Financiamento e bolsas estudantis: entenda as principais questões!

Depois de pesquisar bastante e escolher a instituição de ensino que você vai se graduar, chegou a hora de conferir se há necessidade de uma ajudinha (...)

Autor: Rogério Ramalho

Depois de pesquisar bastante e escolher a instituição de ensino que você vai se graduar, chegou a hora de conferir se há necessidade de uma ajudinha extra com o pagamento da faculdade. Sendo preciso, não se preocupe, hoje em dia é possível contar com uma força a mais com programas de financiamento e bolsas estudantis.
Elas são ótimas sugestões para que você vá em frente com o seu desejo de se tornar um profissional e podem realmente fazer a diferença durante todos os anos da graduação. Então, o primeiro passo que você deve tomar é se informar bem sobre as possibilidades que a faculdade oferece e ver qual se encaixa nas suas possibilidades.
Ainda está cheio de dúvidas? Normal! Por isso, reunimos as principais questões que você deve saber e ir tirando da sua lista de prioridades. Confira abaixo e não perca tempo!

Qual a diferença entre as bolsas e os financiamentos estudantis?

A primeira informação que você deve memorizar é que é sim possível cursar uma faculdade particular sem dinheiro. Graças a muitas mudanças que vieram ocorrendo ao longo dos anos e a percepção de que facilitar a entrada dos jovens no ensino superior chegou com força total. Com isso, ganharam forças a bolsa de estudo, já mais tradicional, e o financiamento estudantil.
As duas modalidades de ajuda financeira para graduandos têm suas particularidades e auxiliam diferentes perfis de estudantes. Por isso, é bom entender a diferença entre as práticas, reunir os documentos necessários e correr atrás da sua vaga na universidade! Mas, e o que cada uma delas significa? Olha só:

Bolsa de estudo

Muito tradicional e já presente há um bom tempo como prática de instituições de ensino, a bolsa de estudo nada mais é do que uma ajuda oferecida pela própria faculdade ou até mesmo por alguma instituição de ajuda aos estudantes. Dentro da bolsa de estudo podem haver várias formas de auxílio, como as bolsas parciais e as integrais.
Mas não só isso, ainda há a chance de conseguir a bolsa por mérito, que é destinada aos que se destacarem com a melhor pontuação no processo seletivo – dando ainda mais visibilidade para que tipo de profissional você se tornará! O que vale aqui é realmente procurar pelas bolsas com grandes chances de pagamento integral, que seriam 100% incríveis para você.
Quer um bom exemplo de bolsa de estudo? O Governo Federal tem o ProUni, Programa Universidade para Todos. Com ele, você pode conseguir uma bolsa parcial ou a integralidade dos gastos com a sua faculdade. E quem pode concorrer? Alunos que estudaram o ensino médio em escola pública – vale a pena se esse for o seu caso!

Financiamento estudantil

A grande diferença do financiamento estudantil para a bolsa de estudo é que nessa modalidade você vai custear seus estudos. Porém, a facilidade que ele traz é justamente poder fazer esse pagamento de uma forma parcelada durante o curso e continuar depois, após você se formar. E quem oferece o financiamento estudantil?
Geralmente quem custeia essa prática são empresas privadas, o próprio Estado ou alguma instituição filantrópica. O bom é que realmente são oferecidas condições muito mais facilitadas para que você pague a faculdade sem ficar pesado nas contas do mês. O financiamento considera bastante o fato de o estudante ainda ganhar menos do que formado.
Um exemplo muito comum é o FIES, Programa de Financiamento Estudantil, também do Governo Federal, que é voltado para quem tem renda familiar que não ultrapasse 3 salários mínimos. E para tentar o financiamento é preciso que você já esteja matriculado em uma faculdade com avaliação oficial positiva pelo Ministério da Educação (MEC).

Quais as vantagens de cada um?

Bom, como você viu, as opções de financiamento e bolsas estudantis são realmente uma possibilidade a se pensar no ingresso a faculdade. É visível também que cada uma tem suas vantagens, certo? Por isso, tenha em mente a diferença entre elas na hora de escolher para qual opção você vai tentar, e não perder tempo com a escolha errada.
Então, anote aí: a vantagem de tentar a bolsa de estudo é não ter que pagar toda a faculdade ou custear apenas com a metade – o que já é uma baita ajuda, não é mesmo? Agora, a vantagem de optar pelo financiamento estudantil é poder contar com um bom tempo para pagar as mensalidades da universidade, principalmente depois de já estar formado!
Não importa qual das duas você pretende tentar, se conseguir ajuda de qualquer tamanho será uma ajudinha extra durante o tempo de graduação. O que é mais bacana? Saber que você pode tentar e conseguir! Afinal, quem não ficaria mais confortável tendo um apoio financeiro com a faculdade todos os meses?

