Dúvida sobre como trabalhar como freelancer? Confira o nosso guia!

Freelancer é um termo bastante usado para definir aqueles que trabalham por conta própria e não estão necessariamente comprometidos com um empregador (...)

Autor: Redação Impacta

Pode ser pelo desemprego e lenta recuperação econômica ou pelos atrativos de trabalhar como freelancer, o fato é que a quantidade de trabalhadores autônomos no Brasil tem crescido consideravelmente. Segundo um levantamento do IBGE, são mais de 24 milhões de brasileiros nessa situação. Já de acordo com a Forbes, nosso país fica na terceira posição dentre as nações com maior número de pessoas trabalhando por conta própria — só perde para Colômbia e para Grécia.
Em países mais desenvolvidos e para pessoas com ótima formação, a opção em trabalhar como freelancer tem a ver com ser mais dono da sua rotina e realmente escolher os projetos em que se vai atuar com mais autonomia. Por exemplo, é possível negar alguma atividade maçante, o que não seria uma realidade para quem tem vínculo com CLT.
Nesse sentido, o trabalho como autônomo tem atraído cada vez mais jovens que querem fugir de rotinas, de prestar excessivas explicações para os chefes e que buscam criar um portfólio rico e cheio de possibilidades.
Para ser um freelancer bastante requisitado e poder escolher os projetos em que deseja trabalhar (em vez de aceitar tudo e somente aceitar), é preciso estudo e organização. Mas você está no conteúdo certo! Este guia vai mostrar o passo a passo a ser seguido se você deseja trabalhar como freelancer!
Boa leitura!

O que caracteriza o trabalho freelancer? 

Freelancer é um termo bastante usado para definir aqueles que trabalham por conta própria e não estão necessariamente comprometidos com um empregador específico em longo prazo. Ou seja, não estão sob o regime de CLT, sigla para Consolidação das Leis do Trabalho. Também pode ser conhecido como trabalhador autônomo.
Quando se é freelancer, você não tem um chefe e acaba sendo seu próprio líder. Trabalhar nessa modalidade é algo pode ser feito online e offline. No primeiro caso, por exemplo, é possível atuar com design, marketing digital, tradução, produção multimídia etc. Para quem é profissional de tecnologia, as opções também são variadas com TI, desenvolvimento e programação.
Mas também é possível ser freelancer offline, por exemplo, ao prestar consultorias a empresas ou a microempresários em diversos ramos, como tecnologia, dando aulas, visitando obras, prestando atendimentos particulares, entre outros. 
Existem também profissionais que, apesar de terem vínculo CLT com alguma companhia, prestam serviços freelancer para outras empresas e fornecedores, seja para melhorar a renda, seja para ganhar experiências diversificadas.
A realidade desses profissionais é entender da sua área de atuação e também cuidar das finanças, tirar notas e até trabalhar o marketing pessoal — porque está na própria mão dos freelancers conquistarem novas oportunidades. Nesse sentido, é preciso desenvolver uma postura mais proativa do que no regime CLT.
São outras características desse profissional:

  • estar de olho em tudo o que acontece em sua área ou áreas próximas para trazer inovações;
  • ter boa comunicação para falar com possíveis clientes e fornecedores;
  • realizar uma graduação ou optar por cursos tecnológicos para se tornar especialista na área (e poder ganhar mais nos trabalhos como freelancer);
  • contar com muita organização para cumprir prazos.

Como iniciar a carreira de freelancer?

Imagine você indo contratar algum profissional para prestar um serviço específico: claramente, vai querer alguém com experiência e know-how, certo? Por isso, não importa se trata-se de uma carreira em tecnologia ou em outra área, você precisa de conhecimento e outros itens, que vamos indicar a seguir.

Defina o tipo de serviço que vai prestar

No começo, você pode até ser um profissional mais generalista que faz um pouco de tudo na área de atuação. Mas vá se aperfeiçoando aos poucos para se tornar um especialista na área. Por exemplo, na Engenharia da Computação, torne-se um programador em alguma linguagem ou se especialize em banco de dados, ramo que vem crescendo bastante.

Faça um planejamento

Pense em um plano de negócio: os serviços que vão ser prestados, como você vai anunciar o trabalho, quais empresas ou profissionais vai abordar inicialmente, quais os materiais necessários, entre outros. 
Além disso, ter um blog (independentemente da área) e manter as redes sociais atualizadas são atitudes que podem ajudar a conquistar novos clientes. Entenda quem são seus clientes e anuncie seus serviços na melhor linguagem para eles. 

