Afinal, o que é intraempreendedorismo e como impacta a carreira?

Você sabe o que é intraempreendedorismo? Saiba que essa característica é cada vez mais valorizada por empresas e importante para a carreira. Entenda (...)

Autor: Bruno Silva Saes

Não é novidade que as empresas procuram por profissionais que tenham conhecimentos técnicos em suas áreas de atuação. Mas você sabia que também é preciso compartilhar de habilidades comportamentais alinhadas à cultura da companhia? Uma dessas soft skills está diretamente ligada à crescente busca por inovação, que é tão importante na atualidade. Trata-se do intraempreendedorismo.
Empreender dentro da organização não é um conceito novo. Aliás, o tema foi abordado pela primeira vez no ano de 1985 e consta no livro “Intrareneuring: why you don’t have to leave the corporation to become an entrepeneur”. No entanto, a disrupção colocou o conceito em um nível mais aprofundado.
A obra citada foi escrita pelo empreendedor Gifford Pinchot III e, nos dias atuais, está até mesmo um pouco ultrapassada — principalmente quando pensamos nos ambientes de startups. De toda forma, o conceito ficou marcado na história e hoje tem uma importância significativa para encaminhar uma nova forma de contribuir para a evolução de uma empresa.
Quer saber como desenvolver habilidades de intraempreendedorismo pode contribuir para o seu sucesso profissional? Leia este conteúdo até o final!

O que é intraempreendedorismo?

O intraempreendedorismo é uma prática que parte do empreendedorismo. O que diferencia os dois universos, no entanto, é que o primeiro é um conceito no qual os colaboradores de uma empresa estão tão alinhados com o crescimento da companhia na qual trabalham que atuam como donos do negócio
A cultura da inovação combinada ao sentimento de dono permite que profissionais das gerações X, Y ou Z se destaquem, ao apresentarem ideias que beneficiam toda a empresa.
Tais benefícios, aliás, podem ser os mais diversos: redução de gastos, otimização de processos, melhoria do ambiente de trabalho ou mesmo a criação de novos produtos. O que importa é agregar valor.

Foco na inovação e no resultado

Para trabalhar com uma mente intraempreendedora, os profissionais não podem ter medo de correr riscos e ousar. São pessoas que estão conectadas ao que há de novo no mercado, coletando ideias que possam potencializar a competitividade da companhia na qual estão inseridas.
Na prática, uma cultura que permite o intraempreendedorismo apresenta benefícios em diversas frente, como:

  • na oferta de produtos ou serviços;
  • na melhoria de processos;
  • no desenvolvimento da estratégia de negócio;
  • na satisfação do cliente;
  • na experiência dos colaboradores com a empresa.

Ou seja, intraempreender é trabalhar com uma forte visão de mercado. Mais do que “vestir a camisa”, o profissional que desenvolve tais habilidades está disposto a sair da sua zona de conforto e a pensar além do seu escopo de trabalho. Dessa forma, consegue contribuir para o desenvolvimento da empresa, brilhando os desafios do mercado de trabalho.

Qual a diferença entre intraempreendedorismo e empreendedorismo?

A semelhança entre as palavras gera confusões conceituais — e está tudo bem. No entanto, intraempreender e empreender são questões distintas, que se conectam nos detalhes.
O empreendedor é aquela pessoa que, por vocação ou desejo, inicia um novo negócio próprio, a partir de necessidades coletadas no mercado ou de uma área em que tem muito a contribuir.
Intraempreender, por sua vez, é levar o mindset ousado do empreendedorismo para o ambiente de trabalho. É trabalhar em um escopo no qual a fase inicial da criação da companhia já foi realizada, sendo necessário dar os próximos passos, para que a empresa siga crescendo ou aprimore o que já está rodando.
Ao empreender, é comum que exista uma nova ideia de negócio. No caso do intraempreendedorismo, a empresa já existe e está em funcionamento, mas pode ser levada à outro nível com a participação de seus colaboradores.

Onde é encontrado o intraempreendedorismo?

Algumas questões fazem com que o intraempreendedorismo seja possível. Entre elas está a construção de um ambiente propício para tal. Isso, claro, vai depender do formato da empresa, do estilo, do nível de maturidade da companhia no cenário digital e, até mesmo, do volume de riscos que podem ser sustentáveis para a saúde da companhia.
Uma empresa que permite o intraempreendedorismo é aquela que:

  • apoia financeiramente a criatividade, direcionando recursos para a criação de novos produtos ou sistemas que a beneficiem;
  • estimula o risco e entende a falha como parte do processo de evolução de novos formatos;
  • reconhece funcionários que se envolvem com a construção de ideias que vão além do padrão;
  • cria uma ambiente seguro e amigável para a cultura da inovação, fornecendo as ferramentas necessárias para que o trabalho sejam bem feito.

São companhias como a Google, a Netflix e o Facebook — grandes players do mercado que podem ser citadas como bons exemplos de ambientes intraempreendedores.

Quem é o intraempreendedor?

Existem algumas habilidades interessantes que são recorrentemente encontradas nos profissionais que desenvolvem as habilidades de intraempreendedorismo.
Até agora, já compreendemos como é essencial um ambiente criativo para a inovação. Mas existem determinadas características que afetam a carreira do profissional.
O perfil profissional de grandes empresas traz alguns pontos que são importantes em um ambiente intraempreendedor. Entre eles:

  • uma inquietação contínua;
  • a capacidade de motivar o time e envolver a equipe em torno de um objetivo;
  • um trabalho centrado no cliente;
  • a atuação voltada para o macro — e não para benefícios próprios;
  • uma experiência prática, com conhecimentos de tarefas operacionais;
  • a capacidade de tomar decisões rápidas e estratégicas;
  • o equilíbrio para reconhecer a hora de seguir outro caminho.

Ou seja, o mercado já não busca mais um único perfil de profissional, subserviente e preparado para seguir regras rígidas de atuação. Há uma opção de carreira para o colaborador que quer crescer junto da empresa e seguir uma abordagem de atuação intraempreendedora.
Enfim, o intraempreendedorismo é a prática de aplicar a ousadia do empreendedorismo dentro de uma empresa. Para isso, os colaboradores são estimulados a se engajarem com a evolução do negócio, explorar avançados tecnológicos e propor novas ofertas ou soluções para processos que podem ser aprimorados.
Quando a equipe é incorporada na construção de um ambiente de trabalho mais rico e no desenvolvimento de novas ofertas, os resultados tendem a ser muito positivos. Para o profissional, essa é uma oportunidade incrível para acelerar a sua experiência prática na carreira.
O que você achou de aprender como o intraempreendedorismo impacta a sua carreira? Continue aprendendo e saiba o que é preciso para trabalhar em uma startup!

1 Comentário

    Deixe o seu comentário!

    Não perca nenhum post!