Guia prático para planejar seu intercâmbio estudantil

Com o mercado de trabalho cada vez mais exigente, principalmente quanto ao domínio de idiomas, é preciso pensar em formas de potencializar esse aprendizado. (...)

Autor: Rogério Ramalho

Com o mercado de trabalho cada vez mais exigente, principalmente quanto ao domínio de idiomas, é preciso pensar em formas de potencializar esse aprendizado. Hoje, o intercâmbio estudantil é uma das melhores maneiras de conseguir uma experiência incrível em um país diferente e, ao mesmo tempo, conquistar a fluência em uma língua estrangeira.
Além dos benefícios para o seu próprio crescimento pessoal, é válido reforçar a importância do intercâmbio para a carreira. Afinal, com outro idioma no currículo, você terá maiores chances de conseguir melhores salários, posições mais interessantes nas empresas e uma facilidade enorme de se comunicar com profissionais de todos os cantos do mundo.
Mas como escolher e se preparar para um intercâmbio estudantil? Se está pensando nisso ou começou a se interessar agora, este guia foi feito especialmente para você! Boa leitura!

Por que fazer intercâmbio estudantil?

Há inúmeras razões para se investir em um intercâmbio estudantil. Dentre elas, a principal podemos dizer que é tornar-se um cidadão do mundo — você já ouviu esse termo em algum lugar? Pois é, uma pessoa que é capaz de conversar em outra língua é alguém que certamente poderá se comunicar em vários países.
Lembre-se de que o inglês é, por exemplo, conhecido como a língua dos negócios e praticamente virou um idioma obrigatório de se aprender em qualquer lugar do globo. Outras boas razões para fazer um intercâmbio estudantil são ganhar mais independência e fazer novas amizades. Veja outras vantagens de apostar nisso!

Conhecer a fundo uma cultura diferente

Sim! Se você escolhe aprender um idioma em outro país, terá a chance de vivenciar alguns hábitos bem de perto e conhecer melhor uma cultura totalmente diferente da sua. É essencial dizer também que uma experiência de intercâmbio, muitas vezes, abre o seu horizonte para uma infinidade de possibilidades na vida e na profissão.
É normal, por exemplo, que alguém que tenha passado 2 semanas em aprendizado intenso em um intercâmbio volte com uma bagagem cultural enorme para casa. Isso faz com que a pessoa aprenda coisas que nem imaginava e passe a ter propriedade para falar sobre assuntos diversificados, principalmente quando se tratam do país onde esteve.

Começar a pensar em outro idioma

Sabia que uma das coisas mais gratificantes quando se faz um intercâmbio estudantil é quando você começa a pensar em outro idioma? O mais interessante disso é até mesmo sonhar em uma língua diferente. Alguns especialistas dizem que isso é, inclusive, um sinal de que você está realmente aprendendo a falar um idioma diferente do seu maternal.
Tem coisa mais incrível do que não precisar ficar buscando palavras na mente para formular frases? Tudo se torna mais fácil quando se pensa e fala na mesma hora — assim, você ainda transmite firmeza no domínio de uma língua, o que é excelente em entrevistas de emprego, reuniões com profissionais nativos de outros países, entre outros.

Ter lembranças para o resto da vida

Fazer uma viagem é algo muito bom e engrandece qualquer pessoa. Mas já pensou em quantas lembranças importantes você terá para o resto da vida? Quando se opta por uma aventura nos moldes de um intercâmbio, você não só viaja, como aprende enquanto está conhecendo um lugar que escolheu estar.
Outro detalhe que pode mudar bastante a forma como você encara aprendizados é exatamente o fato de “ser obrigado” a usar uma língua diferente da sua no dia a dia. Então, prepare-se, pois geralmente muitas histórias divertidas vão aparecer durante o seu intercâmbio, principalmente quando se fala em mal-entendidos ou gírias engraçadas.

O que é intercâmbio estudantil?

Caso você ainda tenha dúvidas sobre o que é esse tipo de aprendizado, aqui vão algumas definições: o intercâmbio estudantil começou a ser muito disseminado anos atrás, e era conhecido como uma espécie de troca de estudantes e seus países.
Por exemplo: uma casa nos EUA recebia um estudante brasileiro e, para o Brasil, vinha passar um tempo o aluno americano. Isso era conhecido como intercâmbio no sentido mais puro do termo — ou seja, acontecia uma troca de experiências entre pessoas com os mesmos objetivos e metas, entre outros detalhes. Mas, com o tempo, essa prática foi ficando popular e novas modalidades surgiram.
Hoje, o intercâmbio não precisa mais, necessariamente, ser uma troca entre alunos de lugares diferentes. Também é feito para pessoas que queiram partir para uma experiência nova.

