faceboook

O que os recrutadores buscam nos profissionais – e o que esperam os candidatos?

Procurando emprego? Então você vai gostar de saber o que os Recrutadores Buscam nos Profissionais atualmente. Confira aqui!

Autor: Redação Impacta

A busca por uma oportunidade de emprego é sempre um desafio para a maioria dos profissionais. Como candidato, além de conferir o descritivo e o objetivo da vaga, é preciso entender o que os recrutadores buscam para poder se destacar.

Mas afinal, quais são os fatores mais que mais chamam a atenção das empresas na hora da contratação?

Para ajudar a responder a essa pergunta nos dias atuais, e entender se o que os recrutadores mais valorizam estão alinhadas às prioridades dos candidatos, a Robert Half e a Fundação Dom Cabral lançaram o estudo “Match Perfeito – o que buscam profissionais e recrutadores”.

O levantamento foi realizado com entrevistas com 714 recrutadores e profissionais tomadores de decisão com influência no recrutamento das empresas, no período entre 03 e 27 de maio de 2021.

A pesquisa ouviu ainda 700 profissionais, sendo 351 empregados e 349 desempregados, para saber também o que os candidatos buscam em uma proposta de emprego.

Separamos alguns dos principais resultados e insights retirados do estudo, confira tudo a seguir!

O que os recrutadores buscam nos profissionais?

No geral, os 3 fatores que os tomadores de decisão das empresas mais consideram na hora de contratar atualmente são: a experiência prévia do candidato (86%), o fit cultural (52%) e a indicação (33%).

Nesse último caso, a indicação se refere principalmente às feitas por pessoas relevantes no mercado ou na academia.

Por outro lado, alguns critérios que poderiam ser bastante valorizados em outros tempos já são considerados tão importantes.

É o caso da disponibilidade para início do contrato, que apareceu em apenas 6% das resposta, e a disponibilidade geográfica do candidato (10%), indicando que a evolução do trabalho à distância já permite que a localização não tenha tanta importância.

Veja abaixo a lista dos Top 10 fatores mais relevantes para a contratação:

  1. Experiência prévia do candidato
  2. Aderência com a cultura organizacional
  3. Ser indicado por pessoas relevantes no mercado ou na academia
  4. Formação acadêmica do candidato
  5. Expectativa salarial e seu enquadramento com as tabelas da empresa
  6. Candidatos que estejam trabalhando em outras empresas do setor
  7. Ser indicado por pessoas da empresa
  8. Disponibilidade geográfica
  9. Disponibilidade para início do contrato
  10. Outro

Micro, médias e grandes empresas têm valores diferentes

O estudo faz um recorte ainda de acordo com o porte das empresas e, assim, é possível notar que alguns dos fatores mais considerados no momento da contratação recebem pesos diferentes.

A experiência do candidato lidera nos três segmentos: 82% nas micro e pequenas empresas, 87% entre as médias e 89% nas grandes companhias.

Mas outros pontos têm variações significativas, como na indicação por pessoas relevantes no mercado ou na academia. Enquanto esse quesito é importante para 37% das micro e pequenas, ele aparece em apenas 29% das respostas nas grandes empresas.

Outro ponto com certa diferença está em saber o motivo da demissão de um candidato em seu último emprego. Apenas 16% das médias empresas valorizam a questão, mas nas grandes a porcentagem sobe para 25%.

Mas e quanto aos profissionais que se candidatam às ofertas de emprego, quais são os pontos de preferência? Vamos conferir!

O que os profissionais avaliam em uma proposta de emprego?

Os profissionais parecem saber que as empresas buscam experiência nos candidatos, já que analisar se o cargo tem aderência à sua experiência prévia é o segundo critério mais importantes para eles (46%), perdendo apenas para remuneração (56%).

O desafio proposto pela oportunidade também está em alta entre os candidatos, aparecendo em 45% das respostas.

Já a indicada da vaga por alguém do mercado ou da academia não tem a mesma importância do que no caso contrário. Apenas 9% dos profissionais entrevistaram apontaram esse fator.

