder delas para passar mensagens — bem como se a comunicação foi feita da melhor maneira possível.

5. Especialista em Design Thinking

Design Thinking é uma estratégia que busca aplicar as abordagens e o modo de pensar dos designers em projetos de outros contextos profissionais. Assim, é possível estimular maior organização, transparência e velocidade nos processos de produção e concepção de produtos, com ferramentas que os próprios designers utilizam.
Como esse conceito está cada vez mais relevante em nossos tempos, o especialista será um profissional bastante requisitado em projetos de economia criativa.
Envolve criatividade, pois é uma função associada à busca de melhores estratégias para solucionar problemas e contornar situações difíceis com foco em brainstorming de ideias, testes e análises aprofundadas. É uma profissão que envolve a habilidade de raciocinar criticamente.

6. Desenvolvedor Mobile

O desenvolvedor mobile utiliza conhecimentos de programação para desenvolver aplicações para dispositivos móveis. Também envolve bastante senso criativo, pois esse profissional precisa pensar em layouts e estruturação adequada de componentes visuais. Além disso, requer capacidade de pensar em formas diferentes de atingir um objetivo, funcionalidades inovadoras e soluções novas para questões comuns.

7. Diretor de arte

O diretor de arte é responsável toda a concepção visual do projeto, de maneira a tornar as imagens alinhadas com os valores da empresa em questão. Ele garante que todas as formas de comunicação dialoguem entre si, transmitindo uma mensagem clara.
Esse profissional pode atuar em diversas frentes, como cinema, Internet, jogos, entre outros, além de precisar conhecer bastante de design e ser um bom líder.

8. Arquiteto

O arquiteto é o responsável por coordenar a construção ou reforma de um prédio. Ele desenha a planta e decide quais materiais serão usados, unindo o design, a engenharia e um senso artístico. O objetivo é criar ambientes funcionais, mas também visualmente agradáveis e bonitos.

Quais são as habilidades necessárias para esse mercado?

Veremos a seguir quais as competências e habilidades fundamentais para se destacar em tempos de economia criativa.

Capacidade de resolver problemas

Como já falamos, o profissional da economia moderna é uma pessoa incansável e inconformada com as dificuldades e complicações. Por isso, ela busca sempre formas de resolver essas situações, mas também pensa em eficiência e em gastar o mínimo possível de recursos enquanto tenta soluções.
Assim, a capacidade de buscar resoluções não pode faltar em alguém que aspira a cargos nesse novo mercado. Esses profissionais devem estar sempre prontos para analisar os problemas com profundidade e raciocinar criticamente em busca de possíveis saídas. Esses cenários são, na verdade, cruciais para impulsionar o criativo em seu processo de criação.

Imaginação

A imaginação também é uma característica muito importante. O profissional deve saber conceber diversas possibilidades em sua mente, criar diversos cenários e analisar todos eles em busca de um resultado satisfatório. As profissões que mencionamos, por exemplo, requerem grande capacidade de criação de layouts e imagens do zero.

Comunicação

O criativo não é só o que consegue imaginar soluções e analisar um problema com a devida profundidade. É a pessoa que sabe comunicar suas ideias e interagir com outras pessoas com foco em um objetivo.
Ele consegue discutir e entender críticas e posicionamentos contrários, mas também sabe impor suas melhores propostas. Assim, é um profissional que sabe bem trabalhar em equipe e encarar as situações difíceis com o apoio de colegas.
Isso é um ativo essencial, uma vez que esses profissionais não trabalham sozinhos. Por mais que eles tenham a função criativa, acabam dependendo dos colegas para colocar o projeto em prática. Por isso, devem saber onde se encaixam dentro do processo completo e como podem contribuir para que a solução seja a melhor possível.

Pensamento crítico

O criativo não é alguém que aceita qualquer ideia. Ele faz a análise crítica do que surge, sempre tendo em mente os contornos do problema. Ele tem uma visão ampla, que compreende todos os aspectos necessários, e foca a observação e o teste de ideias, a fim de validar a melhor.
Da mesma forma, instiga reflexões e debates para julgar o que é relevante e o que não é. Geralmente, essas profissões criativas envolvem o chamado brainstorming, o momento em que as pessoas anotam o que surgem à mente e consideram diversas perspectivas para a solução. Esse processo requer um pensamento crítico para selecionar o que deve ser descartado.

Como desenvolver a criatividade?

Vimos neste artigo o quanto a criatividade impacta o trabalho de um profissional. Ao contrário do que muitos pensam, é uma habilidade plenamente possível de ser desenvolvida. Confira as sugestões abaixo!

Networking

O networking é muito importante para qualquer profissional, inclusive, aqueles que dependem da criatividade. O convívio com outras pessoas funciona como um combustível para novas ideias e perspectivas, já que faz com que vejamos as coisas de um ponto de vista diferente, com mais empatia.

Experimentação

A criatividade também está fortemente associada com a experimentação. Ao realizar essa prática com possibilidades diferentes, o profissional é estimulado às inovações e a gerar insights importantes para os trabalhos.

Brainstorming

Outra ótima dica é criar o hábito de fazer brainstorming. Esse conceito representa a tempestade de ideias, ou seja, o momento de pensar em vários fatores e aspectos relacionados com o problema, basicamente tudo que vem à mente, de forma desorganizada e espontânea. Nesse sentido, vale anotar as expressões que surgem e registrar para análise posterior.

