7 linguagens de programação mais requisitadas

Quer entrar para a "quente" área de desenvolvimento? Comece escolhendo entre as linguagens de programação para aprender e se especializar. Confira!(...)

Autor: Redação Impacta

Não pode ler esse artigo agora? Ouça a matéria no Player abaixo:

Hoje o mercado conta com uma ampla variedade de linguagens de programação, sendo algumas mais adequadas do que outras, a depender do tipo de negócio ou projeto em questão. Em apenas um índice produzido pela TIOBE — uma organização especializada em qualidade de software — são mencionadas 250 linguagens, aproximadamente.
É comum que existam dúvidas sobre qual delas deve ser aprendida e isso se deve a, além da questão da quantidade, fatores como a finalidade, curva de aprendizado, salários e demanda de mercado. Além disso, também é comum que os desenvolvedores se identifiquem mais com um estilo de linguagem e isso acaba sendo um fator de influência na decisão.
Por conta disso, preparamos este post para falar sobre algumas das principais linguagens existentes no mercado e suas principais características. Desse modo, será mais fácil decidir por qual delas optar. Quer saber mais? Então continue a leitura e confira!

Por que aprender uma linguagem de programação?

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Escritório de Estatísticas de Trabalho dos EUA, os empregos na área de desenvolvimento de software tendem a crescer aproximadamente 8% nos próximos 7 anos e conseguir um bom emprego no ramo é o objetivo de grande parte dos que buscam aprender uma linguagem de programação.
Além disso, a área conta com ótimos salários e benefícios que diversas áreas não têm — como flexibilidade de horário e local, por exemplo. Tudo isso tem tornado a área bastante atrativa, mas o mercado ainda conta com diversas vagas para as principais plataformas e linguagens.
É comum que, em cursos de graduação na área, sejam trabalhadas uma ou duas linguagens, mas que não necessariamente são as melhores para os objetivos do estudante ou as mais requisitadas do mercado. Falaremos um pouco mais sobre cada uma delas no tópico seguinte.

Quais são as linguagens mais requisitadas no mercado?

É fato que saber uma linguagem de programação pode, além de melhorar a carreira, ajudar a encontrar boas oportunidades de trabalho. A seguir, mostramos quais são as principais delas e as suas finalidades, categorizando-as por área. Confira!

1. Java (web)

O Java é uma linguagem de programação criada em 1991 pela Sun Microsystems com o intuito de controlar dispositivos pequenos. Entretanto, após a ascensão da internet, a Sun passou a implementar a linguagem em aplicações web até que, mais tarde, em 2009, a Oracle passou a ser proprietária da linguagem, devido à compra da Sun Microsystems pela Oracle.
Atualmente, o Java é utilizado em diversos ambientes, desde smartphones até servidores, o que o torna uma das tecnologias mais requisitadas do mercado. Além disso, a linguagem também é uma das principais referências em orientação a objetos e escalabilidade, tornando-a uma ótima opção para quem deseja iniciar na área e trabalhar no desenvolvimento back-end de aplicações web.

2. Phyton (web)

Phyton é uma linguagem interpretada — assim como o Javascript —, lançada em 1991 e de paradigma funcional. Essa é uma ótima opção para iniciantes no mundo da programação por causa da sua fácil curva de aprendizado e sintaxe flexível. Isso fez com que ela fosse, inclusive, adotada como primeira linguagem em diversas universidades.
A linguagem está presente em diversos softwares e empresas atuais, como o Spotify e Dropbox, por exemplo. Sua utilização geralmente é voltada para projetos web e, mais recentemente, na área de machine learning e inteligência artificial, um ramo da tecnologia que tende a crescer nos próximos anos.

3. Ruby (web)

O Ruby é uma linguagem voltada para a produtividade e com uma curva de aprendizado facilitada. Sua fama se deve, em partes, ao framework Ruby on Rails, que é utilizado para o desenvolvimento de aplicações web.
Por poder ser utilizada em diversos cenários, a demanda por programadores que utilizam essa linguagem tem crescido nos últimos anos e grandes empresas a utilizam em seus projetos, como o Twitter e o Airbnb.