Estude tudo sobre a sua área de atuação 

Já ouviu falar em benchmarking? A ideia é como pesquisar com as áreas concorrentes e entender o que elas oferecem, quais são os benefícios, por que os clientes gostam (ou não) dessa empresa. Depois, olhe também para as inovações na sua área e pondere sobre o que você sabe delas.
Depois, é correr atrás de criar serviços mais interessantes do que a concorrência e que tragam sempre novidades para que seu público se torne uma freguesia fiel e ainda faça recomendações a outras pessoas!

Procure parcerias estratégicas 

Elas são essenciais para ganhar visibilidade, principalmente para quem está começando a rotina freelancer. Supondo que você crie sites, pode se unir a pessoas de conteúdo ou design para fazer uma oferta mais completa. 
Também vale pedir para que colegas de áreas correlatas façam indicações dos seus serviços. Sabe aquele famoso método de deixar o cartão em alguns negócios? Isso também ajuda a sair do zero!

Trabalhe a sua marca e a sua comunicação

Trabalhar a marca é mais do que criar uma logomarca do seu negócio e imprimir cartões de visitas. O primeiro passo é fazer isso digitalmente. Como falamos, um blog com SEO bem-feito permite que você seja encontrado por diversas pessoas. Além disso, a estratégia de marketing digital inclui redes sociais e e-mail marketing, para conquistar mais clientes passo a passo. 
Outro ponto essencial aqui é ter boas habilidades de comunicação falada e escrita, para ser claro com seus clientes e não deixar dúvidas quanto aos serviços prestados e condições determinadas.

Valorize o seu trabalho 

Quem está começando certamente já ouvi propostas que envolvem trocar um serviço por outro e isso é complicado —até porque você está trabalhando para pagar contas e ter dinheiro, certo? Não para trocar favores.
Por isso, valorize o seu trabalho e insista no pagamento em dinheiro mesmo. Mostrar seu conhecimento, seja pessoalmente, seja nos canais virtuais, também é uma forma de valorizar seus conhecimentos e habilidades!

Entenda a sua precificação

Uma das maiores dificuldades do profissional freelancer é não saber o quanto cobrar e sair sempre no prejuízo. Uma forma interessante é olhar o preço da concorrência e colocar alguns custos que, às vezes, você nem se lembra de que tem:

  • eletricidade;
  • tempo;
  • materiais (vale notebook e outras ferramentas);
  • seu conhecimento;
  • telefone e internet.

Uma empresa cobra, dadas as devidas proporções, o aluguel, o salário dos funcionários, dos supervisores e outros itens em um preço. Por isso, leve tudo em conta antes de cobrar tão barato que não vai nem conseguir se manter com o dinheiro.

Quais as áreas que mais atraem profissionais freelancer?

Como vimos, basicamente quase todo profissional pode trabalhar como freelancer, é só entender as demandas e adequá-las à sua especialidade. Entretanto, de acordo com um levantamento da Workana, uma rede de trabalho freelancer, algumas áreas se destacam, como

  • programação e TI — 29,4%;
  • design e multimídia — 24,3%;
  • conteúdo e tradução — 20,2%;
  • vendas e marketing — 19,9%;
  • administrativo — 16,6%;
  • engenharia e finanças — 12,6%.

Quanto mais concorrida a área para o trabalho autônomo, mais os profissionais precisam se especializar, ter atrativos e oferecer serviços variados. Lembre-se da proatividade que falamos antes: ser freelancer depende principalmente de você mesmo para conseguir as melhores oportunidades.

Quais são as obrigações trabalhistas que um freelancer deve cumprir? E seus direitos?

Já ouviu falar em contrato de trabalho intermitente? Basicamente, é o que caracteriza um freelancer. Por exemplo, você pode ser contratado por cerca de três meses para implementar um projeto de TI. A seguir, vamos entender melhor os benefícios da nova reforma aos autônomos e seus deveres!

A nova reforma trabalhista 

Para os profissionais freelancer que têm contratos intermitentes com empresas, há algumas novas regras na Reforma Trabalhista de 2017 que podem favorecê-los. Atenção a algumas delas:

  • é considerado empregado toda pessoa física que prestar serviços não eventuais a um empregador;
  • o pagamento é calculado pelo valor da hora ou da diária. Além disso, ele é realizado ao término do trabalho, não mensalmente;
  • o empregado tem direito a um mês de férias a cada doze meses trabalhados, podendo tirá-las em três períodos — isso, claro, se os serviços forem prestados à mesma empresa ou CNPJ;
  • existe indenização para o caso de o contrato ser encerrado sem aviso prévio.

Os deveres de quem é freelancer

O fato de não existir carteira assinada não quer dizer que não há obrigações fiscais — pelo contrário, mas em alguns casos elas são suavizadas. Como autônomo, você vai precisar dar notas fiscais dos serviços prestados. Nesse caso, as opções são, principalmente, a MEI e a ME.

