Como está o mercado de trabalho para a computação gráfica hoje?

A computação gráfica é hoje uma área muito mais forte e com possibilidades de atuação em diversos setores. Quer se especializar? Saiba mais sobre (...)

Autor: Redação Impacta

Não pode ler esse artigo agora? Ouça a matéria no Player abaixo:

A computação gráfica é impressionante, não é mesmo? É só olhar as grandes produções de cinema, com todas aquelas cenas cheias de efeitos especiais. Também podemos olhar os games, os exames de ultrassonografia em 3D e até mesmo as peças industriais e os automóveis, que conseguem ser criados e testados sem sair da tela do computador, mas com as mesmas características e funcionalidades do produto real.

Tudo isso é feito por profissionais da área de computação gráfica, utilizando tecnologias inovadoras! Sendo a área de computação gráfica tão surpreendente, é comum que muitos jovens se interessem por ela, se capacitem e se formem nela. Após a formatura, é o momento de ingressar no mercado de trabalho.

Pensando nisso, preparamos um conteúdo especial para tirar todas as suas dúvidas sobre o profissional de computação gráfica e sobre como está o mercado de trabalho para esses profissionais atualmente. Confira tudo neste post!

Qual o perfil do profissional de computação gráfica?

Geralmente, os profissionais de computação gráfica iniciam seus estudos no país de origem e depois partem para o exterior, mais precisamente para os Estados Unidos, para se especializarem nas diversas vertentes que a área oferece por lá, visto que os americanos são especialistas quando se fala em computação gráfica. Por esse motivo, ter domínio da língua inglesa é de vital importância.

Além de criatividade, um profissional de computação gráfica deve ter habilidades em design, edição, efeitos sonoros, efeitos visuais, criação e animação de objetos em 2D e 3D, entre outras habilidades pertinentes.

Em virtude de a tecnologia estar em constante evolução, os softwares especializados — que são as ferramentas de trabalho dos profissionais de computação gráfica — se atualizam rapidamente, incorporando grandes inovações tecnológicas.

Por ser uma área bastante dinâmica, os profissionais da computação gráfica devem estar sempre atentos a todas as atualizações do setor, sejam atualizações de softwares, sejam de conceitos.

Para poderem atualizar seus conhecimentos e acompanhar todas as tendências, os profissionais de computação gráfica contam com cursos e certificações específicos do campo. Esses profissionais sabem que o investimento pessoal é a base para se destacarem nessa profissão.

Agora que você já conhece o perfil do profissional de computação gráfica, que tal saber em quais áreas ele pode atuar? Vamos lá!

Como está o mercado de trabalho para computação gráfica

Em quais áreas o profissional de computação gráfica pode atuar?

O profissional de computação gráfica pode atuar nas áreas: impressa, virtual e digital. Todas essas áreas oferecem diversas oportunidades. Selecionamos alguns dos cargos mais comuns da área de computação gráfica, são eles:

  • designer gráfico: cria logotipo, diagrama conteúdo e cria peças para publicidade e websites;
  • animador: conta histórias utilizando personagens e objetos animados virtualmente;
  • editor: seleciona, organiza, trata, compõe e finaliza imagens, vídeos e filmes;
  • designer de games: elabora projetos em 2D e 3D, utilizando realidade virtual e aumentada;
  • desenhista industrial: desenha equipamentos, máquinas industriais e até mesmo automóveis.

A computação gráfica é aplicada em quais segmentos de mercado?

Hoje em dia, a computação gráfica pode ser utilizada e beneficiar vários segmentos do mercado. As possibilidades são imensas. Elencamos a seguir alguns segmentos que vêm utilizando a computação gráfica em seus negócios, são eles:

  • indústria: na criação de produtos e peças, seguindo critérios de funcionalidade e estética;
  • games: no desenvolvimento de jogos de entretenimento, jogos de treinamento corporativo e jogos educacionais;
  • cinema: nas edição em filmes, na criação de efeitos especiais e até na montagem de cenários virtuais completos;
  • medicina: na análise de exames de tomografia e em exames de ultrassonografia em 3D;
  • publicidade: na criação de vinhetas, vídeos institucionais, diagramação de conteúdo e na criação de material gráfico e em 3D para a web;
  • educação: na produção de material educacional com o desenvolvimento de imagens, animações em 3D e videoaulas que apoiam o processo de ensino e de aprendizagem;
  • engenharia e arquitetura: na prototipação de empreendimentos que ainda estão na planta.

Se você chegou até aqui, já sabe tudo sobre o profissional de computação gráfica, as áreas de atuação e os segmentos de mercado relacionados a essa profissão. Vamos falar agora sobre o mercado de trabalho: acompanhe o próximo tópico!

Como está o mercado de trabalho para o profissional de computação gráfica?