O que é melhor: financiamento ou bolsa?

Depende de qual perfil você está inserido. Mas, tentar conseguir a totalidade do pagamento da universidade é, sem dúvidas, algo a se ter em mente. Porém, nem todo mundo consegue, de fato, uma abertura para a bolsa de estudos, seja porque nunca estudou em escola pública ou pelo fato de ter ficado com média regular no processo seletivo.
Digamos que a bolsa de estudo é a melhor opção para quem realmente não tem como pagar a faculdade ou não quer se comprometer a fazer esse depósito após se formar. Se esse for o seu caso e ainda contar com o fato de ter estudado ao menos o ensino médio no sistema público, não pense duas vezes e escolha por essa modalidade – é a melhor para você!
Agora, se você sempre estudou em escola particular, principalmente durante o ensino médio, a opção de financiamento estudantil é a que pode ajudar você nos pagamentos da universidade. Lembre-se de que é melhor conseguir um parcelamento ainda maior das taxas do que ter que pagar a sua integralidade.
Mas, atenção: como dissemos no tópico anterior, só pode tentar o financiamento estudantil quem tiver renda familiar abaixo de 3 salários mínimos. Portanto, se você estiver inserido nesses quesitos, nada melhor do que tentar o apoio financeiro e torcer para passar na seleção e concorrer a uma das vagas para o curso.
Conseguiu notar como a questão de “qual a melhor opção?” é relativa? A dica principal aqui é que você faça uma retrospectiva da sua vida escolar e financeira e veja qual das modalidades de financiamento ajudam as suas necessidades! Foco nisso, combinado?

O que considerar para escolher entre os dois?

Esta é uma boa pergunta, ainda mais depois de ter lido o tópico anterior. Imagine o seguinte: nas bolsas de estudo o que vale você pensar é, primeiro, quais são as possibilidades que a faculdade oferece para quem ganhará a bolsa mérito, daí veja se você acredita que pode estar entre os primeiros colocados no processo seletivo.
Outra opção também é ver se seu perfil está dentro do ProUni e se há chances claras de que você pode concorrer a uma das vagas usando esse auxílio do governo. Também há um último caminho, associações ou instituições que arcam com os estudos de alunos por algum serviço ou destaque em contrapartida. Como assim?
Você pode se comprometer a fazer alguns trabalhos para a associação durante os anos da faculdade, em uma espécie de estágio, ou até mesmo se destacar com algum projeto que tenha sido válido e útil para aquele local. Isso depende muito da região onde você mora e qual o seu grau de envolvimento com instituições como essas.
Já para quem está pensando em considerar o financiamento estudantil, é mais do que importante você ter em mente como fará para pagar as parcelas da faculdade. Ou seja, se você tem um pouquinho mais de condições de arcar com uma parte da mensalidade, não se preocupe em escolher por esta modalidade.
Vale lembrar ainda que no financiamento também é possível conseguir o auxílio na sua totalidade durante os anos de faculdade, e você só vai começar a pagar após formado e, em muitos casos, depois de um período para se estabelecer no mercado de trabalho e ter condições de começar a pagar as mensalidades, que também estão bem parceladas.

Como conseguir uma bolsa estudantil?

A primeira dica é sempre estudar e tentar se destacar ao máximo durante o processo seletivo. Manter os estudos em dia, principalmente no último ano do ensino médio, deve ser sua prioridade, já de olho em conseguir uma bolsa por mérito. Assim, você não depende de nenhuma outra ajuda, pois conseguiu garantir por conta própria esse apoio incrível.
Mas, para quem quer tentar uma ajuda pelo ProUni, por exemplo, além das questões que já falamos, é necessário que você fique de olho aos prazos do MEC, bem como fazer o Enem, Exame Nacional do Ensino Médio. Este último é peça fundamental para que você tente o auxílio do governo, então, se inscreva assim que possível e garanta sua participação.
Depois desses processos, é só seguir o que cada um indica, ficar sempre se informando sobre os prazos dos resultados e já ter todos os documentos a postos para fazer a sua matrícula. Se você não tiver internet, por exemplo, não se preocupe, pois todas as faculdades oferecem essas informações presencialmente.

