Afinal, o que cai no Enem? Conheça os assuntos mais comuns na prova

Decidimos realizar algumas análises e separar os assuntos mais comuns na prova por campo e disciplina. Dessa forma, os vestibulandos saberão o que cai (...)

Autor: Jéssica Lima

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi elaborado em 1998, pelo Ministério da Educação (MEC), com o objetivo de examinar o desempenho dos estudantes que concluíram o ensino médio. No entanto, em 2009, o exame passou por uma reformulação e se tornou um processo seletivo de nível nacional.
Com 180 questões e nova abordagem, a prova é, atualmente, o maior vestibular do País. Apesar da importância do exame, milhares de estudantes ainda não sabem exatamente o que cai no Enem e, por isso, acabam estudando todo o conteúdo visto no ensino médio.
Pensando nisso, decidimos realizar algumas análises e separar os assuntos mais comuns na prova por campo e disciplina. Dessa forma, os vestibulandos saberão o que cai no Enem, estudarão com direcionamento e, com certeza, terão mais chances de fazer bonito na prova e conquistar uma vaga no curso de graduação dos sonhos. Ficou interessado no assunto? Acompanhe a leitura!

Como funciona a prova do Enem?

O Enem é formado por 4 provas, com 45 questões cada, e acontece em dois domingos. Veja como é a organização.

Primeiro dia

O primeiro domingo conta com uma redação dissertativa-argumentativa e 90 questões divididas nas áreas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Linguagens, códigos e suas tecnologias.
Nesse dia, o candidato tem 5 horas e 30 minutos para a realização da prova, o equivalente a aproximadamente 3 minutos para resolução de cada questão e 1 hora para a elaboração da redação.

Segundo dia

No segundo domingo, o concorrente deve mostrar sua aptidão nas áreas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas tecnologias. Diferentemente do que acontece no primeiro dia de prova, o tempo para a realização do exame é de 5 horas, resultando em 3 minutos e meio para a solução de cada questão.

Como o exame é dividido?

O Enem não é um vestibular tradicional, logo, sua divisão também foge do comum. No lugar das disciplinas que vemos no colégio, a prova se divide em quatro áreas do conhecimento:

  • linguagens, códigos e suas tecnologias: língua portuguesa, língua estrangeira — espanhol ou inglês; literatura, tecnologias da informação e comunicação, artes e educação física;
  • ciências humanas e suas tecnologias: sociologia, história, filosofia e geografia;
  • matemática e suas tecnologias: matemática;
  • ciências da natureza e suas tecnologias: química, biologia e física.

Quais assuntos são mais comuns em cada área do conhecimento?

Estudar com orientação torna a preparação para o exame mais eficaz, pois permite que o estudante verifique e corrija as suas deficiências até o dia da prova. Por isso, reunimos o que cai no Enem. Aproveite!

Linguagens, códigos e suas tecnologias

Português

  • gêneros textuais;
  • norma padrão x culta x coloquial;
  • linguística;
  • gramática;
  • funções da linguagem;
  • semântica.

Literatura

  • quinhentismo;
  • barroco;
  • naturalismo/realismo;
  • poesia concreta;
  • modernismo;
  • literatura contemporânea;
  • figuras de linguagem.

Inglês

  • leitura e interpretação de textos, cartuns, charges e tirinhas;
  • domínio lexical;
  • análise e interpretação de poemas e canções;
  • identificação da função do texto;
  • diversidade linguística e cultural.

Espanhol

  • compreensão, leitura e interpretação de textos, charges e tirinhas;
  • semântica;
  • domínio lexical;
  • funções da linguagem;
  • figuras de linguagem;
  • identificação de funções do texto;
  • análise de texto literário em prosa;
  • análise e interpretação de poemas e músicas;
  • diversidade cultural.

Artes

  • renascentismo;
  • surrealismo;
  • cubismo;
  • música;
  • grafite.

Educação Física

  • esportes.

Redação

Embora não seja exatamente uma área do conhecimento, a redação merece atenção especial dos concorrentes, pois ela representa uma grande porcentagem da nota final do candidato. Veja o que é cobrado nessa área:

  • texto dissertativo-argumentativo;
  • coesão e coerência textual;
  • acentuação gráfica;
  • pontuação;
  • regência e concordância verbal;
  • domínio da língua portuguesa;
  • aplicação dos conceitos relacionados ao tema;
  • apresentação e defesa de seu ponto de vista a partir de uma argumentação coerente;
  • respeito aos Direitos Humanos;
  • elaboração de uma proposta de intervenção social.

É importante destacar que o tema da redação só é divulgado na hora do exame. Contudo, os assuntos, invariavelmente, envolvem questões políticas, culturais e, sobretudo, sociais.

Ciências humanas e suas tecnologias

História do Brasil

  • escravidão;
  • Brasil colônia;
  • Brasil república;
  • período populista;
  • era Vargas;
  • ditadura militar.

História Geral

  • liberalismo;
  • Idade Média;
  • Idade Moderna;
  • Primeira Guerra Mundial;
  • Segunda Guerra Mundial;
  • Revolução Industrial;
  • nazismo;
  • Guerra Fria;
  • fascismo.

