Chefe de RH do Google responde dúvidas para melhorar seu currículo

O chefe de RH do Google, Laszlo Bock, publicou em sua conta no LinkedIn um artigo respondendo dúvidas recorrentes sobre os erros cometidos em currículos.(...)

Autor: Bruno Saes

O chefe de RH do Google, Laszlo Bock, publicou em sua conta no LinkedIn um artigo mostrando os maiores erros em currículos que ele já tinha visto (veja aqui o artigo, em inglês). O artigo fez muito sucesso na rede, recebendo 2 milhões de visualizações e 3 500 comentários.

Nesses comentários, ele observou algumas dúvidas recorrentes e resolveu respondê-las em outro artigo publicado, no dia 26 de janeiro, também no LinkedIn.

As respostas servem como ótimas dicas para quem busca aperfeiçoar seu currículo e mostrar suas habilidades de melhor maneira.

Confira aqui as perguntas e as sugestões do chefe de RH do Google:

chefe de RH do Google dá dicas para sua currículo

Devo usar palavras-chaves e jargões no meu currículo?

O responsável pelo RH do Google diz que, infelizmente, sim, mas que você deve criar uma seção separada para essas palavras. Apesar de desejar uma mudança dos métodos utilizados por recrutadores e empresas para buscarem seus candidatos ideais, Bock admite que utilizar desses artifícios ainda pode ser necessário para aparecer nas buscas.

Para que você faça isso sem prejudicar os espaços de textos e descrições, ele indica que você crie uma lista com os jargões e palavras-chaves logo após cada experiência de trabalho.

Devo pagar alguém para escrever o meu currículo?

Essa pergunta foi a que mais rendeu comentários em sites, levantando o fato de muitas pessoas encomendarem a produção de seus currículos. Laszlo Bock é contra essa ideia e diz que o que você pode fazer é se inspirar nos currículos de quem já está trabalhando na empresa dos seus sonhos, pois este candidato mostrou suas habilidades de uma maneira já aprovada pela empresa.

Atente-se que a dica é para utilizar os modelos como inspiração e não para copiar.

Devo incluir empresas em que trabalhei há mais de 20 anos?

Não há necessidade, pois suas primeiras experiências não são relevantes para o contratante. O que o chefe de RH do Google indica, é que você aponte as últimas empresas que atuou e faça um resumo explicando que atua em diversos segmentos como, por exemplo, restaurantes, organizações sem fins lucrativos e outros.

Eu sou uma mãe (ou pai) voltando ao mercado de trabalho depois de passar um tempo cuidando das crianças.  Como explicar no currículo esse período?

A resposta de Bock é simples: “Não se desculpe e não esconda”. Ele indica que você informe que tirou o tempo para a família. Se você fez trabalho voluntário ou teve algum trabalho de meio período, também deve indicar.

Ainda em sua resposta, Bock indica que algumas empresas, entre elas o próprio Google, estão começando a explorar esses candidatos que pretendem voltar ao mercado.

O currículo pode prever o bom desempenho do profissional?

Essa foi outra questão negada pelo responsável dos recursos humanos do Google. “Eu nunca vi nada que sugerisse isso”, disse ele no artigo. Ele explica que os currículos passam informações pobres e que os testes de trabalho são uma maneira melhor de prever a performance do profissional.

Confira as outras perguntas e respostas no artigo em inglês.

Batemos um papo com o fundador do Wall Jobs, Henrique Calandra sobre o novo RH. Assista:

Veja ainda outros vídeos do Impacta Talks aqui no nosso canal!

1 Comentário

  1. Aciléia Petronilo disse:

    Muito bom!

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!