Quais os benefícios do intercâmbio estudantil?

Até o momento, você já conseguiu notar que uma experiência de aprendizado com foco em estudar no exterior só tem a agregar na sua vida, certo? Porém, é sempre bom ir mais a fundo nos benefícios que essa iniciativa traz a você, para que fique bem claro os motivos pelos quais deve escolher investir no seu próprio conhecimento. Alguns dos mais importantes você vai conhecer a seguir.

Aprender rápido outro idioma

Mesmo que você esteja cursando uma escola de idiomas no Brasil em período quase integral, ao sair da instituição vai se deparar com a língua brasileira, costumes e o cotidiano do nosso país. O que isso significa? Que mesmo fazendo o possível, fica difícil estar submerso em uma outra língua que não seja a sua maternal.
Optando pelo intercâmbio estudantil, por exemplo, você está em contato com outro idioma 24 horas por dia, 7 dias da semana. Ou seja, o aprendizado é bem mais intenso do que a opção de estudar em uma escola no Brasil. Com isso, você aprende rápido a língua, e ainda consegue conhecer gírias, dialetos e costumes do país em que está.

Descobrir novos interesses

Já pensou se durante o seu intercâmbio você descobre que tem facilidade em orientar outras pessoas a se virarem bem em uma cidade desconhecida? Ou que pode ser um ótimo guia de turismo? E até mesmo cozinhar receitas diferentes e bem elaboradas? Habilidades como essas e interesses novos são potencializados quando se viaja por um período.
Isso também é muito interessante, pois você começa a enxergar coisas que nem chamavam a sua atenção antes. O que acontece é que, ao voltar para casa, além de ter algumas habilidades novas no seu repertório, você terá também vontade de explorar outros caminhos que podem até mesmo mudar a sua vida para melhor.

Conhecer a si mesmo

Pode parecer que não, mas existem muitas pessoas que não se conhecem muito bem, não sabem exatamente o que querem fazer da vida ou qual carreira seguir — e até o que realmente gostam e se identificam fazendo no seu dia a dia. Uma viagem como a de um intercâmbio, por exemplo, é um momento especial em que você precisa enfrentar algumas situações sozinho.
Um dos resultados desse tempo em que você passa contando com a própria força de vontade e dedicação é o autoconhecimento. Às vezes, algumas dificuldades podem surgir (como barreiras com a língua) e você percebe que é menos tímido do que imagina ou que pode, sim, enfrentar qualquer tipo de desafio que venha pela frente.
O autoconhecimento é algo extremamente importante e que pode fazer de você alguém mais maduro e preparado para encarar tudo o que esse mundão tem reservado! Vala a pena, viu?

Fugir da rotina

Gosta de viajar, mas não de enfrentar horas e horas em filas de museus, com milhares de turistas? Ou de ter que ficar em hotel, com hora marcada para realizar qualquer atividade turística? Então, o intercâmbio estudantil é realmente a melhor opção para você fugir da rotina viajando, divertindo-se, conhecendo novas pessoas e fazendo passeios bem diferentes!
É bom ressaltar que, durante uma viagem com foco mais nos estudos, a rotina acaba ficando mais amena e natural, como se você não estivesse sendo totalmente um turista — mas sim conhecendo em detalhes aquela cidade, comunidade, lugares ímpares da região, entre outros.

Por que é preciso planejar?

Agora, entramos em uma fase fundamental para que o seu intercâmbio estudantil dê certo em todos os sentidos. Primeiro, planejar-se é algo essencial quando se pensa em viajar, não importa o formato que você escolha. Afinal, tem uma série de detalhes importantes, como separar dinheiro, escolher quantos (e quais) dias que ficará, qual escola vai procurar, o que levar e muito mais.
Então, digamos que planejar é a alma dessa viagem. O ideal é que você se organize o máximo possível com, no mínimo, 6 meses de antecedência. Isso ajuda bastante também na questão de poupar um dinheiro a mais na compra de passagens e em pacotes de escolas de intercâmbio que, vez ou outra, estão fazendo alguma promoção.
Faça também uma ampla pesquisa de países interessantes e que falem a língua que você pretende estudar ou que tenham o curso que você gostaria de fazer enquanto aprende. O Canadá, por exemplo, é um destino excelente para quem atua em tecnologia e áreas correlatas, além de usar o inglês e francês como idiomas oficiais.
A Espanha já é um país muito bom para quem gosta de artes e arquitetura, além de ser o berço da língua espanhola. Já a França também é apontada como um dos lugares mais interessantes para a tecnologia sustentável, moda e artes em geral. Certamente, vai ajudar você a ficar afiado no francês, uma das línguas mais faladas do mundo — além de ser super respeitada.

