Como definir prioridade de testes com a metodologia ICE Score

A Metodologia ICE Score é uma ótima ferramenta para ajudar a definir prioridades na rotina de trabalho. Saiba como utilizá-la para testes e muito mais!(...)

Autor: Redação Impacta

A transformação digital trouxe às empresas uma série de ferramentas tecnológicas para otimizar os mais variados processos. Entretanto, não é necessariamente por meio de soluções sofisticadas que os problemas do dia a dia são resolvidos. Em muitos casos, uma metodologia como a ICE Score é mais que o suficiente para melhorar o desempenho de uma equipe.

De fato, esse método vem ganhando espaço entre as empresas, sobretudo, devido à facilidade de aplicação nos mais variados setores — do RH até o desenvolvimento e teste de softwares. Mas afinal, você sabe como funciona a ICE Score?

Se tem alguma dúvida sobre ela, chegou a hora de saná-la! Neste post especial, você vai aprender tudo sobre essa metodologia cheia de vantagens. Confira!

O que é a metodologia ICE Score?

A ICE Score é uma ferramenta criada para ajudar a definir prioridades no dia a dia. A sigla se refere às palavras Impacto, Confiança e FacilidadeImpact, Confidence e Ease, no original em inglês. No contexto da execução de testes, a metodologia foi concebida com um objetivo bem simples: apontar qual teste deve ser realizado primeiro.

Contudo, sua facilidade de implementação e os benefícios do uso fizeram com que ela fosse ampliada para um escopo mais amplo, podendo ser utilizada nas atividades mais variadas de uma empresa. O segredo é justamente como a metodologia funciona.

Perguntas-chave

Como a maioria das boas ferramentas de gestão, a ICE Score funciona por meio de indicadores. Isso significa que ela mede em valores quantificáveis um fator que, no nosso dia a dia, é mais abstrato. O objetivo é fornecer um valor numérico capaz de facilitar a análise.

O levantamento desses números, por sua vez, é feito com base em algumas perguntas essenciais. Como o próprio nome sugere, elas estão relacionadas aos três pilares da ICE Score.

As perguntas são:

  • Qual é o impacto esperado?
  • Qual é a confiança da equipe no sucesso dessa ação?
  • Qual é o nível de facilidade para executar a ação?

Por trás dessa metodologia está um cálculo que oferece a ICE Score, ou seja, um indicador numérico. Mostraremos mais à frente no artigo como é feita a conta e como os resultados acontecem, na prática. Inicialmente, é preciso saber que cada uma das três perguntas deve ser respondida pela equipe com notas de 0 a 10.

Basta tirar uma média dos valores, fazer o cálculo e registrar o resultado. Uma dica importante é usar uma planilha ou um aplicativo que calcule a ICE Score automaticamente.

Quais são os benefícios de usar a ICE Score?

Assim como outras metodologias, a ICE Score tem diferentes objetivos e benefícios. O brainstorming, por exemplo, é usado como forma de acelerar o processo criativo e solucionar problemas. O PQL, por sua vez, é uma importante ferramenta para qualificar leads de produtos, aumentando o retorno sobre o investimento no marketing.

Em um primeiro momento, um dos grandes benefícios da ICE Score é, basicamente, evitar atrasos nos testes. Quando a equipe usa essa metodologia em sua rotina de trabalho, eles são encaminhados de maneira mais rápida e automatizada, evitando longas discussões durante momentos importantes, como a reunião de sprint.

Somado a isso, a ICE Score ajuda a direcionar a equipe, garantindo que todos estejam cientes da ordem dos processos. Ela também ajuda a identificar gargalos. Afinal, a sua equipe pode até precisar de uma força tarefa para dar conta de testes atrasados, mas sem essa avaliação mais precisa o time continua andando em círculos.

Por fim, estamos falando de uma metodologia que permite rever prioridades. Em tempos de desenvolvimento ágil e um trabalho mais flexível, é fundamental estar pronto para mudar a estratégia diante de uma nova necessidade.

Pode ser que duas funcionalidades de um produto cheguem juntas à fase de testes, conforme previa o cronograma, mas a equipe está muito menos segura em relação a uma delas — um imprevisto que pode fazer toda a diferença. Nesse caso, a ICE Score poderá apontar que esse não deve ser o teste prioritário.

Enquanto outra funcionalidade passa por testes, a equipe de desenvolvimento ganha algum tempo para realizar ajustes finais e encaminhar uma versão mais confiável para a próxima etapa.

 ICE Score

Como calcular a ICE Score?

A fórmula para calcular a ICE Score é bastante simples, como você pode ver abaixo:

ICE Score = Impacto × Confiança × Facilidade

Nada impede você de realizar a conta à mão. Porém, pode ser bem mais simples adotar uma planilha que faça o cálculo automaticamente e tenha uma coluna para nomear os itens a serem testados. Vamos a um exemplo prático para deixar claro como isso acontece.

Suponha que você está desenvolvendo um aplicativo de celular e precisa testar a primeira versão em três aparelhos diferentes, todos com plataforma Android, mas configurações e hardwares diferentes. A equipe está um pouco insegura em relação ao design, que talvez não fique bem enquadrado na tela menor do modelo 2, e com a capacidade de processamento do modelo 3, que pode deixar o app mais lento.

As notas individuais da equipe podem ser coletadas em reunião ou mesmo por e-mail. Vejamos a seguir como ficou o cálculo final por modelo.

Cálculo do modelo 1

ICE Score1 = Impacto (5) ×Confiança (9) × Facilidade (10)

ICE Score1 = 450

Cálculo do modelo 2

ICE Score2 = Impacto (7) ×Confiança (6) × Facilidade (10)

ICE Score2 = 420

Cálculo do modelo 3

ICE Score3 = Impacto (9) ×Confiança (5) × Facilidade (8)

ICE Score3 = 360

Resultado e ações

O resultado indica que os testes devem ser feitos na seguinte ordem: modelo 1 > modelo 2 > modelo 3. Iniciada a rotina de testes, é possível investigar os motivos pelo desnível de facilidade do modelo 3. Suponha que a equipe entenda que o impacto é maior por haver mais usuários com aquele modelo, mas a facilidade é menor devido aos desafios em alterações para otimizar o desempenho no hardware mais fraco.

O impacto do modelo 2, por sua vez, é mais alto. Ainda assim, não foi o suficiente para dar prioridade em relação ao modelo 1, cuja confiança no resultado foi um diferencial. Em geral, podemos concluir que os primeiros testes tendem a apresentar menos problemas e, em paralelo, as versões mais complicadas ganham um tempo extra para serem retrabalhadas.

Como você pôde ver, trata-se de uma metodologia extremamente simples, mas com benefícios muito interessantes à equipe de testes. Então, leve a ICE Score para sua empresa e aumente o nível de otimização dos seus processos. Em pouco tempo, você verá os resultados positivos por conta própria!

Se quer mais conteúdo de qualidade, aproveite para baixar gratuitamente nosso e-book sobre Growth Hacker!

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!