Atualmente, o mercado de trabalho está em ascensão para a área de computação gráfica, ou seja, a demanda é crescente por profissionais capacitados nesse campo. Como a computação gráfica é uma área bastante abrangente, é normal que as empresas trabalhem com equipes multidisciplinares, precisando de profissionais qualificados em várias vertentes para poderem concluir um projeto. Isso aumenta bastante a oferta de vagas de emprego.

É possível encontrar diversas oportunidades em produtoras de vídeo e agências de publicidade. Também existem vagas em grandes organizações, como na indústria cinematográfica e emissoras de TV.  

Há uma grande demanda por profissionais da área de computação gráfica nas empresas que trabalham com o desenvolvimento de games, ou seja, jogos virtuais. E não para por aí: os segmentos de medicina e educação também estão atrás de profissionais qualificados.

Existem oportunidades bastante rentáveis também para o trabalho freelancer, ou seja, para profissionais liberais que prestam serviços para várias empresas, participando de diversos projetos em vários segmentos. Como você viu, o mercado de trabalho está em alta. Mas e o salário: como está? Confira agora!

Qual a média salarial do profissional de computação gráfica?

A média salarial para profissionais da área de computação gráfica depende muito do cargo a ser ocupado. Segundo pesquisas feitas por agências que trabalham com divulgação de vagas, um estagiário em animação digital tem um salário inicial médio de R$ 1.300. Já um designer gráfico pode iniciar a carreira com R$ 2.000.

Para profissionais que executam a função de modelador 3D, dependendo do cargo, a média salarial pode iniciar na casa dos R$ 3.000, aumentando gradativamente conforme o nível de experiência, podendo chegar aos R$ 15.000 para diretores de efeitos especiais.

Nos Estados Unidos, os níveis de salários pagos aos profissionais de computação gráfica são muito maiores do que o padrão brasileiro. Lá, os diretores de feitos especiais podem alcançar salários astronômicos, principalmente se trabalharem nas grandes indústrias cinematográficas.

Neste post, vimos que o mercado de trabalho para a computação gráfica está em alta e investir em uma carreira nessa área parece ser uma estratégia pessoal bem promissora. O que você acha? Compartilhe conosco a sua opinião deixando um comentário no post!

11 Comentários

  1. Carlos Eduardo disse:

    Meu sonho é trabalhar com animação, mas tenho dúvidas sobre o mercado de trabalho pois moro em Goiânia – Go . Tenho condições de fazer a graduação na área em outros estados ,mas quando volta para casa será se conseguirei trabalho ? Minha família é daquelas que você pode fazer o que quiser mas que der dinheiro ou um trabalho.

    • Redação Impacta disse:

      Poxa, Carlos. Realmente não sabemos como é o mercado nessa área em sua cidade, mas aqui acreditamos nos sonhos. Muitos artistas e animadores saíram até mesmo do Brasil para construir uma carreira de sucesso. Desejamos toda a sorte!

    • diane camargo disse:

      e voce ainda pode trabalhar home office porque a certificação do curso eh gerada a cada módulo concluído. quem certifica é a própria ADOBE e a AUTODESK, eh válido mundialmente as certificações

  2. Lia disse:

    E no Rio de Janeiro? Como anda a situação para o animador?

    • Redação Impacta disse:

      Olá, Lia. O que podemos dizer é que muitos estúdios e produtoras de animação, inclusive alguns dos maiores do país, têm sede no Rio de Janeiro. Além disso, pode ser considerado o “berço” da animação no Brasil, já que lá foi exibido primeiro filme brasileiro de animação da história – “O Kaiser” do cartunista Álvaro Marins. Acreditamos que as oportunidades sejam maiores por aí, mas sabemos dizer sobre vagas e salários. Esperamos ter te ajudado. Boa sorte!

  3. Selma simoes disse:

    Gostadria de esta podendo faxer esse cultobh

  4. Juliana Pereira disse:

    Justo o que procurava sobre a grafica.

  5. Edgar disse:

    Gostaria de saber se tendo uma formação técnica (senac), eu teria boas chances de entrar/ atuar no mercado, uma vez que o certificado só seria valido em território nacional.
    Seria um bom começo?

    • Redação Impacta disse:

      Olá, Edgar! Sem dúvidas que é um Curso Técnico é um ótimo começo. Aliado ao conhecimento de ferramentas específicas da área, que você pode adquirir em Cursos livres ou mesmo em uma Graduação, você terá uma boa base para entrar na área. Com um tempo de experiência e criando um portfólio, temos certeza que você pode crescer na carreira. Bons estudos e muita boa sorte, Edgar!

  6. Sergio Ricardo disse:

    Boa noite sou da Área de Acamento em Gráfica… tenho 41 anos setia bom pra mim tal curso

    • Redação Impacta disse:

      Olá, Sérgio! Muitos profissionais da área de criação e design acabam migrando para a Computação Gráfica, mas é preciso analisar o seu objetivo profissional. Se você tem interesse em atuar com criação 3D, animação, desenho industrial ou com games, faz todo sentido. Esperamos ter ajudado a responder sua dúvida.

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!