Desenvolvimento de Software: conheça os profissionais!

Não há dúvidas que o mercado de tecnologia está crescendo de forma estrondosa, ocupando um lugar vasto dentro das carreiras por conta das diversas possibilidades (...)

Autor: Gabriella Uota

Já faz algum tempo que o mercado de tecnologia está em alta. As possibilidades dessa área não param de crescer, e listas com as últimas tendências são publicadas a todo momento. Nesse cenário, uma empresa de desenvolvimento de software oferece muitas oportunidades para diversos profissionais.
O principal requisito para essas organizações é a mão de obra qualificada. Sem um time engajado e preparado, é impossível não apenas desenvolver softwares como atualizá-los, uma vez que é importante que eles atendam a determinadas necessidades do mercado.
A estrutura da empresa de desenvolvimento de software não precisa ser nada extraordinário. O mais importante é contar com um pacote de internet veloz e com computadores de qualidade, com boas configurações. 

   Quais são os principais profissionais envolvidos nessas organizações?

  • Gestor de projetos

O gestor de projetos é responsável pelo desenvolvimento do projeto, assegurando que os objetivos serão alcançados dentro do prazo determinado. O profissional deve compreender o produto, conversar com os clientes para definir prazos e metas, dialogar com a equipe para apresentar os objetivos e deixá-los bem definidos, antecipar adversidades para agir previamente etc.
As chances de êxito em equipes com programadores iniciantes são reais, da mesma forma que profissionais experientes podem ter problemas por causa das habilidades do gestor de projetos. Por isso, é fundamental que ele entenda o que está sendo feito, tenha uma boa comunicação, conheça a capacidade de produção do time.
Dessa forma, o gestor não promete aos clientes mais do que pode ser cumprido e também sabe o momento certo de recusar uma oferta. Para seguir essa carreira, uma opção é se graduar em Gestão da Tecnologia da Informação.

  • Arquiteto de sistemas

Uma das principais funções do arquiteto de sistemas é desenhar como serão as interfaces dos softwares a serem criados. O profissional cuida da parte de estruturação do conteúdo, com o objetivo de facilitar a acessibilidade e usabilidade dos usuários, garantindo uma melhor experiência.
Um campo de texto deve ter um botão “salvar” ou fazer o processo automaticamente? Esse botão deve ficar localizado em qual parte da tela? É necessário ter um ícone para essa ação? Essas são algumas questões que o arquiteto de sistemas deve analisar.
Com as necessidades do projeto em mente, esse profissional deve idealizar o chamado wireframe, que podemos comparar com a planta de uma casa. Wireframes são criados sem cor, da forma mais descomplicada. Dessa forma, as funcionalidades serão o foco do trabalho.
Existem ferramentas que permitem aos arquitetos desenharem wireframes interativos. Isso significa que é possível clicar em um botão que nos dirige para outra tela. Assim, temos algo bem parecido com um protótipo, o que permite apresentar como o sistema deve funcionar e ser exibido tanto para a equipe de desenvolvimento quanto para os clientes.
Em algumas empresas menores, essa função é realizada pelo designer, pelo gerente de projetos ou pelo próprio programador. Para isso, é importante ter uma pós-graduação em Arquitetura da Informação.

  • Designer

O designer que trabalha no desenvolvimento de sistemas atua jundo ao arquiteto de sistemas. Ele recebe o wireframe e é o responsável por definir como os constituintes da interface serão.
Em geral, é esse profissional que define a tipografia, a paleta de cores a ser usada, os ícones, os espaçamentos etc. Caso a equipe tenha pessoas de marketing, o designer também pode ajudar no desenvolvimento do layout do site para a publicidade e componentes para serem divulgados nas redes sociais.
Para ter as competências necessárias para o cargo, é importante ter graduação em Design.

  • Desenvolvedor front-end

O desenvolvedor front-end está à frente da interface que interage diretamente com os clientes. Por isso, é importante que esse profissional também pense na experiência dos usuários (UX).
Com relação às linguagens que o desenvolvedor front-end deve dominar, estão:

  • HTML (linguagem de marcação);
  • JavaScript (linguagem de programação/script);
  • CSS (linguagem de estilo).

Existem frameworks e bibliotecas em que alguns profissionais se especializam para oferecer diferenciais no mercado. Nos últimos anos, a área também recebeu a introdução de outras linguagens e pseudolinguagens que podem ser aplicadas de acordo com as necessidades da empresa de desenvolvimento de software.
É comum que desenvolvedores front-end atuem com a parte mais artística e criativa das aplicações. Aqueles que têm características mais voltadas ao back-end, mesmo trabalhando como front-end, tendem a ter mais intimidade com programação e suas variações.
Para atuar nesse cargo, é importante ser formado na área da Tecnologia da Informação e ter alguma especialização em UX com módulo em usabilidade. Assim, é possível oferecer a melhor experiência para os usuários. 

  • Desenvolvedor back-end

De forma geral, o desenvolvedor back-end é responsável pela execução da regra de negócio. Em aplicações web, por exemplo, esse profissional não trabalha na parte visual do sistema, ou seja, ele está atrás da aplicação.
Quando o assunto é back-end em desenvolvimento web, esbarramos em diversas linguagens, como C#, Java, Python, Ruby, PHP, entre outras. Cada uma apresenta vantagens e desvantagens em relação aos processos de criação, bem como ao mercado de trabalho.
Algumas linguagens de programação são mais atuais e existem poucos profissionais no mercado que trabalham com elas. Dessa forma, há muita demanda por eles. Outras são mais tradicionais e fazem parte de um mercado sólido, tendo diversas opções de materiais de estudo.

Para quem está no início da carreira, o ideal é focar nas linguagens mais comuns, pois o estudo será mais completo. Essa ação também facilita a entrada no mercado de trabalho, pois essas linguagens apresentam oportunidades melhores de emprego.
Para que o conhecimento em back-end seja mais completo, é importante dominar a área de banco de dados. Em geral, a base é escolhida de acordo com a que tem mais ferramentas disponíveis na linguagem que será usada no sistema.
Uma empresa de desenvolvimento de software que quer se destacar no mercado e apresentar algum diferencial deve elaborar programas que possam facilitar a vida dos clientes, gerando valor a partir de demandas bem específicas que eles apresentem.
Os profissionais de que falamos neste artigo são essenciais nessa jornada e favorecem os bons resultados da organização. Portanto, se está em busca de um cargo na área, não deixe de considerar alguma dessas carreiras!
Gostou do conteúdo? Nos conte se alguma dessas áreas é a que você deseja seguir ou aso esteja interessado em alguma curso de linguagens de programação!

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!