Minha Conta
Recuperar Senha

Digite seu endereço de e-mail que foi cadastrado e enviaremos seus dados de acesso.

Minha Conta

A senha deve conter no mínimo 6 caracteres.

Ao se cadastrar, você concorda com a Política de Privacidade e Segurança

Mudar Data: Photoshop CS6 Módulo I
Preço
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
  Itens Preço
Carrinho de Compras
O carrinho está vazio.
INVESTIMENTO TOTAL:0,00

Esqueci minha senha

Foi enviado um e-mail para com os dados de acesso.

Business Model Canvas: como usar essa ferramenta na sua rotina?

Ter uma ideia de negócio é um momento único: você percebe que ela tem potencial e imediatamente é tomado de uma euforia sincera. É exatamente nesse momento que começa o trabalho para fazê-la sair do papel. O caminho, árduo, pode ser percorrido com mais facilidade se forem usadas as técnicas adequadas.

Uma das ferramentas que ajudam nessa jornada é o Business Model Canvas (às vezes chamado apenas de Canvas), um documento que descreve todos os aspectos importantes do empreendimento. Esse recurso facilita a montagem do modelo de negócios e, consequentemente, do Plano de Negócio.

A metodologia foi desenvolvida por Alexander Osterwalder e Yves Pigneur, e apresentada no livro Business Model Generation. Graças à facilidade de implementação e manutenção, que é visual, holística, flexível, colaborativa e sistêmica, ela tem sido muito usada por startups para estruturar seus modelos de negócios.

Facilidade

Antes do Canvas, preparar um Plano de Negócio era a forma mais comum de avaliar a viabilidade de uma ideia. Só que esse documento é extenso e, muitas vezes, quando ficava pronto, já estava defasado. Além de ser difícil de atualizar e de compartilhar as mudanças com a equipe.

Isso não significa que ele é desnecessário, apenas que será preparado numa fase posterior. Como é um escrito longo, bastante detalhado, sempre há uma maneira de mostrar o potencial da ideia com cálculos positivos. Assim, tem-se em mãos um projeto bastante atraente no papel, mas nem sempre viável na prática.

Com o Canvas, coloca-se numa folha de papel as bases do modelo de negócio. Em seguida, são feitas investigações e testes para comprovar as ideias e adaptá-las ao mercado. Após a análise, validação e reflexão sobre o modelo de negócio, cria-se o Plano de Negócio — mais bem estruturado e com mais potencial de sucesso.

Por que usar?

Enxergar as áreas-chave da empresa de forma integrada é um diferencial do Business Model Canvas. Afinal, ele permite, em apenas uma página, entender o modelo de negócio e visualizar a relação (ou a influência) entre as áreas. Num contexto de concorrência global e inovação, um bom modelo de negócio pode definir o sucesso.

Quando usar

Essa ferramenta estratégica serve tanto para criar projetos do zero quanto para melhorar negócios já existentes. Ela pode ser usada em diferentes situações:

    • colocar ideias de negócio no papel: uma atividade interessante pode ser pedir que amigos e familiares ajudem a criar diferentes modelos de negócios a partir de uma ideia.Devem sair daí vários Canvas diferentes, que podem ser filtrados para que aqueles que apresentam maior potencial sejam selecionados e melhor investigados;


    • discutir com os sócios: reuniões com muita conversa e poucas decisões não são produtivas. Uma ferramenta que ajude a organizar as ideias pode ser bastante útil nesse cenário. O Canvas permite descrever o modelo de negócio e fazer que todos os sócios falem a mesma língua e se entendam;


    • apresentar a investidores: o Business Model Canvas ajuda a apresentar de maneira integrada e rápida as áreas-chave do empreendimento. Isso pode ser bastante útil em uma reunião com investidores, pessoas muito ocupadas, que não têm tempo para ouvir a uma proposta detalhada de 50 páginas.
 

O Business Model Canvas ajuda a criar seu plano de negócio

Como usar?