MEI

Sigla para Microempreendedor Individual, ou seja, para quem trabalha por conta própria e tem um faturamento anual de até R$ 81 mil. Para conseguir o título de MEI, você não pode ter participação em outra empresa ou ser dono de outro negócio.
Com o título de MEI, você consegue um registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), podendo emitir notas fiscais, além de ter mais tranquilidade para abrir uma conta bancária e até pedir empréstimos. 
Todo MEI é enquadrado no Simples Nacional, o que permite que a carga tributária seja menor. Você deve pagar de R$ 52,25 a R$ 58,25 (de acordo com a atividade) mensalmente, que serão repassados à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS.

ME

ME é a sigla para Microempresa e é um passo à frente do MEI. Aqui, o ganho pode ser de até R$ 360 mil por ano. É permitido escolher entre os regimes do Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido, dependendo do que for mais interessante ao trabalho. 
Com a ME, você pode ter empregados e passa a ter que cumprir as obrigações legais, como qualquer outra empresa. A contribuição mensal também varia de acordo com o lucro obtido.

Quais são as vantagens de trabalhar como freelancer?

Além de ser mais fácil conquistar seu primeiro emprego trabalhando como freelancer e ir ganhando experiência aos poucos, as vantagens são tantas que, após ter um bom portfólio, você corre o risco de nem mais sonhar com um emprego CLT. Veja só quais são!

Você faz o seu horário

Aquela história de trabalhar das 8h às 18h já não faz com que as pessoas se interessem — até porque cada um tem seu ritmo de vida. Por exemplo, muitos rendem mais à noite e preferem virar a madrugada codando ou escrevendo.
Como freelancer, você tem as demandas e tem que entregá-las na data acordada. Fora isso, os horários são feitos por você mesmo. Dessa maneira, acaba tendo um tempo maior para sua vida pessoal. Sem contar que pode pegar vários projetos.

É possível trabalhar para várias pessoas

Nesse regime, você trabalha em demandas variadas e vai ganhando mais experiência. Por exemplo, ao atuar com IoT (Internet das Coisas) para um contratante e mobile para outro. Pense só no portfólio incrível que dá para ir formando com todas essas colaborações.
Inclusive, não se esqueça de criar seu portfólio online para chamar atenção de outras empresas e empreendedores que podem convidar você para novos trabalhos. Com isso, seu networking cresce muito!

Desenvolvimento profissional é aperfeiçoado

O desenvolvimento profissional como freelancer é enorme. Em vez de ficar em uma empresa que leva anos para promover os funcionários, você vai evoluindo bem mais rápido como autônomo. Ao entender das suas finanças e da gestão do seu negócio, você se torna mais dono de si mesmo, sabendo sobre regras de imposto, entre outros.
Outro ponto é que o fato de negociar com os clientes é capaz de trazer mais maturidade profissional e jogo de cintura que muita gente que sempre foi CLT não tem, até porque são pessoas que ficam mais fechadas em uma área apenas.

Sua autonomia aumenta muito

Além de fazer seu próprio horário, é você quem cuida da gestão das prioridades. Dessa forma, pode adiantar alguns trabalhos, encaixar outros e fazer um ritmo de entregas que satisfaça os clientes e permita sempre novas possibilidades. Cabe a você também fazer investimentos para novos materiais, como notebooks, softwares e outros que possam agregar ao dia a dia do trabalho.

Você tem total controle das (possíveis) interrupções

Quando você trabalha em um escritório com mais pessoas, não dá para garantir que você não será interrompido por um colega do lado, pelo supervisor chamando para alguma conversa ou o telefone que você é obrigado a atender.
Em casa, você está por sua conta, tem mais tranquilidade e pode pedir às pessoas que moram com você para não atrapalharem o seu desempenho. 

Dá para trabalhar sem sair de casa

Essa provavelmente é uma das maiores vantagens, porque você fica livre de perder horas preciosas no trânsito, pode trabalhar com trajes mais informais e, se precisar ficar um tempo maior no trabalho.
O interessante é montar um escritório mais profissional, que ajude você a focar e traga mais profissionalismo ao dia a dia. O que mais faz com que os profissionais freelancer saiam de casa é para visitar clientes ou prestar consultorias. Lembre-se de incluir esse valor de deslocamento nos seus preços.
Isso também permite fazer as refeições e lanches em casa, o que contribui para oportunidades maiores de descanso na hora do almoço, trazendo mais energia para o segundo período.

Quais são os desafios de trabalhar como freelancer?

Existem diversos desafios do mercado de trabalho que os profissionais precisam driblar, seja com mais estudo, pós-graduação ou planejamento. Sendo freelancer, você ainda tem alguns outros. Conheça na sequência.