Como fazer um financiamento estudantil?

Para o financiamento estudantil também não há grandes mistérios. Primeiro verifique se sua família se enquadra na renda total de até 3 salários mínimos. Caso positivo, você tem grandes chances de conseguir algum tipo de ajuda pelo Fies. Mas, estudar e se destacar no processo seletivo também contam bastante e devem ser o seu foco principal!
Se você tem uma renda maior e mesmo assim acredita que precisa de ajuda, como um financiamento, vale ir até a faculdade que quer estudar e perguntar se existem possibilidades de outros tipos de financiamentos. Para você ter uma ideia, existem faculdades que criam o seu próprio meio de pagamento – o que pode ajudar em alguns casos.
Quer mais uma dica? Se você estiver trabalhando em uma empresa da área em que quer se graduar, por que não tentar um financiamento com o seu chefe? A prática pode ser uma forma de estreitar laços com a companhia, mostrar que você realmente está comprometido em crescer junto com a empresa e ainda demonstra perseverança e força de vontade.
Marque uma reunião com seu superior e explique os motivos de você querer entrar em uma faculdade. Fale do curso em questão, o quanto ele poderá ajudar não só o seu desempenho, mas o da empresa em geral, diga que a companhia só tende a ganhar com um profissional a mais no quadro de funcionários e ainda sendo alguém que cresceu junto com a marca.
Você verá que, pelo menos, seu chefe vai notar o seu interesse – o que conta muitos pontos a seu favor. Têm alunos que conseguem uma espécie de bolsa faculdade na empresa em que atuam, tendo alguns descontos na folha de pagamento ou outras formas que podem ser flexíveis, basta você conversar claramente e abertamente com seu chefe.

Quais são os deveres e obrigações em cada modalidade?

A coisa mais importante a saber é algo que deverá figurar na sua vida a partir de então: estudar e estudar. Não pense que depois de ter conseguido a bolsa de estudos ou financiamento está tudo ganho. Muito pelo contrário, é preciso que você mantenha seu desempenho durante todo o percurso da sua graduação e se comprometa em ficar sempre entre os primeiros.
No caso da bolsa de estudos, o que você deve seguir é sempre estar em dia com as matérias da instituição de ensino. Isso quer dizer que suas notas devem estar sempre acima da média positiva ou, no máximo, na média. Notas vermelhas entram em alerta e podem facilmente tirar de você a sua bolsa, seja ela parcial ou integral.
Se por algum problema você vier reprovar por faltas ou um desempenho que lhe fará repetir determinado módulo, as possibilidades de perder sua bolsa de estudo também são altas, principalmente se for através do ProUni. Portanto, fica aqui o reforço de: aproveite a grande chance que ganhou e estude tudo o que puder durante a faculdade.
Quanto aos deveres com o financiamento estudantil, o que é válido dizer, logo no início, é que eles são mais flexíveis. Mas, isso não significa que é mais fácil ou não merece atenção, e é aí que está o problema. Tem muito aluno que pensa que, já que vai pagar em algum momento pelo seu financiamento, todas as obrigações estão liberadas. Errado.
Você também deverá manter notas dentro da média, não repetir módulos e não atrasar o pagamento das mensalidades, no caso para quem pagará alguma porcentagem do curso durante os anos estudados e terminar o pagamento após a formatura. Se você atrasar a mensalidade, talvez deverá arcar com a totalidade da taxa e até com juros. Atenção!

Existem desvantagens no financiamento e bolsas estudantis?

