Segredos da diagramação que você PRECISA conhecer!

A diagramação é o processo que ajuda a criar um visual bonito para as páginas, mesclando ferramentas e design, em um software em específico: o InDesign.(...)

Autor: Redação Impacta

Não pode ler esse artigo agora? Ouça a matéria no Player abaixo:

Se você pesquisar pelo significado de diagramação em manuais, livros didáticos ou textos na internet, é provável que você encontre a seguinte descrição: 
Diagramação é um processo de distribuição de elementos em um espaço. Por exemplo, em uma página de web, jornal ou revista. 
Boa parte do trabalho de um diagramador é justamente isso: organizar a disposição de textos, fotografias, gráficos e outros elementos em uma composição para que ela fique fluida, bela e atraente. 
Na prática, porém, diagramar é um trabalho amplo de composição visual que julga um tratamento cuidadoso da informação. Quer saber tudo que envolve, quais os benefícios e os segredos para acertar sempre ao diagramar qualquer material? Continue lendo!

  Como é o processo de diagramação?

 Muito além da distribuição de elementos para se criar uma página bonita, o processo de diagramação indica para o público o que é mais importante em uma página e qual ordem de leitura é a mais eficiente para ser seguida. 
Ela hierarquiza e torna legível a informação de uma composição, e por isso, é uma etapa essencial na produção de qualquer peça visual.
Diagramar é um trabalho também bastante flexível, que pode ser realizado com alguns softwares profissionais, em especial o InDesign, da Adobe, que é a ferramenta mais usada nesse mercado, mas também através de outros aplicativos e programas, como o GIMP. 
Além do domínio técnico das ferramentas, é essencial que o diagramador tenha noções de design: desde a aplicação de formas a regras de composição, ao uso das cores, seleção de fontes tipográficas e conhecimento em edição e tratamento de imagens.

Habilidade em fotografia, ilustração e outras áreas relacionadas às artes visuais são excelentes conhecimentos adicionais para um diagramador.

  Os benefícios de uma boa diagramação

Existem diversas linhas de pesquisas, entre elas a fenomenologia da Gestalt alemã, que demonstram como projetos de diagramação bem executados tornam os objetos mais agradáveis ao olhar.
Entretanto, a diagramação não influencia apenas na aparência de uma peça. Uma composição bem diagramada é mais legível e as informações se tornam melhor hierarquizadas, facilitando a leitura do público e aumentando as chances de uma boa comunicação.
A diagramação também é uma ferramenta importante na consolidação de uma identidade visual de uma empresa ou instituição. A ideia é que o público possa reconhecer traços, formas, cores, letras e disposições como características de uma determinada marca. 
Agora que você já sabe o que é diagramar e os seus benefícios, está na hora de colocar a mão na massa, não acha? Veja o que separamos para te ajudar a começar!

    As 5 dicas para uma boa diagramação

      1. Aprenda a criar uma boa hierarquia

Hierarquizar toda a informação que irá ser utilizada deve ser o primeiro cuidado de um diagramador, até porque, não adianta nada compor uma página belíssima, na qual o leitor não consiga entender o que é título, o que é texto, onde começa a leitura e o que vem antes e depois de um determinado trecho.
Para isso, uma boa dica é desenhar um esboço do que você irá compor: pegue uma folha de papel e tente organizar títulos, subtítulos, texto e imagens, utilizando formas simples como retângulos e círculos. 
Trace os fluxos da informação ao longo da página, organizando o que deve ser lido primeiro, o que precisa ter destaque e o que pode ser lido secundariamente.
Além de trabalhar com tamanhos padrões para as palavras e imagens, como diagramações diferentes de imagens principais e secundárias, é importante ter os “respiros” entre os espaços da página.

       2. Escolha a tipografia com sabedoria

 A tipografia é um dos elementos principais para a diagramação. Os variados tipos de letras, chamados de fontes no design, têm efeitos totalmente diferentes sobre a leitura. 
Uma fonte com letras maiores e mais grossas pode sugerir uma mensagem mais impactante ou emergencial. Por outro lado, uma fonte com letras mais delicadas e traços mais finos deve propor uma comunicação mais próxima e acolhedora.
É preciso levar em conta diversos fatores na hora de escolher a tipografia, como:

  • largura e tamanho das letras;
  • espaçamento entre as palavras e linhas;
  • traços e prolongamentos nas extremidades;
  • aplicações de acentos e caracteres especiais.