Geografia

  • agricultura (especialmente do Brasil);
  • blocos econômicos;
  • desigualdade e desenvolvimento social;
  • impactos no meio ambiente;
  • geopolítica mundial;
  • planos econômicos;
  • migrações.

Filosofia

  • contratualismo;
  • ética, política e moral (pensadores da Grécia Antiga);
  • existencialismo;
  • iluminismo;
  • fé x razão (Santo Agostinho e São Tomás de Aquino).

Sociologia

  • cultura e indústria cultural;
  • cidadania;
  • identidade de gênero;
  • fordismo e taylorismo;
  • ideologia;
  • movimentos sociais;
  • relações de trabalho;
  • marxismo;
  • comunicação e cultura de massa.

Ciências da natureza e suas tecnologias

Química

  • ciclos do carbono e oxigênio;
  • estequiometria;
  • equilíbrio químico;
  • termoquímica;
  • funções orgânicas;
  • soluções;
  • neutralidade;
  • oxidação;
  • radioatividade;
  • pH.

Biologia

  • aprimoramento genético;
  • citologia;
  • ecologia e sustentabilidade;
  • evolução;
  • fisiologia humana;
  • genética.

Física

  • mecânica;
  • energia;
  • eletricidade;
  • termologia;
  • ondas;
  • óptica;
  • acústica.

Matemática e suas tecnologias

  • matemática básica — proporção, regra de três etc.;
  • estatística;
  • análise de gráficos e tabelas;
  • função do 1º e 2º grau;
  • trigonometria;
  • análise combinatória;
  • álgebra;
  • geometria plana e espacial;
  • probabilidade;
  • progressões geométricas — PA e PG.

Como se preparar para fazer uma boa avaliação?

Dedicação, planejamento, determinação e foco são termos que não podem faltar no vocabulário de quem vai fazer o Enem. Para assegurar um bom desempenho no vestibular mais concorrido do País — e aumentar as chances de conquistar uma vaga no ensino superior — é indispensável elaborar estratégias e dar início aos estudos o quanto antes.
Confira o que você deve fazer para se preparar!

Invista na organização do tempo

Quando se trata da preparação para o Enem, é fundamental deixar para trás o costume de estudar na véspera da prova e aproveitar todo o tempo disponível para garantir uma boa nota no exame.
Quem não está acostumado a estudar por um longo período pode dar início à jornada de estudos aos poucos. Para fazer isso, o estudante pode separar 1 hora e meia por dia para a realização de leituras e exercícios. Quando os estudos finalmente se tornarem um hábito, o estudante pode aumentar a carga horária para 3 horas e assim por diante.

Prepare seu espaço para estudar

Arrumar um espaço de estudo com tudo o que você precisa à mão fará toda a diferença durante a sua rotina. Isso porque a organização eliminará as distrações e demais interrupções, o que é importantíssimo para manter o foco.

Monte um plano de estudos

Criar um plano de estudos com base nas matérias mais cobradas no exame e definir horários semanais para cada uma delas é outro ponto essencial durante o preparo para uma prova.
Aqui é importante também definir prioridades e levar em consideração as suas deficiências e aptidões pessoais, pois elas determinarão quais disciplinas merecem mais do seu tempo.

Leia sobre atualidades

As atualidades sempre aparecem no Enem de alguma forma. Portanto, fique atento a tudo que acontece no mundo, assista a noticiários, leia reportagens e forme uma opinião sobre assuntos relevantes, isso com certeza aumentará seu repertório e contribuirá para que sua redação fique mais rica.

Prepare-se para a redação

Diversos estudantes ficam apreensivos quando o assunto é a redação do Enem. Se esse também o seu caso, mantenha a calma e saiba que a escrita melhora com o treino. Busque fazer ao menos uma produção textual por semana e, depois, peça a um professor ou profissional capacitado para corrigir a sua dissertação e apontar o que pode ser melhorado.

Resolva provas antigas

Realizar provas antigas é uma ótima forma de começar a se habituar com o estilo de um exame. Sendo assim, vale a pena separar 1 dia da semana e dedicá-lo para a resolução de uma prova antiga dentro do tempo estipulado no Enem.

Busque o equilíbrio

Para mandar bem no exame, não basta só estudar, é preciso buscar equilíbrio entre as suas atividades. Portanto, não deixe de reservar um tempo no seu cotidiano para relaxar e realizar atividades prazerosas, como sair com os amigos, escutar música, ficar com a família ou assistir a filmes e séries. Esses pequenos momentos são importantes para manter a mente sã.
A preparação para o Enem é uma verdadeira maratona, mas, com organização e um bom cronograma de estudos, é possível concluir a jornada e ficar mais próximo de conquistar a vaga dos sonhos.
Gostou de saber o que cai no Enem e como se preparar adequadamente para o vestibular? Então confira também o nosso Manual de Estudos do ENEM:
[rock-convert-cta id=”2754″]

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!