A única ressalva para essa linguagem é a sua baixa escalabilidade, uma vez que gasta mais processamento para lidar com os erros admitidos no código do programador.

4. PHP (web)

O PHP é uma das linguagens mais conhecidas para o desenvolvimento back-end de aplicações web. É uma linguagem controversa — é bastante amada por uns, mas detestada por outros. Entretanto, gera produtividade no desenvolvimento, permitindo que seja utilizada tanto para manipulações no front-end quando para interagir com banco de dados, por exemplo.
Existem diversas oportunidades de trabalho para quem desenvolve com PHP e isso se deve, em grande parte, à sua ampla utilização em blogs, sites e gerenciadores de conteúdo como WordPress, além dos seus vários anos de mercado, o que consolidou a tecnologia.

5. Javascript (web e mobile)

Diferentemente do Java, que é uma linguagem compilada, o Javascript é uma linguagem interpretada por navegadores de internet, sendo utilizada no desenvolvimento web para, principalmente, lidar com a renderização de páginas e recursos do lado do cliente. Antes, essas tarefas eram realizadas no lado do servidor, o que provocava certa lentidão nas respostas.
Além disso, o Javascript vem sendo utilizado em tecnologias como o Node.js, que lida com processos do lado do servidor e até mesmo no desenvolvimento mobile, por meio de bibliotecas como o React.js. É bastante escalável, reutilizável e relativamente simples, o que a torna bastante requisitada nos serviços multiplataforma.

6. C# (desktop e mobile)

O C# foi lançado em 2001 para ser utilizado nas aplicações da Microsoft em substituição ao Java, que não tinha uma boa compatibilidade com as bibliotecas de código nativo que já existiam.
Vale notar que, antes do C#, a gigante de Redmond tentou utilizar o J++, uma implementação própria do Java. No entanto, como isso gerou problemas jurídicos com a Sun, ela deixou de ser utilizada. Após isso, para agir com o C#, a Microsoft também desenvolveu a plataforma .NET, que trabalha com diversas linguagens de programação que teriam bibliotecas compartilhadas.
Hoje o C# é uma das linguagens mais utilizadas do mercado e isso se deve ao trabalho da Microsoft em reunir o melhor de diversas plataformas do mercado e também por ser a principal linguagem para o desenvolvimento de aplicações Windows.
Além disso, as vantagens do .NET Core e tecnologias como o Xamarin, que é voltado para o desenvolvimento mobile, reafirmam que aprender C# é um ótimo investimento, ainda que essa linguagem conte com uma curva de aprendizado maior do que Javascript ou Phyton.

7. C (hardware)

Desenvolvida no início da década de 1970 para o sistema operacional Unix, o C é uma linguagem procedural, ou seja, é executada conforme seus comandos são lidos. Essa é uma linguagem considerada de propósito geral, já que pode ser utilizada no desenvolvimento de quase todo tipo de projeto.
Uma das principais vantagens da linguagem C é a sua capacidade de trabalho em baixo nível, ou seja, de manipular instruções com uma proximidade maior do hardware. Por conta disso, ela se torna ideal para quem precisa gerenciar bits e otimizar processos para economizar memória em pequenos dispositivos. Por conta da sua pouca exigência de processamento, é ideal para, por exemplo, dispositivos da Internet das Coisas — a IoT.
Assim, nota-se que existem diversas opções no mercado para aqueles que têm interesse em trabalhar na área de programação. Basta escolher qual delas atende melhor às suas preferências e necessidades.
Agora que você já sabe quais são as principais linguagens de programação do mercado, tem interesse em continuar sempre informado sobre a área? Então não deixe de assinar a nossa newsletter para ficar por dentro das novidades!
 

4 Comentários

    Deixe o seu comentário!

    Não perca nenhum post!