Deep Fakes: o que são e como afetam a segurança na web!

Os Deep Fakes são vídeos criados, juntamente com Inteligência Artificial e Learning Machine, que reproduzem as expressões, aparência e até a voz de (...)

Autor: Redação Impacta

Os constantes avanços no Aprendizado de Máquina e na Inteligência Artificial levaram a inúmeros ganhos tecnológicos. No entanto, pessoas mal-intencionadas estão aprendendo a tirar proveito dessas tecnologias. Nesse contexto, os Deep Fakes são uma das principais ameaças atuais. 
As tecnologias estão cada vez mais acessíveis e, com pouco esforço, é possível produzir conteúdos capazes de influenciar o mercado financeiro ou a opinião pública. Diante desse problema, preparamos este artigo para você entender o que são Deep Fakes, como surgiram e quais são os principais impactos na sociedade. 

   O que são Deep Fakes?

Os Deep Fakes são vídeos criados com o auxílio da Inteligência Artificial e do Aprendizado de Máquina que reproduzem as expressões, a aparência e até a voz de alguém real. O nome vem da união de dois termos em inglês: Deep Learning, que significa aprendizado profundo, e fake (falso).
O Deep Learning é uma evolução da metodologia de aperfeiçoamento de Inteligência Artificial. Ele descende do Aprendizado de Máquina, um conceito que surgiu na década de 1950 e significa colocar um computador para aprender.
O objetivo é fazer o cérebro eletrônico analisar algoritmos até que aprenda como ler informações e tomar decisões precisas. É como se, assistindo a um filme diversas vezes, o dispositivo fosse capaz de reproduzir o que aprendeu contando uma história completamente nova. A técnica tem várias aplicações, de uma plataforma de recomendação de músicas e filmes aos vídeos manipulados.

   Como surgiu a tecnologia do Deep Fake?

O termo surgiu em dezembro de 2017, quando falsos vídeos íntimos envolvendo artistas famosas foram postados na internet. O usuário responsável pelas postagens usava um software de Deep Learning para inserir os rostos das mulheres em conteúdos visuais já existentes.
A partir disso, todos os vídeos editados com o Aprendizado de Máquina e outras ferramentas de Inteligência Artificial passaram a ser chamados de Deep Fakes. No entanto, esse recurso não é novidade: produtoras de Hollywood já utilizam esse artifício há muitos anos, criando rostos e até cenas inteiras de filmes — mas com muito investimento.
Já os novos métodos são bem mais baratos: basta conhecer algoritmos de Deep Learning, ter um bom processador gráfico e imagens que possam ser utilizadas como base para o processo.

  • Como um Deep Fake é criado? 

Na prática, o programador alimenta o software com centenas de fotos e vídeos de uma pessoa. Então, um sistema de Inteligência Artificial faz o processamento das imagens via rede neural. Assim, o computador consegue assimilar os movimentos do rosto, como expressões, sorrisos, reações à luz e sombra, entre outros.
O sistema faz esse processo com o rosto do vídeo base e o novo rosto que se deseja substituir até encontrar um ponto em comum entre as duas faces. Com isso, é possível sobrepor o novo ao original.
Como resultado, temos um vídeo com definição muito fluida. Existem outras tecnologias disruptivas que cumprem funções semelhantes, criando falas com a voz de uma pessoa ou imitando expressões faciais e falas no rosto de outra pessoa.
No início, o Deep Fake exigia que o usuário tivesse grandes conhecimentos de programação. Mas aplicativos foram desenvolvidos para automatizar todo o processo, de forma que o seu uso ficou mais acessível.
A tecnologia exige sistemas avançados de hardware e, por isso, nem sempre a qualidade média dos vídeos é muito boa. No entanto, isso pode ser o suficiente para enganar algumas pessoas.

   Quais são os impactos do Deep Fake na sociedade?

É muito difícil identificar alguns Deep Fakes atuais como sendo montagens, pois os avanços tecnológicos permitem que se torne cada vez mais complicado distinguir um vídeo real de uma montagem desenvolvida por algoritmos. É por esse motivo que esse recurso deverá causar muitos impactos na nossa sociedade. Confira alguns deles a seguir.

  • Política

Um dos principais setores a serem afetados pelo uso de Deep Fakes será o político, especialmente em épocas de eleições. Afinal, o cenário político-eleitoral atual já é um dos mais influenciados pela divulgação de boatos inventados e fake news.
O desenvolvimento de um recurso como os Deep Fakes não será positivo para o setor, principalmente em um contexto político mundial tão dividido como o que vivemos. A utilização desse processo é ainda mais perigosa, tendo em vista que muitos eleitores não seriam capazes de identificar que se trata de uma montagem.

  • Economia

A economia de um país pode mudar com a divulgação de Deep Fakes, especialmente em nações nas quais há muita concentração de capital financeiro originário da compra e venda de ações. É importante lembrar que o valor dos títulos pode variar por diversos motivos, como aquisições de outras empresas, contratos firmados, rumores de mercado e declarações de presidentes e CEOs.
Dessa forma, é possível que pessoas mal-intencionadas e com um bom algoritmo para criação de Deep Fakes utilizem esses materiais para manipular a economia mundial.

  • Justiça

Quando os vídeos são feitos em locais bem iluminados e com alta resolução, pode ser fácil identificar a olho nu uma montagem criada por um algoritmo. Porém, se o vídeo falso for de câmeras de segurança, nas quais muitas vezes a qualidade de iluminação e de gravação é bem baixa, fica praticamente impossível distinguir se as imagens mostradas são reais ou falsas.
Se isso acontecer, evidências em vídeos podem passar a ser desconsideradas em tribunais e júris, causando grandes mudanças no setor.

  • Segurança

Esse tipo de tecnologia abre portas para a criação de Deep Fakes capazes de enganar até mesmo sistemas de reconhecimento facial. Por isso, é fundamental que as empresas entendam os riscos de redes e segurança apresentados por sistemas biométricos.
Também é necessário começar a investir na educação sobre essas ameaças e no fortalecimento de sistemas críticos, contando com o auxílio de profissionais de segurança da informação
A tecnologia de Deep Fakes chegou muito mais rápido do que esperávamos e, certamente, ainda vai causar diversas mudanças em todos os setores da sociedade. Por isso, é importante sempre estar atento ao que é veiculado pela internet e buscar diferentes fontes antes de acreditar em alguma informação. 
Gostou do assunto? Então deixe seu comentário nos contando se você já conhecia a definição de Deep Fakes ou caso ainda tenha ficado alguma dúvida sobre isso!

Não perca nenhum post!