VMware: 4 coisas que precisam ser conhecidas!

Na plataforma VMware é possível que o seu trabalho seja mais promissor, sendo feita essa otimização a partir de algumas dicas.

Autor: Redação Impacta

Como em toda profissão, existem algumas coisas que todo administrador de VMware deveria saber fazer para tornar seu trabalho mais efetivo.

Essas tarefas são igualmente importantes na construção de ambientes VMware e resolução de problemas. Como é surpreendente ver o número de profissionais que não possuem algumas dessas habilidades, separamos quatro coisas que julgamos que todo administrador de VMware deveria saber. 

   1:  ESXTOP

Desconhecido por muitos administradores, especialmente aqueles que vêm de experiências com Windos Server, o EXTOP é uma ferramenta de relatórios de estatísticas de desempenho, com distribuições baseadas em Linux e foco na apresentação de detalhes específicos de virtualização – principalmente detalhes de máquinas virtuais, discos, rede, armazenamento, CPU e memória, todos igualmente importantes como fontes e itens em qualquer ambiente VMware.

Esteja você passando por problemas de desempenho ou simplesmente realizando testes, utilizar o ESXTOP é uma das primeiras coisas que você deve fazer, principalmente para otimizar o tempo dedicado ao projeto.

   2: vCenter Alarms

Esse é outro tópico que, de tão simples, assumimos que todo administrador conhece. Dentro do vCenter há vários tipos de alerta que podem ser programados para avisá-lo quando limites forem atingidos, o que pode ser um grande salva vidas se você não dispor de outras ferramentas de monitoramento ou mesmo como um aviso prévio antes que as ferramentas principais comecem a funcionar.

Um exemplo de uso simples e efetivo desses alertas é o que monitora o espaço de armazenamento de arquivos – te avisando quando certa porcentagem pré-definida for atingida –, um item simples porém importante, uma vez que se você ficar sem espaço durante um projeto provavelmente o programa vai entrar em pane.

   3: Configuração HA/DRS

Esse é um item cuja importância não pode ser posta em palavras. A diferença entre um cluster funcional e um problemático, que atrapalha todo trabalho de virtualização, é a configuração. Um cluster mal configurado pode causar transtornos enormes, uma vez que com a falha do hardware você pode não conseguir reiniciar todas as máquinas virtuais.

Diante disso, a habilidade de analisar os recursos de seus clusters de acordo com os requerimentos de sua máquina virtual é imprescindível. Desse modo, você pode selecionar um método de proteção HA que vai de encontro a esses requerimentos, compreendendo como o sistema operará em casa de falha em algum dos servidores.

   4: VDS Switching

Estamos em 2014 e ainda é possível ver encontrar muitos switches padrão vSphere (VSS) por aí. Não que seja o fim do mundo, mas é estranho, já que o vSphere Distributed Switch (VDS) oferece muito mais opções.

É altamente recomendável que os administradores aprendam como trabalhar e configurar um VDS já que, em longo prazo, sua maior funcionalidade é a facilidade e, novamente, quantidade de opções que oferece quanto a sistemas avançados de redes, monitoramento e resolução de problemas. 

A área de administração e virtualização de ambientes e servidores digitais é uma que segue crescendo constantemente e frequentar cursos especializados, além da prática constante, é o canal para se manter atualizado e preparado para enfrentar os desafios diários da profissão.

Esse conteúdo foi adaptado das dicas profissionais de Brian Suhr, disponível em petri.co.il.

Curtiu o post? Deixe seu comentário nos contando se o conteúdo foi relevante para você ou caso tenha ficado alguma dúvida!

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!