Leitura

A leitura é a base para a imaginação. Ler é entrar em contato com diferentes universos e conhecer mundos imaginados e estruturados de uma forma compreensível. O hábito de ler é imprescindível para quem deseja trabalhar com profissões criativas, já que fornece ideias e insights válidos para os trabalhos. A leitura ajuda a alterar a forma de conceber soluções e expande as possibilidades mentais, permitindo uma visão de mundo mais ampla.

Perfil questionador

Também é fundamental criar a prática de questionar tudo o que acontece. Assim, o profissional começa a analisar os problemas com uma visão completa, considerando todos os pontos relevantes, com uma capacidade crítica maior. É importante desconfiar das soluções que foram propostas e buscar sempre a melhor opção. Essa vontade de alcançar o melhor resultado vai impulsionar a criatividade.

Fuga da rotina

A rotina é uma forma de organizar as atividades e obrigações. Ela auxilia no aumento de produtividade e na garantia de resultados consistentes em cada tarefa. No entanto, pode sufocar a capacidade de criação em alguns casos. A solução, nesses casos, é fugir um pouco do padrão e do que foi planejado em busca de algo mais espontâneo e livre.
Por isso, para buscar novas ideias e estimular a criatividade, é importante fugir da rotina às vezes. Isso ajuda a colocar as pessoas em cenários inesperados, nos quais ela precisa improvisar e usar a parte criativa do cérebro. Quanto mais você faz isso, mais você desenvolve a sua capacidade de pensar soluções diferenciadas e se prepara para o mercado moderno.

Mapas mentais

Os mapas mentais são ótimas ferramentas para estruturar ideias e organizar o que surge na mente. No processo de seleção do que pode ajudar na concepção de um produto/projeto, essa abordagem é bem útil. Os mapas mentais auxiliam na hierarquização das ideias e na categorização delas, a fim de tornar o processo criativo visualmente compreensível.

Como se preparar para ingressar nesse mercado?

Preparar-se para o mercado requer bastante dedicação. Por isso, o primeiro passo é estudar bastante para conquistar boas oportunidades, como empregos em tecnologia e design. Aprenda os princípios, faça cursos relacionados às áreas da economia criativa e busque se aperfeiçoar sempre.

Conquiste certificações

Atualmente, existem várias certificações interessantes nessas áreas que auxiliam e preparam os profissionais. Os treinamentos ensinam os aspectos teóricos e as melhores práticas das profissões, de acordo com os padrões do mercado moderno. Assim, eles podem encarar os problemas de forma a suprir as necessidades dos cargos modernos e enriquecer seus currículos.
Um profissional certificado é sempre respeitado no mercado e reconhecido por seu esforço. Assim, consegue mais espaço e oportunidades na carreira.

Tenha um objetivo

Inicialmente, é fundamental definir um objetivo e perseguir isso. Assim, o profissional é capaz de determinar as ações necessárias para alcançar os resultados esperados.
Defina metas e lute para vencer os desafios associados, um por um. Dessa forma, você pode se condicionar a melhorar e a crescer, a fim de alcançar o que almeja. Definindo etapas, fica mais fácil superar os obstáculos que possam surgir.

Desenvolva resiliência e disciplina

É importante ser resiliente e não desistir com facilidade. Os empregos criativos são recompensadores e a autonomia que eles oferecem também permite uma capacidade maior de evolução e crescimento na carreira. Por isso, vale a pena lutar para conseguir as posições e salários oferecidos.
Também é interessante desenvolver disciplina para estudar e buscar as habilidades, assim como para estimular a criatividade necessária. Essas competências dependem de uma visão diferente, mas também de como as pessoas criam condições para estimulá-las. É fundamental saber quais são os seus gatilhos criativos e trabalhar focado neles para gerar resultados.

Fique por dentro das novidades tecnológicas

Também é importante aproveitar as novidades tecnológicas a seu favor e utilizá-las para o bem da carreira. Isso significa utilizar as ferramentas modernas para obter organização e disciplina. Assim, é viável estudar e se preparar para o mercado criativo.
Além disso, os profissionais devem se manter sempre atualizados com relação às novas tendências das áreas, buscando formas eficientes de solucionar transtornos. É preciso ser flexível e procurar sempre novas referências, inclusive de diversas áreas, não somente a que você quer focar.

Pratique Inglês

Também é interessante aprender uma língua estrangeira, como o inglês. Isso abre as portas para aprendizado de novos conteúdos, com fontes diversas e assuntos abordados de maneira aprofundada. Além disso, ter esse idioma no currículo possibilita a conquista de melhores vagas, inclusive em locais mais distantes.
As profissões modernas dependem fortemente da criatividade. Esse fator está praticamente definido um novo modelo de mercado, focado em mais autonomia e espontaneidade, e menos em padrões rígidos e inflexíveis. Assim, a subjetividade das pessoas desempenha um papel importante e ajuda na criação dos produtos.
Existem diversos tipos de profissões para você escolher. Para conseguir espaço nesses cargos, é fundamental desenvolver as habilidades necessárias e cultivar um senso criativo maior. A recompensa disso é o sucesso profissional e crescimento constante.
Gostou de aprender sobre a economia criativa? Confira nosso guia de preparação para liderança.

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!