O que faz e como se tornar um designer gráfico? Descubra!

O Designer Gráfico ainda tem bastante espaço no mercado. Saiba quais as opções de especialização e como se preparar para o novo cenário. Descubra (...)

Autor: Jéssica Lima

Desenvolver projetos de comunicação visual e dialogar por meio de mensagens estéticas: assim pode ser definido o trabalho de um designer gráfico. Ao explorar habilidades de criatividade, empreendedorismo, agilidade e atenção aos detalhes, o profissional pode se destacar e ter grande sucesso no mercado de trabalho. Mas como é a área de design gráfico em tempos de transformação digital?
O profissional pode atuar tanto no ambiente digital quanto fora dele, criando peças visuais para empresas. É essa comunicação baseada na estética das artes, mas embasada no alinhamento às necessidades de cada projeto, que faz com que o designer gráfico tire as peças visuais do campo do planejamento. Elas nascem a partir da necessidade de resolução de um problema e com foco em um objetivo final.
Para que você entenda de uma vez por todas o que faz e como trabalhar com design gráfico, leia o conteúdo até o final! Separamos dicas imperdíveis que vão orientar para que consiga equilibrar planejamento de carreira com sucesso profissional.

O que faz um designer gráfico?

O designer gráfico pode ser definido como o profissional que soluciona questões de design ao utilizar de técnicas e conhecimentos específicos para sua área. Por isso, é impossível colocar em uma única caixa todas as habilidades desse especialista. 
O profissional, ainda que possa ser muito versátil, deve ter um aprofundamento direcionado para uma das muitas áreas de atuação. Entre elas podemos citar:

  • produção gráfica, elaborando peças que serão impressas, a exemplo de folhetos, folders, banners, adesivos, embalagens, rótulos, cartões de visita etc;
  • design digital, atuando com a criação de sites, imagens para redes sociais, apresentações, entre outros;
  • branding, atuando com logotipos e outros trabalhos de identidade visual;
  • animação, que pode seguir vertentes variadas, como o formato tradicional ou o stop motion.

Como uma ferramenta diretamente ligada ao marketing, o design gráfico se conecta intimamente com as estratégias de uma empresa. Esse entendimento, aliás, é uma das qualidades profissionais buscadas pelas empresas.
Em outras palavras, para um negócio que está sendo estruturado, é um ponto de partida que exista o alinhamento da forma de comunicar visualmente. Já para empresas em outros estágios, o designer gráfico é essencial para garantir a competitividade no mercado e o engajamento do público-alvo com a marca.
Mas quais são os pré-requisitos para trabalhar como designer gráfico? Na verdade, eles não existem, principalmente por se tratar de uma área que é muito versátil e que abrange inúmeros segmentos. Ainda assim, algumas qualificações são interessantes e são primordiais em qualquer trabalho relacionado à transformação digital.

Qualificações importantes para um designer gráfico

O perfil de um designer gráfico deve abranger algumas funções do design. Elas estão relacionadas à criatividade, curiosidade, afinidade com a tecnologia, conhecimento de processos produtivos, além de habilidades de relacionamento interpessoal.
Além de atuar na criação de trabalhos, o designer também deve manter um contato constante com o cliente. Por isso, precisa saber ouvir e ter paciência para realizar ajustes necessários e conseguir passar bem a sua mensagem. Essas são as chamadas soft skills.
Afinal, o designer gráfico é aquele que literalmente tira uma ideia do papel e a transforma em realidade (ou mesmo em um produto palpável). Porém, existem outros pontos que explicam o motivo da ascensão da carreira. Entenda a seguir.

Por que a carreira de design gráfico está em ascensão?

É crescente a procura por profissionais do design gráfico. Com o fortalecimento da comunicação digital e o crescimento de processos realizados no campo online, ter um cuidado com a estética das interações faz muita diferença.
Pesquisas indicam que o Brasileiro gasta cerca de 200 minutos por dia no uso de aplicativos. Outro dado interessante é o de que, no país, a população tem em média 83 aplicativos instalados no celular.
Surpreendente? Não para o mercado. Com muitas mudanças e novas formas de relacionar e comunicar, está evidente a necessidade de investir em profissionais qualificados e que possam transmitir as mensagens adequadas para ferramentas, plataformas e ambientes novos.
Enquanto o digital ganha cada vez mais força, o impresso tradicional também é reinventado. Ideias inovadoras, que estimulam o envolvimento, surpreendem e dão novo gás às interações entre empresas e consumidores, vêm sendo exploradas.

Como se destacar como designer gráfico?

No geral, o ambiente de quem trabalha com design está em constante evolução, seguindo as necessidades da transformação digital e as tendências de mercado.
Por isso, o profissional deve focar em 3 pontos principais:

  • respeito aos prazos;
  • capacidade para atuar em equipes;
  • criatividade para propor soluções.

O designer gráfico que deseja se destacar no mercado precisa reforçar o seu currículo com conhecimentos mais aprofundados. Entre eles, estão em alta áreas como o UI Design, ou user interface (interface do usuário), que permite a criação de layouts alinhados à interação do usuário com o ambiente digital.
Noções de programação também são uma importante pedida. Isso faz com que a ideia estética seja pensada alinhada ao seu bom funcionamento, tanto em uma página ou em um aplicativo.

Combinar cursos pode ser um diferencial

Se a sua ideia é investir em uma graduação em Jogos Digitais, saiba que o design gráfico também está intimamente relacionado. Dessa forma, combinar os cursos pode ser um grande diferencial competitivo.
Mas isso não é tudo. O designer gráfico deve ter um bom currículo, assim como um portfólio completo, para que possa apresentar qual é a sua forma de trabalhar. Uma presença online sólida, que sirva de referência, também garante pontos extras.
Para quem quer seguir uma carreira com uma veia empreendedora — e ter uma cartela de clientes — o networking é uma habilidade primordial. Inclusive, essa rede de contatos pode ser importante até mesmo para a conquista de indicações a boas oportunidades no mercado.
O designer gráfico é um profissional muito importante tanto para o campo do marketing quanto para agências de assessoria de imprensa. Mas também pode ser procurado por empresas dos mais variados portes e estilos, que buscam um profissional capaz de construir uma comunicação visual para o negócio. Por isso, um curso completo, em uma instituição sólida, é um primeiro passo a ser dado.
É com a ligação entre branding, novas tecnologias e comunicação que o designer gráfico potencializa a sua importância no mercado de trabalho. Por isso, para se destacar, o profissional deve acompanhar as mudanças no setor, ficar por dentro das tendências, ser empreendedor e saber apresentar as suas criações.
Gostou do que descobriu neste conteúdo sobre a profissional do designer gráfico? Entre em contato. Estamos à disposição para esclarecer todas as suas dúvidas!

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!