Não postergar as atividades

Não é porque você está trabalhando de casa que pode interromper para ver televisão, acordar mais tarde ou simplesmente postergar suas atividades. Isso faz com que a credibilidade construída passo a passo vá embora e, para recuperá-la, sempre sempre é fácil.

Conseguir clientes no começo

Uma vez que você tem pouca experiência, os clientes demoram a chegar. Por isso, faça parcerias, ofereça seus serviços e, conforme for trabalhando, peça para avaliarem ou elogiarem para outras pessoas. O boca a boca, seja da forma tradicional ou virtual, vai ajudar demais!

Lidar com impostos

Ir em busca do CNPJ, cuidar dos impostos e pagar fornecedores são obrigações do freelancer que vão tomar um tempo do dia a dia, mas que precisam ser cumpridas. Com o tempo e as finanças mais equilibradas, você pode contratar um contador para ajudar.

Controlar os gastos

A verba que entrar não deve ser gasta sem pensar. Monte uma planilha com o que entra e o dinheiro que sai para ir se organizando e não chegar no fim do mês com poucos recursos. Vale a pena até ter uma conta no banco de pessoa jurídica para separar melhor esses gastos.

Ser interrompido diversas vezes

Você não terá colegas de trabalho interrompendo, mas pode ser que a família entre em cena, indo toda hora comentar alguma coisa. Mas é até mais fácil: converse com eles e peça para só ser interrompido em último caso.

Quais ferramentas ajudam um freelancer?

Quem vai trabalhar como freelancer precisa de mais organização e produtividade, que são possíveis ao usar algumas ferramentas online. Nós trouxemos algumas que serão bem úteis no dia a dia:

  • Toggl: o software ajuda a marcar o tempo das tarefas. É uma boa para se organizar e até precificar melhor seus serviços;
  • G Suite: o pacote do Google tem Gmail, agenda, Google Keep, Hangouts e demais ferramentas que facilitam o contato com clientes e a sua organização. Com o Hangouts, você pode marcar reuniões virtuais e melhorar ainda mais a produtividade;
  • Evernote: permite que você faça anotações, coloque lembretes e notas de reuniões para não perder nenhum detalhe do dia a dia;
  • Nusii: possibilita criar propostas bem profissionais para os seus serviços prestados, também ajuda na precificação;
  • Proposify: tem vários templates prontos para enviar as propostas aos seus clientes;
  • Skype: software muito conhecido para fazer reuniões online e até mesmo ligações telefônicas via internet com menor preço;
  • Telefonia VoIP: o sistema de telefonia pela internet funciona por meio de um software no seu computador, dispensando fios e aparelhos telefônicos. Também é mais econômico!

Onde encontrar clientes para trabalhar como freelancer? 

Algumas plataformas que cadastram profissionais freelancer ajudam você a ganhar mais trabalhos. Conforme sua experiência vai crescendo, fica bastante fácil conquistar um número maior de clientes e aumentar seus ganhos! Confira algumas delas:

  • Workana: a plataforma serve para você se cadastrar e conseguir trabalhos remotos. Está presente no Brasil, na Argentina, na Colômbia e no México;
  • Rock Content: ideal para quem trabalha com conteúdos digitais, seja no design, no texto e na revisão, focados no marketing digital;
  • UPWork: mais uma plataforma, só que global, na qual os profissionais freelancer se cadastram e são convidados a realizar trabalhos remotos;
  • Freelancer.com: não importa sua área, pode ser de conteúdo, desenvolvimento, UX ou outras. As chances de ser encontrado são interessantes;
  • GetNinjas: você se cadastra e é acionado para passar orçamentos. São quase três milhões de serviços no ano pela plataforma!

Gostou de todas as possibilidades e dicas sobre como trabalhar como freelancer? Agora, resta se preparar para prestar serviços autônomos. Lembre-se de organizar seus horários, ser pontual nas entregas e entender o que os clientes precisam para oferecer até mais possibilidades. Além, é claro, de continuar se especializando, fazendo cursos e lendo a respeito da sua área para estar à frente dos concorrentes.
Uma coisa é sempre certa: o sucesso do cliente vai se tornar o seu próprio. Por isso, trate-os com cordialidade, cuide para oferece o melhor e faça um pós-atendimento diferenciado. Não se esqueça de deixar cartões, pedir para as pessoas avaliarem você no site ou na rede social. A boa propaganda é a alma do negócio!
Este texto trouxe mais empolgação para trabalhar como freelancer? Então, continue se especializando e baixe grátis este e-book sobre desenvolvimento profissional! Seguir evoluindo é fundamental!
[rock-convert-pdf id=”3715″]

1 Comentário

    Deixe o seu comentário!

    Não perca nenhum post!