Como o reconhecimento facial está ajudando no combate à criminalidade?

As tecnologias de reconhecimento facial já são uma realidade e estão ajudando na segurança e no combate à crimes. Quer saber como? Confira o artigo (...)

Autor: Redação Impacta

Não pode ler esse artigo agora? Ouça a matéria no Player abaixo:

Qualquer pessoa que deseja estar atualizada em relação às tendências do mercado precisa entender e estar alinhada às tecnologias do futuro. Afinal, elas ditam a linguagem dos tempos e definem inovações que geram impactos positivos em todas as áreas. Uma dessas inovações é o sistema de reconhecimento facial, que está se tornando cada vez mais comum e sofisticado.

Essa tecnologia consiste em utilizar máquinas para uma tarefa que executamos de modo intuitivo: reconhecer pessoas. Com os princípios da visão computacional, ela busca treinar os computadores e ensiná-los a saber quem está em uma foto ou em um vídeo. Dentre as principais aplicações, certamente destaca-se o uso para combater o crime e assegurar segurança, no geral. Tem interesse no assunto? Continue a leitura e saiba mais!

O que é sistema de reconhecimento facial?

Como já falamos, os sistemas de reconhecimento buscam entender fotos e vídeos, a fim de identificar pessoas neles. Ou seja, esses algoritmos recebem como entrada imagens e passam como saída uma relação de quem está presente e dados de porcentagem para determinar o quão precisa está aquela associação. 

Atualmente, também é possível compreender sentimentos e reações, por meio das expressões faciais das pessoas. Esse tipo de aprendizado é um passo importante para que tenhamos computadores-robôs capazes de dialogar com seres humanos, como nos filmes, mas também é fundamental para outras aplicações, como veremos neste artigo.

O reconhecimento é fruto de uma subárea da inteligência artificial chamada visão computacional. Esse ramo diz respeito a qualquer aplicação que faz com que as máquinas identifiquem algo da mesma forma que os seres humanos reconhecem por meio da visão. Ou seja, se colocarmos um objeto para ser percebido por um sistema, essa é uma utilização da visão deles.

No caso de faces, o que acontece é o seguinte: o software processa as informações do rosto humano e, então, faz um cruzamento com uma base de dados existentes, a fim de levantar uma associação.

Como a aplicação realiza uma análise comparativa com os rostos presentes na base, ela estabelece uma espécie de pontuação de similaridade que permite entender qual é a pessoa específica na imagem analisada. Quanto mais alta a pontuação, mais exata a identificação.

Atualmente, temos também o uso de reconhecimento de características faciais para autenticação de smartphones, como uma análise biométrica que tem substituído as digitais.

Como funciona o reconhecimento facial?

Ao examinar um rosto, o sistema de reconhecimento facial realiza o mapeamento de um conjunto de pontos e nós que existem na face humana.

Ele levanta alguns aspectos intrínsecos à composição física, como estrutura óssea, distância entre os olhos, largura do nariz, textura de pele, formato das extremidades do rosto etc. Dessa forma, caso a pessoa esteja usando óculos ou tenha feito alguma mudança estética, o sistema ainda opera bem.

Um dos principais algoritmos para esse tipo de atividade envolve o que chamamos de aprendizado profundo e redes neurais. As redes neurais são um conjunto de neurônios artificiais organizados como nós em diferentes camadas de modo a identificar uma imagem e entender o que ela significa. 

Essas camadas são diferentes em termos de especialização, ou seja, uma é especialista em um certo aspecto, ao passo que a outra é melhor em analisar outro fator. Por exemplo, uma camada pode ser perita em calcular distâncias no rosto, enquanto outra tenha como objetivo principal compreender a textura, são como níveis de entendimento.

Desse modo, cada camada, com seu conjunto de nós, processa a imagem de entrada e realiza uma análise baseada no que ela acha para, então, passar adiante ao próximo nível. Assim, a entrada vai passando pela rede, ganhando novas informações acerca do que ela é de maneira mais precisa.

Por exemplo, a imagem de um rosto passa por uma camada que identifica as formas geométricas e a distância; no outro grupo de nós, podem ser levantados aspectos do formato da face; ao passo que em outro, mais adiante, já seja possível entender quem é essa pessoa. Então, a saída final é finalmente a identificação.

reconhecimento_facial

Quais são as vantagens do reconhecimento facial?

O reconhecimento de faces é uma tecnologia muito importante, com várias boas implicações. Uma de suas vantagens é justamente a precisão, independentemente da diversidade de ângulos. Por exemplo, em uma análise de vídeo a pessoa pode ter passado pela câmera em uma posição que torne a identificação humana difícil. Contudo, até mesmo nessa situação, os algoritmos funcionam bem.

Em alguns casos, como o uso já citado nos smartphones, essa tecnologia facilita a consulta de dados. Imagine que você precise desbloquear o seu celular, mas está com as mãos ocupadas. Com tal inovação, os usuários são capazes de desbloquear somente com o rosto, o que torna a utilização mais fácil e a resolução de problemas também.

Existem aplicativos que requerem reconhecimento para autenticar algumas funções no lugar de senhas, por exemplo. Esse uso é fundamental a fim de gerar redução de tempo para essas funcionalidades, já que tudo é feito sem que o usuário necessite digitar ou até mesmo lembrar do código.

Tal tecnologia ainda pode ser empregada para aumentar a segurança, no sentido de garantir que a pessoa do telefone seja mesmo o proprietário do aparelho, e não um invasor. Alguns bancos digitais apresentam procedimentos que envolvem essa forma de identificação, por exemplo, para prevenir problemas de exposição de dados pessoais. 

Como é o uso do reconhecimento facial no combate à criminalidade?

Aliás, um dos vieses mais interessantes do uso dessa tecnologia é na segurança e no combate ao crime. Diversas iniciativas envolvendo essa relação estão surgindo no mercado atualmente.

A inovação já está sendo aplicada para ajudar na segurança pública, como identificação de foragidos em praças ou em festas. Nesse caso, existe um monitoramento de todas as faces a fim de buscar pessoas específicas.

Também se destaca o emprego para controle de acesso em empresas e residências, com a autenticação sendo feita com o rosto da pessoa. Isso ajuda a prevenir a entrada de suspeitos e permite que somente conhecidos tenham acesso aos locais.

Em tais casos, é possível ainda configurar o sistema para gerar alertas quando há um grande número de tentativas por pessoas desconhecidas.

Do mesmo modo, organizadores de eventos estão aplicando esse tipo de credenciamento como um meio de identificar indivíduos sem o uso de documentos. Essa é uma maneira mais precisa, inclusive, já que supera a questão da clonagem. 

Existem países, como a China, que já adotaram o uso massivo de reconhecimento. Eles monitoram a população de forma a identificar quaisquer tipos de ações que infrinjam a lei, desde os crimes menores até os mais sérios. Assim, eles combatem os indicadores de comportamentos criminosos e de problemas com violência e outras questões afins.

A tecnologia de reconhecimento facial já é uma realidade atualmente, seja em uso de aplicações por governos para garantir menos crimes, seja por usuários comuns em seus celulares. Por isso, é importante saber mais sobre essa ferramenta para se adaptar às demandas modernas do mercado e estar preparado para novos empregos.

Se você gostou do nosso conteúdo e abordagem acerca do reconhecimento facial, não deixe de compartilhá-lo com seus amigos nas suas redes sociais!

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!