6 dicas para não ser penalizado pelo Google!

A penalidade feita pelos algoritmos do Google, as consequências para seu site podem ser altas, porém com alguns cuidados, é possível recuperar e até (...)

Autor: Redação Impacta

SEO, link building e outras técnicas de otimização são essenciais para o posicionamento de qualquer coisa nos sistemas de busca do Google. E assim como sua solidez é alcançada de forma árdua, cair na malha fina dos complicados algoritmos de penalidade do Google é inversamente simples.

Quando se é penalizado pelo sistema de algoritmos, seu posicionamento cai de acordo com o tamanho da violação de regras cometida. Após isso, a recuperação é possível, mas somente de modo gradual. Não iremos abordar essa recuperação, mas sim como se prevenir para que isso nunca chegue a ser necessário:

      1. Conheça as regras (e as siga)

O princípio básico da administração de conteúdo online é fazer exatamente o que o Google te diz. Eles fazem as regras e você as segue, e tudo que for feito fora das linhas traçadas, será punido.

Esse passo é simples: siga o manual de sobrevivência disponibilizado pelo Google arduamente. Não tente usar de truques de SEO, apenas capriche naquilo que já citamos outras vezes: conteúdo de qualidade.

Conheça as regras e, mais importante, siga-as. Desse modo, você já está um ponto adiante dos algoritmos que vasculham suas páginas “cheios de vontade” de aplicar punições.

      2. Faça uma auditoria em seu site

Realizar uma auditoria soa como algo um tanto burocrático, mas é o único jeito de saber de verdade o que você está fazendo errado antes de ser alvejado pela mira dos algoritmos. Mas nem de longe ela precisa ser algo complicado de fazer.

Na verdade, é algo bem simples se você seguir um roteiro. Por exemplo, conhecendo as regras do Google, observe cada página de seu site para garantir que as regras estão sendo seguidas. Mantenha o nível do conteúdo alto e certifique-se de não ter keyword stuffing e outras reminiscências de técnicas de SEO ultrapassadas. 

Se seu site tem centenas de páginas, o Google Analytics pode te ajudar a separar as páginas com maior número de visitas (Behavior > Site Content > All Pages), de onde você pode partir de cima pra baixo. Removendo conteúdos que podem ser considerados como Spam você vence a primeira batalha contra os algoritmos.

      3. Faça uma limpeza no seu link profile

Este é um dos passos finais da auditoria sugerida no item 2 dessa série, quando você faz uma espécie de “direção defensiva” com seu SEO. Um link profile é a lista de todos os links existentes em seu site. O algoritmo do Google se baseia em dois pontos-chave desse quesito:

  • a qualidade das fontes dos links;
  • o texto que serve como âncora para esses links.

Basicamente, quanto mais confiável for um site que você faz referência ou que faz referência ao seu conteúdo, mais confiável o seu site parece para o Google, criando uma espécie de rede de relacionamento sólida e segura.

Você pode acessar a lista de todos os seus links através do Google Webmasters Tools (Search Traffic > Links to Your Site > More > Who links the most > Download latest links). Dessa forma, periodicamente você pode ver como cada link afeta seu posicionamento para o Google e eliminar links de Spams e otimizar os textos que acompanham os links bons.

Diante de links que atrapalham seu posicionamento, você pode entrar em contato com os administradores do site para que os mesmos sejam removidos ou recorrer à ferramenta de permissões para removê-lo. Lembrando que, links com Spam são a causa número dois de penalidades algorítmicas.

      4. Demita seu profissional de SEO

Não nos entenda errado. Um bom profissional de SEO é fundamental para o andamento e manutenção de seu site. Porém, em muitos casos eles podem estar fazendo mais prejudicando do que ajudando seu negócio. O grande problema é que muitos desses profissionais e suas agências ainda usam técnicas que há muito tempo o Google já marcou como “mal vistas” como, replicação de conteúdo, inclusão de links de má qualidade e, principalmente, keyword stuffing, que consiste na repetição de palavras-chave em curtos espaços de texto.

De qualquer maneira, antes de tomar a decisão final, tenha uma conversa com seu SEO. Pergunte o que ele está fazendo pelo site, quais resultados isso vem trazendo, com que tipo de conteúdo vocês tem se relacionado, como ele está fazendo links e ganhando links. Peça para ver esses resultados. O mais importante disso é entender se o seu SEO está “sabotando” seu site ou se suas estratégias estão realmente ajudando.

      5. Mantenha-se atento às alterações de algoritmo do Google

A única maneira de saber se você está violando regras de algoritmo do Google é manter-se atento e compreender as constantes alterações promovidas pela empresa. Felizmente, há diversas maneiras de manter-se a par das alterações. O site Moz, por exemplo, apresenta logs das alterações em algoritmos do Google praticamente em tempo real.

Ainda assim, atualizações de algoritmos impactam tanto no cotidiano de profissionais de SEO,  que é impossível manter-se alheio a elas – cedo ou tarde você vai acabar as conhecendo. Em meio a detalhes alterados, geralmente são as mudanças maiores como Penguin ou Panda que afetam de forma mais ampla seu site. 

      6. Siga criando conteúdo de qualidade

Por último, mas não menos importante, vale mencionar que no universo dos portais de busca de hoje em dia, nada é mais relevante que a qualidade do conteúdo publicado. É o chamado marketing de conteúdo, onde a geração de conteúdo de qualidade por si só atrai usuários, gera leads e pode ser convertida em retorno financeiro.

Em passos simplificados, marketing de conteúdo baseia-se em:

  • Criar conteúdo novo com frequência, mantendo seu site atualizado e tornando-o referência em termos de pesquisa. Sim, é um trabalho constante e diário.
  • Desenvolver textos com a maior qualidade possível.
  • Produzir tipos diferentes de conteúdo. Além de textos, imagens, infográficos e vídeos são uma excelente saída para diversificar seu site, tornando-o mais dinâmico e aumentando o tráfego e engajamento  de seus usuários. 

É inevitável. Se você criar conteúdo inédito, exclusivo e de qualidade, os usuários irão visitar, clicar, ler, aprender, compartilhar e, quem sabe, consumir algo. Os links para você surgirão, o posicionamento nos portais de busca melhorará e penalidades terão maior probabilidade de serem evitadas. 

Em síntese, prática leva à perfeição. Além de dar atenção às mudanças, ao compreender corretamente como as políticas de penalização dos portais de busca funcionam, é possível começar a intuir o que o Google quer, como o algoritmo funciona e o que é necessário para obter sucesso nas classificações de resultados.

E você? Já foi penalizado por configurações de algoritmo em portais de busca? Divida conosco, nos comentários como foi a experiência, o que levou a ela e como seu site acabou se recuperando!

2 Comentários

    Deixe o seu comentário!

    Não perca nenhum post!