Será que existem mesmo, já que até agora só benefícios foram mostrados? Sim, é possível dizer que existem desvantagens para quem está em busca de financiamento e bolsas estudantis. E sabe por quê? Porque, querendo ou não, você estará comprometido com todas as regras de cada uma das modalidades, e isso durará o curso inteiro, muitas vezes até depois.
Pense que, no caso das bolsas, é praticamente impossível continuar com o auxílio se você reprovar em alguma matéria. O que quer dizer que você deverá focar 100% do seu tempo para os estudos, então, se pensa em conciliar trabalho e faculdade, pode ser um pouco difícil manter os estudos sempre em primeiro lugar.
Mas aqui a regra que sempre vale é que nada é tão complicado o bastante para tirar você da faculdade, certo? Com muita força de vontade e organização, é possível que você consiga sim manter os estudos em dia e não tirar notas vermelhas. Vai dar um pouquinho mais de trabalho, mas valerá a pena a recompensa de não ter que arcar com as mensalidades, não é?
E sobre o financiamento estudantil? Então, é aqui que existe um pouquinho a mais de perigo com o não cumprimento do acordo que você fez. Isso vale para praticamente qualquer tipo de contrato, seja ele com o Fies, com a própria faculdade ou com empresas privadas. Tudo porque se você não cumprir com o pagamento do financiamento, pode ter o nome negativado.
Infelizmente, ter o nome sujo na praça, como é conhecida essa situação, é poder já desde o começo da vida profissional não contar com utilidades que podem ser muito necessárias para a sua vida, como crédito no mercado e em bancos. Cartões de crédito dificilmente serão ofertados para você se tiver o nome negativado, por exemplo.
Porém, não precisa já colocar os pés atrás dessa modalidade, tente ver o máximo de parcelas que consegue pagar, pensando sempre no seu orçamento e como esse gasto a mais afetará a sua vida financeira. Jamais se comprometa com parcelas impossíveis de pagar, é aí que mora o perigo. Seja inteligente e calcule tudo ponto a ponto para não cair nesse erro!

Há alternativas a essas modalidades?

Sim. Mas isso depende da sua faculdade. Algumas propõem estágios internos em que o pagamento da bolsa estágio cai diretamente na sua mensalidade. Ou seja, você pode pagar seu curso parcialmente ou até totalmente com esse recurso. Existem faculdades de jornalismo, por exemplo, em que seus estagiários recebem salários abatidos na mensalidade.
O seu caso é o interesse em uma universidade com formação em TI ou Gestão? Também não tem problema, verifique se a instituição oferece esse tipo de ajuda e veja de que forma pode contribuir e ser selecionado. Vale dizer que existem processos seletivos como em qualquer outra empresa, a diferença é que aqui as suas notas também podem contar a favor.
As universidades exercem diferentes formas de prestar auxílio financeiro aos estudantes que realmente precisam desse apoio. Você pode mapear as instituições em que pretende cursar e fazer pessoalmente uma pesquisa, vendo quais oferecem alternativas de financiamento, mas sempre de olho se realmente valem a pena!
Fazer faculdade é o sonho de muitas pessoas e os brasileiros querem, cada vez mais, ter uma graduação no currículo. Mas, o que muitas vezes impede que esses estudantes se tornem alunos de verdade é a questão financeira. Você sabia, por exemplo, que existem muitos estudantes com notas boas para passar, mas que não têm como arcar com os estudos?
Ver uma pessoa desistindo de um passo importante como esse é triste, certo? E quem perde mais é o próprio país, que deixa de absorver pessoas com capacidade superior e conhecimentos aprofundados em milhares de áreas específicas. Por isso, cada vez mais o que se vê são opções para facilitar o ingresso dos brasileiros nos ensinos de graduação.
Muito mais do que isso, esse tipo de prática se faz necessária para ajudar quem tem interesse em procurar uma carreira melhor e potencializar as suas oportunidades no campo profissional. E não é porque você não tem dinheiro agora que não terá nunca, não é mesmo? O que você e milhares de brasileiros precisam é de oportunidade para exercer uma profissão, como financiamento e bolsas estudantis.
Se até agora, neste artigo, você se viu em diferentes aspectos, isso significa que chegou a hora de você se informar muito mais e ir atrás do seu diploma. Vale ressaltar que o Brasil precisa de profissionais, como os de TI, que estão ganhando mais e mais espaço devido à tecnologia que inova a cada dia.
Veja quais são as suas reais necessidades, confira nas faculdades de seu interesse, reúna todos os documentos necessários, faça a prova do Enem, estude muito e não desista! Muito menos ao se deparar com um sinal de dificuldade. Se o que você precisa é de financiamento e bolsas estudantis para cursar a sua graduação, agora você já sabe que é possível e que existem muitas possibilidades. Animou, não é? Então, corra atrás e se destaque no mercado de trabalho!

Continue a leitura e veja este guia completo de carreira na área de tecnologia!

Guia Completo sobre financiamento e bolsas estudantis

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!