Como definir para onde ir?

Com muitas opções de destinos a explorar mundo afora, definir para onde ir pode ser um pouco difícil sim, sejamos francos. Mas para tirar isso de letra, nada melhor do que conversar com pessoas que já fizeram intercâmbio, pesquisar na internet os lugares mais interessantes dos últimos tempos e conferir quais são os países com mais oportunidades para a sua carreira.
Tenha em mente também o tempo de viagem e o clima do lugar. Isso porque há pessoas que não gostam de um inverno muito rigoroso e podem acabar escolhendo ir para Londres em janeiro (época em que existe a possibilidade até de nevar) ou que não é muito fã do verão europeu (em que as temperaturas batem os 50°C) e ir para a Itália nessa época.
Quer mais uma dica? Faça uma lista com todas as características dos países que mais chamam a sua atenção e elimine, aos poucos, alguns por quesitos que você prefere evitar. Além de ajudar de um jeito mais rápido na escolha, ainda abre a oportunidade para aprender bastante sobre o destino antes mesmo de viajar.

Quais são as opções de cursos?

Vamos ao que interessa, qual curso escolher! Confira algumas opções mais comuns pelas quais os estudantes optam.

Curso de idiomas

É a modalidade mais procurada para quem quer fazer um intercâmbio estudantil e em opções para praticamente todos os países do mundo! Com o curso de idiomas, você pode escolher aprender inglês, espanhol, francês, italiano, turco, japonês, chinês e tantos outros idiomas. E há possibilidades de imersão a partir de 2 semanas.
Um detalhe que vale muito a pena nesse tipo de intercâmbio é que você pode escolher também onde ficar hospedado. Veja algumas opções!

Em casa de família

Aqui, você é selecionado para “morar” em uma casa que seja de família parecida com o perfil que você quiser. Tem casais jovens, de pessoas maduras, com crianças, com outros estudantes, entre outros. A vantagem é que você passa a conhecer ainda mais como vivem as pessoas daquele país, os seus hábitos e até cria laços importantes com a família.

Na universidade

Se você quer ser mais independente, mas continuar em um ambiente bem ligado ao meio acadêmico, pode optar pela hospedagem nos alojamentos estudantis de universidades que oferecem cursos para estrangeiros. Essa opção é uma das mais em conta.

Em apartamento privativo

Agora, se você quer ter seu próprio espaço, receber quem quiser e se sentir realmente como um morador local, nada melhor do que alugar um apartamento na cidade em que vai ficar. Porém, essa opção é a mais cara e para alugar nem sempre é fácil, pois os proprietários tendem a pedir uma série de documentos.

Estágio dentro da sua profissão

Quem disse que não dá para fazer um intercâmbio estudantil e trabalhar ao mesmo tempo? Para quem quer dar uma guinada na carreira, procurar por empresas que são abertas para profissionais recém-formados ou com alguma experiência é a opção ideal! Algumas oferecem estágios não remunerados, e outras pagam pelas horas trabalhadas.

Graduação sanduíche ou integral

Você sabia que muitas faculdades no Brasil e em outros países oferecem a oportunidade para que os alunos cursem alguns meses ou módulos em um outro local? Isso quer dizer, por exemplo, começar a graduação aqui e fazer o próximo semestre em uma instituição na Inglaterra.
Tem ainda a possibilidade de você fazer o curso inteiro em outro país. Nesse caso, o seu intercâmbio será muito mais intenso, com uma duração maior que 3 anos — e a preparação para ingressar em uma universidade lá fora também exige alguns detalhes a mais, como boas pontuações.

Pós-graduação, MBA ou especialização

Assim como na opção da graduação, você poderá cursar uma pós na modalidade sanduíche ou até por tempo integral. Vale a pena ver quais são as suas condições, que momento da sua carreira você está vivendo e de que forma poderia conciliar esses cursos com a vida profissional.
Afinal, nesses casos, a pessoa geralmente já atua no mercado, tem uma vida que está começando a engrenar e talvez a opção sanduíche seja a mais indicada! Ela garante, por exemplo, já ter uma experiência enorme lá fora e voltar para o Brasil com um currículo de ouro!