No caso da leitura no impresso, fontes serifadas para grandes textos são as mais indicadas, e fontes sem serifa, no caso de publicações na internet. 
É interessante utilizar tipos diferentes de fontes, como uma para títulos e outra para o corpo principal dos textos. No caso de infográficos e ilustrações, por exemplo, fontes variadas podem deixar a composição bem mais atraente.   

      3. Use as cores ao seu favor 

As cores são um dos elementos mais eficientes da composição. Um bom esquema de cores, com uma seleção adequada de tons semelhantes e que contrastem entre si, pode transformar completamente uma peça visual. Uma boa dica é esboçar uma paleta de cores logo no início do trabalho de diagramação.
É interessante pensar no esquema de cores a partir de tons complementares – as cores que são as mais contrastantes entre si -, criando uma ótima forma de criar destaques em meio à muitos elementos. São cores complementares entre si o vermelho e o verde, o azul e o laranja, o amarelo e o violeta
Segundo a teoria das cores, o tom que você utiliza também pode sugerir sensações específicas: cores quentes – vermelho, laranja e amarelo -, costumam sugerir humores mais vibrantes, ativos, expansivos, como campanhas de varejo. Já tons frios – azul, ciano e violeta – indicam expressões mais calmas, estáveis, como um anúncio de SPA.
 Tenha também em mente que cores podem estar ligadas a significados culturais específicos. Determinado esquema de cor pode remeter diretamente a um partido político, empresa ou país, por exemplo. Uma cor também pode ter uma simbologia completamente diferente em uma cultura estrangeira.

      4. Dê atenção às imagens

Boas fotografias, ilustrações bem trabalhadas e vídeos com boa finalização são elementos que devem ser aplicados, sempre que possível, na diagramação de revistas, anúncios e sites. 
Utilizar apenas imagens de sua autoria ou de bancos é uma regra fundamental. Existem diversos bancos de imagens, tanto gratuitos quanto pagos, que possuem imagens, animações, ícones e infográficos de alta resolução, o que é muito importante para as aplicações.  
É recomendável utilizar imagens com resoluções de, pelo menos, 72 pontos por polegadas (DPI), evitando efeitos pixelados na imagem. Já para imagens que serão impressas, o ideal é utilizar imagens com pelo menos 300 DPI. 
É importante também ter em mente que existem basicamente dois padrões de imagens: o RGB, que  utiliza um padrão de cores para arquivos digitais, e o CMYK que é destinado à impressão. Sempre salve os arquivos de imagens no formato correto para evitar distorções nas cores, sobretudo para impressão. 

      5. Tenha uma identidade consistente

 É fundamental se esforçar para manter uma identidade visual consistente quando for diagramar peças para uma mesma marca, já que a mesma pode ajudar a desenvolver a relação da marca com o público, criando estabilidade e confiança.
Caso já exista um manual de aplicação da marca, siga as instruções e os padrões estabelecidos. Se não existir, é bom se inspirar na logo da organização e no que já foi produzido.
Procure por cores, fontes, ícones e disposições utilizadas com mais frequência. Até mesmo imagens, como fotografias e vídeos devem entrar na composição da identidade visual, podendo utilizar um mesmo filtro para tratar todas as fotografias.
O objetivo final de um bom trabalho de identidade visual é criar um padrão para que, no momento que o público tenha contato com uma determinada peça, já reconheça de cara a sua marca. 
  Como você pode perceber, diagramar vai muito além do que só “deixar uma peça bonita”. É tornar o projeto legível, organizado, funcional, e atraente. 
Com essas dicas – dando uma atenção especial para a hierarquização da informação, seleção e tratamento de fontes, cor e imagem -, você irá conseguir desenvolver uma identidade visual para seus trabalhos, que será consistente e duradoura.
Dominar as técnicas de diagramação com o Indesign é uma ótima maneira para você se especializar profissionalmente na área. Fazer cursos rápidos, presenciais e online é uma boa dica para aprender o software da Adobe.
E como diagramação não é apenas uma tarefa técnica, busque também se aperfeiçoar nas teorias de design, utilização de cores, formas e tipografias, edição de imagem e outros estudos e conceitos que irão lhe auxiliar a produzir trabalhos mais belos e eficazes.
Curtiu esse post? Deixe seu comentário sobre como ele foi útil para você ou caso haja alguma dúvida no assunto!
 

Deixe o seu comentário!

Não perca nenhum post!