4 Dicas para aumentar a Proteção de Dados mesmo no Home Office

Em tempos de Home Office e de Megavazamento de Dados, as Empresas Aumentam a Preocução com a Proteção de Dados. Veja 4 Dicas Básicas!

Autor: Redação Impacta

Dois megavazamentos de dados em menos de um mês, expondo informações sensíveis e documentos de boa parte da população brasileira, inclusive do presidente da República. 

Pois é, o ano não começou nada mole para a recém-criada ANDP (Autoridade Nacional de Proteção de Dados), que já vem tendo bastante trabalho nos primeiros meses de 2021.

Responsável por apurar de onde e como aconteceram os vazamentos que atingiram mais de 223 milhões de brasileiros somente em um caso, a Autoridade foi criada para atuar como reguladora da Lei Geral de Proteção de Dados.

Porém, as investigações se mostram difíceis e, sem uma conclusão quanto a origem dos vazamentos, profissionais e empresas temem a exposição dos dados e a possibilidade de ataques, golpes e prejuízos.

Ao mesmo tempo, porém, essas mesmas empresas precisam se adequar e aumentar a proteção para atuar no cenário atual do mercado, em que o trabalho remoto vem se expandindo.  

Por isso, adotar mecanismos de controle e segurança cibernética para garantir mais segurança no home office é uma preocupação crescente nas empresas, mas como começar a fazer isso?

Embora seja muito difícil – senão impossível – eliminar todos os riscos, como vimos nos casos dos megavazamentos – algumas dicas de proteção ajudam a evitar ataques e falhas mais comuns. Separamos 5 para você, confira!

4 Dicas para aumentar a Proteção de Dados no Home Office

Enquanto 76% das empresas brasileiras contam com funcionários trabalhando com dispositivos pessoais – um reflexo das necessidades de adaptação durante o período de pandemia – apenas 16% delas investiram mais em Cibersegurança no ano passado.

Os dados são do estudo feito pela Marsh Brasil a pedido da Microsoft, que foi divulgado em 11 de fevereiro de 2021, e mostram o tamanho do desafio para as empresas garantirem uma proteção integrada aos dados.

Nesse cenário, as operações e informações ficam ainda mais sensíveis a possíveis ataques. 

Por isso, investir em práticas e recomendações básicas de cibersegurança é fundamental para que a empresa possa garantir o mínimo de proteção e conscientização dos colaboradores sobre a correta manipulação de informações confidenciais.

proteção de dados

Embora não eliminem completamente os riscos, algumas recomendações básicas são eficazes para prevenir as ameaças mais comuns nesse novo ambiente de trabalho remoto. Separamos 4 para você, confira:

1 – Aproveite as vantagens da nuvem

A computação em nuvem transformou a maneira de armazenar e compartilhar documentos e trabalhos no mundo, tornando-se fundamental para possibilitar o trabalho remoto de forma segura e integrada.

Além de facilitar a execução de projetos e tarefas compartilhadas, as soluções em nuvem oferecem boas soluções para proteger as informações e dados das empresas. As grandes fornecedoras estão sempre atualizando os critérios e recursos de segurança.

2 – Use a autenticação de múltiplos fatores

Muitas empresas e soluções digitais, como a própria Microsoft, por exemplo, já utilizam a autenticação de múltiplos fatores como método obrigatório para todas as contas administrativas da companhia. 

Isso porque apenas com essa “medida simples”, já é possível “reduzir em 99,9% os ataques de roubo de identidade”, segundo a gigante. A recomendação ideal é que o método usado seja de um aplicativo autenticador ao invés de SMS ou por voz.

3 – Inteligência Artificial para Monitorar riscos

A Inteligência Artificial para criar automatizações e facilitar tarefas também pode ser muito útil na rotina de segurança da empresa.

Fazendo checagens frequentes de pontos críticos e analisando o comportamento dos usuários, a tecnologia é capaz de detectar e prevenir novos tipos de ataques ou comportamentos anormais.

Com isso, fica mais fácil e efetivo o trabalho de identificação e diminuição de riscos, além de tornar as respostas a possíveis ataques mais ágeis.

4 – Treine os seus colaboradores

Pouco adianta ter uma política de segurança e aplicar soluções de defesa, se os usuários não estiverem engajados e preparados para as boas práticas no uso das informações.

Além da conscientização de todos os times, os treinamentos são fundamentais para formar colaboradores capazes de identificar e lidar com ataques mais comuns.

Oferecer cursos básicos como sobre a LGPD, fazer simulações de ataques e treinar funcionários específicos para lidar com segurança da informação não só garante mais proteção, como aumenta o capital intelectual da empresa.

Quer saber mais sobre Proteção de Dados nas Empresas? Confira o nosso Guia completo sobre tecnologias no auxílio da proteção e segurança de dados

1 Comentário

  1. Alicia disse:

    Adorei o artigo, principalmente pelo destaque em não ter experiências. Por experiência própria, aconselho também o aprofundamento ao home office, até para quem não tem experiência.
    Entenda como funciona o home office e comece agora:
    https://hotm.art/trabalharsemsairdecasa

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!