Como é o perfil de um profissional T?

O uso da tecnologia como alternativa para aproximar pessoas e ações, a consolidação das mídias sociais e novas formas de pensar o coletivo criaram (...)

Autor: Rogério Ramalho

O uso da tecnologia como alternativa para aproximar pessoas e ações, a consolidação das mídias sociais e novas formas de pensar o coletivo criaram um cenário dinâmico e aumentaram a exigência de profissionais com ideias inovadoras. É nesse cenário que surge o chamado profissional T.
O profissional T ou T-shaped é aquele questionador, que gosta de desafios, tem interesse em aprender e foge de soluções óbvias para os problemas que surgem no dia a dia da profissão e das empresas.
Neste post mostraremos mais sobre o profissional T, os motivos pelos quais ele é valorizado no mercado, entre outros aspectos. Tem interesse no tema? Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

O que é?

O conceito surgiu na década de 90 e, em tradução livre, o termo “profissional T-shaped” é o mesmo que “profissional em formato de T”. O nome é, como indica, uma referência ao formato da letra T que, nesse contexto, é utilizada como símbolo de alguns valores.
Com base na grafia da letra, o risco horizontal representa o conhecimento geral sobre mercado, economia, política e relações organizacionais, sem estar necessariamente relacionado a algum conhecimento específico de uma atividade. O traço vertical que completa a letra, por sua vez, diz respeito ao conhecimento específico e aprofundado de uma área de formação em que se atua.
Desse modo, o profissional T é aquele com capacidade de expandir conhecimentos para várias direções, pois sabe muito sobre diversas áreas e, além disso, tem capacidade para aprofundá-los de acordo com a atividade exercida. Portanto, é uma pessoa preparada e multidisciplinar.

Por que contar com esse tipo de profissional?

Cada vez mais as organizações buscam profissionais com capacidade T-shaped, tendo em vista que eles possuem um senso crítico mais apurado do que um profissional comum. Isso é explicado pelo amplo conhecimento sobre várias vertentes ao mesmo tempo, o que possibilita ao profissional tomar decisões criativas, diferenciadas e até mesmo inovadoras em situações específicas.
Muitos profissionais especializados costumam ser apenas executores. Já aqueles com muitos conhecimentos gerais mas pouca excelência técnica podem ser pensadores críticos, mas são incapazes de executar o que é preciso.
Nesse contexto, o profissional T consegue aliar as características positivas: conhecimento e capacidade de executar as atividades da melhor forma possível, fazendo avaliações críticas e pensando de forma mais ampla. Por isso, ele é capaz de atingir uma alta performance.

Como se tornar um profissional T?

Para se adequar às necessidades das corporações e estar atualizado quanto ao seu perfil profissional, vale buscar desenvolver as características exigidas. Por isso, mostraremos alguns passos para atingir esse modelo profissional.

Converse com pessoas diversas

Para fortalecer o traço horizontal, ou seja, os conhecimentos gerais, buscar informações com seus colegas é um passo fundamental. Conversar com pessoas que atuam em setores diferentes do seu, ouvir pontos de vista distintos, se informar sobre atribuições e correntes de pensamentos, são alguns caminhos válidos para ampliar conhecimentos. Você vai perceber que dialogar com diferentes níveis de formação (de funcionários a gestores) pode ser muito enriquecedor.

Foque na leitura

Ler é fundamental em qualquer situação, ainda mais para quem busca conhecimento geral. Entretanto, de nada adianta ler muito se você não tiver os focos certos. É preciso ampliar horizontes e enfoques. Por isso, procure livros que falem sobre temas diversos, faça conclusões próprias pós-leitura e desenvolva seu senso crítico. Além disso, outras fontes de informação — como jornais, revistas e notícias de rádio — são válidas e devem ser acompanhadas.

Faça uma pós-graduação

Passar pela graduação é uma forma de adquirir conhecimentos e conquistar os primeiros espaços no mercado profissional, mas é na pós-graduação que você poderá diversificar e conhecer outros assuntos, sabendo melhor como atuar na prática. Assim, ela funciona como uma forma de expandir horizontes junto a pessoas que também estão em busca de alcançar o sucesso na carreira.

Procure cursos livres

Tratando agora de fortalecer os traços verticais, ou seja, em se especializar, pense em cursos que possam contribuir para que você seja um profissional mais completo. Inclua na lista cursos de línguas, informática ou qualquer outro que permita aprofundar conhecimentos.
Essas atividades se mostram interessantes porque têm menor duração e, portanto, podem ser mais diversificadas. Por isso, não fique restrito apenas a aprender inglês — estude espanhol, francês, mandarim ou faça outro curso que seja válido para o seu currículo.

Escolha a especialização certa

Talvez você ache contraditório, mas não é. Enquanto a pós-graduação é um momento para tratar de assuntos que não cabem na graduação, ela também é válida para aprofundar seu conhecimento dentro de um tópico relativo à sua atividade profissional (o que explica o nome “especialização”).
A questão, portanto, é escolher a especialização mais alinhada ao rumo que você deseja dar à sua carreira. Se você quer ser um diretor financeiro, por exemplo, investir em uma especialização em gestão de marketing não vai ajudá-lo a fortalecer os conhecimentos específicos necessários para ocupar esse cargo. Pode ser uma empreitada interessante em nível pessoal, mas é uma escolha inadequada do ponto de vista profissional.
Para que o profissional T ocupe seu espaço dentro da empresa, é preciso que a corporação esteja preparada para esse formato de funcionário. Assim, elas devem proporcionar um ambiente favorável à inovação e a atividades colaborativas, uma vez que será necessário ter recursos materiais e financeiros para desenvolver o trabalho. Além disso, cabe a eles unir habilidade de inovar e, ao mesmo tempo, capacidade de entregar resultados.
O profissional T, portanto, é aquele preparado para as mudanças globais e que se adapta com facilidade a essas transformações. Se você deseja ser apto a esse cenário, é necessário estar aberto a mudanças, buscar formação diferenciada e conhecimento gerais sobre diferentes assuntos.
Agora que você já sabe o que é o profissional T-shaped e como se tornar um, o próximo passo é identificar qual das duas dimensões — conhecimentos gerais ou conhecimentos específicos — precisa da sua atenção imediata.
Gostou do texto e quer entender melhor sobre o tema? Então, deixe o seu comentário no post e tire suas dúvidas!

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!