São quatro as etapas que compõem o Canvas: o que, quem, como e quanto. Em sua única página, ele tem nove quadrantes para descrever as áreas-chave da empresa. Esses blocos são preenchidos com notas autoadesivas, tipo post-it, que facilitam alterações — como acréscimo, remoção e realocação de ideias.

Cada nota deve ter informações relevantes e fundamentais sobre o negócio e ser colada no bloco apropriado. Os quadrantes do Business Model Canvas são:

  • segmentos de clientes;
  • propostas de valor;
  • canais;
  • relacionamento com clientes;
  • fontes de receita;
  • recursos-chave;
  • atividades-chave;
  • parceiros-chave;
  • estrutura de custo.

Quadrantes

Para preencher o Canvas, é preciso fazer uma reflexão sobre os nove aspectos que compõem o modelo de negócio.

Segmentos de clientes

É essencial saber quem são os potenciais consumidores e identificar quais segmentos são mais importantes.

  • Para quem será criado valor: o grande público ou um nicho específico?
  • Quais são os segmentos prioritários?
  • Há segmentos de clientes que estão relacionados?

Propostas de valor

É o que agrega vantagem competitiva a uma marca e a faz diferente da concorrência. Essa é a razão pela qual o consumidor compra o produto ou serviço.

  • Que produtos ou serviços são entregues a cada segmento de clientes?
  • Que valor será entregue ao consumidor?
  • Que problema a empresa ajuda a resolver?
  • Que necessidade do cliente é satisfeita?

Canais

É importante avaliar quais canais serão usados para entregar a proposta de valor a cada segmento de clientes.

  • Quais canais serão usados para atingir o consumidor?
  • Como ele é alcançado atualmente?
  • Como os canais estão ligados entre si?
  • Que canal funciona melhor?
  • Que canal tem menor custo?

Relacionamento com clientes

Como a marca se relaciona com o cliente e o que quer inspirar nele.

  • Que tipo de relação a marca quer ter com o consumidor?
  • Que tipo de relacionamentos o segmento de clientes espera da empresa?
  • Quais são os relacionamentos já estabelecidos?
  • Como esses relacionamentos estão integrados a outros aspectos do negócio?
  • Quanto custam os relacionamentos existentes?

Fontes de receita

É importante buscar modelos inovadores de fontes de receita, não apenas o que prevê a venda direta.

  • Quanto o consumidor está disposto a pagar pela solução?
  • Como ele paga hoje?
  • Como gostaria de pagar?
  • Pelo que paga atualmente?
  • Que margem será obtida?
  • Qual é a contribuição de cada fonte de receita para a receita total?

Recursos-chave

São os recursos necessários para entregar a proposta de valor.

  • Quais são os recursos materiais, humanos e/ou financeiros necessários?
  • Quais deles são essenciais para nosso modelo de negócio?

Atividades-chave

Englobam as atividades que devem ser realizadas para entregar a proposta de valor.

  • Quais são as atividades essenciais no modelo de negócio?
  • Como serão realizadas?

Parceiros-chave

São os parceiros que potencializam a proposta de valor e são necessários para executar o modelo de negócio.

  • Que parcerias são necessárias?
  • Como o parceiros podem ajudar a melhorar o modelo de negócio?
  • Quem são os parceiros-chave?
  • Quem são os principais fornecedores?
  • Que recurso importante a empresa consegue dos parceiros?
  • Que atividades eles exercem?

Estrutura de custo

Inclui os custos fixos e variáveis da operação. É uma área em que é possível inovar muito.

  • Qual é a estrutura de custos do modelo de negócio?
  • Quais são os custos mais importantes?
  • Quais são os recursos e as atividades mais caros?
Em resumo, o Business Model Canvas permite que o empreendedor tenha um panorama claro do cenário que o aguarda se decidir investir na ideia que tem. É um ótimo exercício para quem quer enfrentar esse desafio.

E aí, gostou deste conteúdo? Então, compartilhe-o nas redes sociais para que mais pessoas possam ter acesso a ele.
 
[fbcomments url="" width="100%" count="off" num="3" countmsg="wonderful comments!"]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">

Artigos Relacionados