Confira os Top 10 fatores que mais chamam a atenção dos candidatos:

  1. Aderência com a proposta de remuneração
  2. Aderência do cargo com a minha experiência prévia
  3. Aderência com o desafio proposto
  4. Aderência à cultura da empresa
  5. Aderência do cargo com a minha formação acadêmica
  6. Nível de benefício não monetários
  7. Distância geográfica
  8. Aderência com o nível hierárquico proposto
  9. Identificação com potencial gestor direto
  10. Indicação de pessoas relevantes do mercado ou da academia

Ainda segundo o estudo da consultoria Robert Half, 59% dos profissionais empregados afirmaram que buscam ativamente por novas oportunidades de trabalho.

Isso indica uma tendência de movimentação nas carreiras, agora o colaborador passa por diversas empresas ao longo de sua jornada profissional ao invés de ficar muitos anos em um mesmo emprego.

Profissionais empregados e desempregados têm diferentes prioridades

A lista acima se refere às respostas gerais dos 700 profissionais entrevistados na pesquisa, mas quando divididos entre aqueles que estão
empregados – nas buscam oportunidades – e os que estão desempregados, podemos notar algumas diferenças nos critérios de avaliação em uma vaga.

Enquanto quem já possui um emprego dá mais importância para critérios como a remuneração (68%) e o desafio proposto (41%), quem está desempregado coloca no topo da avaliação os quesitos de aderência do cargo com experiência prévia (52%) e cultura da empresa (50%).

Ainda sobre a questão salarial, a pesquisa mostrou ainda que os desempregados têm maior abertura para negociação.

60% desses candidatos, dizem ter alta disposição aceitar um salário inferior, enquanto 38% têm alguma disposição. Só 2% não aceitariam baixar a remuneração em comparação ao salário anterior.

Já entre os que estão empregados, aqueles que não têm nenhuma disposição em reduzir salário representam 30% das respostas. Para 43% essa possibilidade “dependeria da oportunidade”.

Como se destacar nos processos de recrutamento?

Agora que vimos quais são os fatores vais valorizados pelos recrutadores e candidatos na hora da seleção para vagas de emprego, só falta saber como se preparar para elas, não é mesmo?

Diante do cenário apresentado pelo estudo, chegamos a algumas dicas para te ajudar nessa missão, esteja você empregado ou não. Confira:

Profissionais empregados:

  • Analise bem o momento e o perfil da empresa na qual pretende se candidatar para saber se está alinha aos seus principais motivadores;
  • Tenha bem definido o porquê de estar motivado a uma movimentação na carreira, pois na hora da entrevista é importante saber explicar;
  • Não tenha medo de aproveitar a entrevista para tirar todas as suas dúvidas sobre a vaga e a empresa. Estar certo da sua decisão é fundamental para não se arrepender depois das primeiras fases de seleção.

Profissionais desempregados:

Um dos maiores desafios aparece para aqueles profissionais que ainda não têm muita experiência profissional, visto que a grande maioria dos recrutadores dão importância à questão.

Nesse caso, uma boa dica é fazer cursos ou até uma graduação, por exemplo. Assim, é possível construir experiências antes mesmo de ter o primeiro emprego.

Outras dicas para quem procura emprego atualmente são:

  • Lembre-se de seu valor: não é por estar desempregado no momento que você está em desvantagem aos outros concorrentes.
  • Estude a empresa e, se possível, as pessoas com quem vai conversar na entrevista. Estar bem preparado e interagir com os recrutadores faz toda a diferença.
  • Apresente as suas qualidades, habilidade e realizações ao longo da carreira nas diferentes etapas de seleção. Caso esteja começando a carreira, os projetos e trabalhos desenvolvidos na faculdade podem contar!

Gostou das dicas e de saber quais são as preferências dos recrutadores? Então inscreva o seu melhor e-mail para receber as novidades, dicas e conteúdos sobre carreira, tecnologia e inovação!

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!