Au Pair

Essa modalidade de intercâmbio estudantil é mais voltada para jovens de até 22 anos. A característica principal dela é que o au pair é uma mistura de trabalho como cuidador de crianças e, nas horas livres, estudar o idioma local em uma escola.
Um benefício é que você geralmente mora na casa da família da criança, recebe pelo trabalho e pode passear com essas pessoas. Muitos jovens optam por esse intercâmbio porque, de certa forma, é uma maneira intensa de aprender, relacionar-se e ainda aproveitar a viagem de um jeito bem em conta.
Como você viu, existem muitas formas de fazer um intercâmbio estudantil — e cada uma delas é um investimento interessante que proporciona a você grande aprendizado. O ideal é escolher a opção que mais esteja ligada aos seus objetivos no momento e ao você pretende para o futuro.

Como tirar passaporte e visto?

Você escolheu o destino e a modalidade do intercâmbio estudantil? Então, chegou uma das horas mais importantes na preparação: o passaporte e o visto. A primeira coisa que você deve saber é que o passaporte deve ser feito com um tempo de antecedência, para que não corra o risco de perder a viagem e, é claro, não ter que pagar pela emissão emergencial do documento (que é bem mais cara).
Para tirar, é fácil: você precisa entrar no site da Polícia Federal, preencher os campos obrigatórios para a solicitação do documento, pagar a GRU (Guia de Recolhimento da União) e fazer a marcação do dia e horário para comparecer a uma das unidades da Polícia Federal da sua cidade ou região.
Lembre-se de levar todos os documentos que são solicitados, pois na falta de um deles o seu pedido será anulado e será preciso fazer tudo novamente. Depois disso, você deve aguardar um e-mail com a confirmação de que o passaporte está pronto e ir buscá-lo.
Atenção: se você já tem um passaporte, ele deverá ser válido por, no mínimo, mais 6 meses a partir da data de retorno da sua viagem, ok? Mas se for fazer pela primeira vez, precisa saber que, de agora em diante, ele tem a validade de 10 anos.
Já quanto ao visto, isso depende muito do país que você escolher. Alguns não o solicitam para quem ficar por até 90 dias, como os destinos europeus. Outros exigem obrigatoriamente um pedido prévio de visto, como os Estados Unidos, Canadá, entre outros.
É bom ficar bem atento a isso. A dica é checar no site do consulado no Brasil o destino que você decidiu viajar para o intercâmbio.

Como avaliar agências de intercâmbio?

Para não ter surpresas desagradáveis antes ou durante a sua viagem de intercâmbio, é importante checar se a agência que você pretende fechar contrato é segura, confiável e tem um bom nível de satisfação dos clientes. E como saber isso? Na própria internet há vários relatos que você pode conferir, como nas páginas do Facebook, Instagram e assim por diante.
Outra dica é conversar com amigos que já fizeram intercâmbio estudantil e pedir informações ou sugestões de agências que fazem esse tipo de viagem. Sem dúvidas, quanto mais dados sobre as empresas você tiver em mãos, melhor para não errar na sua decisão. Não se esqueça de que estamos falando de um investimento!

Quais são os custos do intercâmbio estudantil?

Isso depende muito do tempo, país e qual modalidade de intercâmbio você pretende fazer. Um detalhe que também faz muita diferença é a moeda oficial do seu destino.
Mas, uma estimativa rápida só para você ter uma noção é de que se gaste entre R$ 4.000 e R$ 10.000 em um intercâmbio estudantil.

Como economizar e juntar dinheiro?

Em qualquer viagem, sempre é importante levar uma quantia de dinheiro que ajude você a ficar sem preocupação com a alimentação, despesas diárias, transportes etc. Para um intercâmbio, isso não é diferente!
O ideal é que você comece a economizar desde o momento em que decidir viajar — poupar sempre que puder e evitar gastos desnecessários antes da sua viagem são ótimos hábitos. Não se esqueça de que, durante o seu intercâmbio, você possivelmente vai comprar lembrancinhas, vai querer conhecer lugares novos, comer fora e por aí vai.
Então, mantenha o foco na viagem e guarde qualquer dinheiro que puder. Se ainda conseguir fazer algum trabalho freelancer, melhor ainda!
Agora, você tem as informações mais importantes para decidir pelo intercâmbio estudantil ideal. Pense sempre que esse é um investimento que poderá abrir muitas oportunidades na sua carreira profissional, além de trazer muito conhecimento pessoal para você. Que tal embarcar nessa viagem rumo ao aprendizado e ter algumas das melhores experiências da sua vida?
Se gostou do nosso guia sobre intercâmbio, aproveite a visita ao nosso blog para descobrir como driblar os desafios do mercado de trabalho!
[rock-convert-cta id=”2784″]

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!