HTML5: você não percebeu, mas o futuro já chegou

O HTML5 é uma linguagem de programação que substitui o Flash no quesito de reprodução de vídeos, se resumindo no futuro dos vídeos na web.

Autor: Redação Impacta

Por Diego Cordeiro,
Com certeza você já ouviu falar do HTML5 – no mínimo, deve saber que a atualização da linguagem usada na web deverá substituir o Flash na hora de rodar vídeos online. Sem dúvidas, o suporte nativo para vídeos é a característica que mais ganhou destaque – os testes mais famosos com o HTML5 estão nessa área, com o YouTube e o Vimeo permitindo que usuários experimentem um pouco do que será o futuro.

Mas isso não é nem o começo do que o HTML5 pode fazer pela internet.
Na verdade, a discussão em torno da linguagem dá a impressão de que o HTML5 se reduz ao futuro do vídeo na web. Mas a situação é bem diferente. A atualização da linguagem tem como principal objetivo tornar a utilização de apps na web cada vez mais semelhante ao uso de apps em desktops – aí sim a computação nas nuvens causará um impacto mais amplo.
A principal colaboração da linguagem está no uso de tags estruturais como “<header>”, “<footer>”, “<section>” e “<article>”, que permitirão definir com mais clareza o conteúdo de páginas e tornarão resultados de buscas melhores e mais relevantes para os usuários.
Outras características do HTML5 são o suporte a gráficos animados, geolocalização, aceleração de hardware para navegadores, capacidade de continuar executando apps da web mesmo sem conexão, entre outras. Ou seja: HTML5 não é só vídeo.
Por exemplo, a nova versão da linguagem poderá substituir o Flash em outras funções. O site Scribd utiliza o HTML5 para permitir a visualização de documentos diretamente no navegador, ao invés de utilizar o Flash ou o Adobe Reader para gerar documentos com muitas imagens ou fontes (clique aqui para ver uma apresentação em HTML5 explicando as novidades do Scribd).
O Gmail é outro que já usa as novidades para tornar a experiência do usuário cada vez mais satisfatória, utilizando os avanços da linguagem para permitir que seja possível trabalhar com e-mails mesmo sem conexão com a internet. O Google Docs também já tem funções de armazenamento offline semelhantes. Até a página de buscas do Google já usa HTML5, apesar de você não saber disso.
O calcanhar de aquiles da atualização da linguagem está na adoção das novidades pelos desenvolvedores de browsers: se o navegador não tiver suporte, você simplesmente não irá desfrutar das maravilhas do HTML5. Isso dá a impressão de que a aplicação do novo padrão está longe de ser realidade. Mas, se você pensa isso, não poderia estar mais enganado. Para todo lugar que você olhe na web, o HTML5 está lá – mesmo que ainda seja em caráter experimental.
Com informações do blog webmonkey. Leia o post original e completo aqui.
Curtiu o post? Deixe seu comentário nos contando se foi relevante para você ou caso tenha mais alguma dúvida sobre a plataforma!
 

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!