Minha Conta
Recuperar Senha

Digite seu endereço de e-mail que foi cadastrado e enviaremos seus dados de acesso.

Minha Conta

A senha deve conter no mínimo 6 caracteres.

Ao se cadastrar, você concorda com a Política de Privacidade e Segurança

Mudar Data: Photoshop CS6 Módulo I
Preço
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
  Itens Preço
Carrinho de Compras
O carrinho está vazio.
INVESTIMENTO TOTAL:0,00

Esqueci minha senha

Foi enviado um e-mail para com os dados de acesso.

Os mercados mais promissores para startups

Apesar das crises financeiras ao redor do globo nos últimos anos, o mercado segue com um cenário favorável e aberto para empreendedores dispostos a dar corpo à ideias diferentes e ser o novo sucesso do mundo corporativo.



Mas o que as previsões de especialistas dizem sobre o futuro dos negócios? Quais indústrias merecem a atenção e o investimento desses empreendedores? Onde estão as grandes ideias e qual o melhor ramo para iniciar seu negócio?



Analisamos a opinião de profissionais e separamos os mercados mais promissores para empreendedores e startups. E o resultado você aqui! Vamos lá?

1 - Internet das Coisas

Já não é de hoje que a Internet das Coisas é a grande moda no setor de tecnologia. E os especialistas dizem que toda essa hype é mais do que merecida, uma vez que todas as grandes empresas estão em uma corrida acelerada para desenvolver ou por as mãos em tecnologias que ponham seu produto no mesmo passo da evolução das conexões da rede.



Se historicamente esse passo impactava somente em empresas de tecnologia, hoje seu impacto já começa a ser sentido em indústrias mais tradicionais, como a automobilística, a de eletrodomésticos ou mesmo em jogos infantis.



As grandes corporações vêm traçando suas estratégias de atuação de acordo com os avanços da Internet das Coisas de modo que possam operar de forma mais rápida, barata e eficiente.



E é nesse ponto que o empreendedor e as pequenas empresas podem se inserir na história. Todos os grandes players do mercado estão abertos a tecnologias que melhorem seus processos e dispostos a investir nisso. Um exemplo de lucro com a Internet das Coisas é o da Nest Labs, que produz termostatos e detectores de fumaça conectados à rede, comprada pelo Google por U$3,2 bilhões.

2 - E-Commerce Personalizado

Não se deixe enganar: o comércio online é um cenário brutal para iniciantes. Superlotado e dinâmico, tende a “engolir” empresas menores e manter aquelas com inventário maior e mais capital no topo da cadeia varejista. Diante disso, como os pequenos negócios poderiam ganhar seu espaço nesse terreno tão competitivo?



Segundo especialistas, a resposta, muito semelhante à solução da Internet das Coisas, está na oferta de produtos e serviços personalizados.



Os negócios, como quaisquer outros bens de consumo, se tornaram uma espécie de commodity. E nesse cenário, diferenciação é a chave. Varejistas de comércios online devem atrair atenção com conteúdo e produtos chamativos e feitos sob medida para seu público, produzidos com auxílio de dados a respeito de comportamento e necessidades, visando atender seus gostos específicos.



De acordo com um estudo de reação de consumo, realizado em parceria pela MyBuys e o e-tailing Group, 40% dos consumidores compram mais de varejistas que personalizam todos seus canais de vendas. 

E-commece personalizado é uma área para se investir em startup

3 - Tecnologia Educacional

Mesmo que o número de egressos do ensino médio venha aumentando, ainda há muita desistência nas escolas de todo país. Diante disso, o grande desafio dos professores e administradores de escolas é manter os alunos em suas carteiras. E a solução que tem parecido mais eficaz é a incorporação da tecnologia em todos os aspectos da experiência de um dia letivo.



A pressão por resultados, eficiência e o aumento da satisfação dos estudantes alimenta a disputa do mercado, uma vez que as escolas que não aplicam a tecnologia a seu favor acabam ficando pra trás, sendo preteridas em favor das com sistema mais moderno.

Segundo especialistas, empreendedorismo é muito sobre preencher lacunas, e no mercado de tecnologia educacional ainda há muitas brechas no que se trata da melhora dos sistemas de aprendizado, programas analíticos de mensuração de sistema educacional, cursos online em massa e material didático digital, tornando-o um mercado extremamente “quente” e cheio de oportunidades.

4 - Desenvolvimento de Apps

Com a grande onda de empresas expandindo seus negócios para plataformas móveis, o trabalho de desenvolvimento mobile está com a demanda em alta. E na maioria dos casos, os designers e engenheiros de software trabalham por conta própria, sem uma grande empresa por trás de seus serviços.



Isto é uma coisa boa, uma vez que enquanto grandes empresas investem boa parte de seu orçamento em novas tecnologias, desenvolvedores freelancers têm a habilidade de se virar com os aparelhos que eles já possuem, o que lhes possibilita alçar voo em um espaço menor de tempo.



Segundo especialistas, os quatro maiores players da indústria de desenvolvimento de apps para smartphones somam somente 12% das vendas em 2014, tendo o mercado se beneficiado do número crescente de dispositivos móveis conectados à internet, que por sua vez aumentou em uma média anual de 36,8% nos últimos 5 anos.

5 - Tecnologia Vestível

De relógios inteligentes que funcionam como celulares até colares digitais que acompanham sua (ou de seu bichinho de estimação) saúde e nutrição, a tecnologia vestível está invadindo as lojas e os guarda-roupas ao redor do mundo.

Por trás dessa rápida expansão estão os baixos custos de produção e o acesso fácil dos manufatureiros às partes dos produtos. As tecnologias fundamentais dos aparelhos vestíveis estão mais baratas do que nunca, dizem os especialistas.

Assim como quando as companhias de telefones móveis passaram a acrescentar sensores, acelerômetros e giroscópios em seus aparelhos, o preço por unidade caiu e passou a ser mais fácil produzi-los, essa escala clássica da economia fez com que as barreiras do mercado viessem abaixo.

Com o interesse no mercado de tecnologia vestível crescendo, empreendedores com todo tipo de background migraram para a área e trouxeram consigo suas especialidades. E o resultado não podia ser outro que não uma indústria fértil, que apresenta mais do que um monte de aparelhos com funções similares.



Dispositivos vestíveis são uma ótima aposta para startups

6 - Desenvolvimento de Software para Empresas

Na mesma medida em que os mercados vão se tornando cada vez mais concorridos em todos os setores, os negócios – tanto online quanto físicos – têm se voltado à tecnologia para garantir vantagens diante de seus concorrentes. Especialistas afirmam que as empresas estão dispostas a seguir comprando software que permitam explorar ao limite seus esforços de marketing e administrar suas operações com mais eficiência.



Há uma grande demanda por empresas e softwares que podem prover análises mais aprofundadas e feedback detalhado aos negócios em busca de novas maneiras de comercializar seus produtos e serviços. Além disso, empreendedores do ramo de software também gostam da ideia da vantagem de produzir produtos digitais em vez de produtos físicos.



Em análise sobre os dados financeiros de empresas privadas, Libby Bierman, da Sageworks, afirma que é mais fácil entrar na indústria com design de software, pois os custos de startup são menores e você não tem que comprar muitos equipamentos ou aumentar seu inventário com urgência. As startups de software também podem fazer sua distribuição na base de contratos, o que lhes dá estabilidade financeira para o crescimento dos negócios.



Com todas essas vantagens, desenvolvedores de software estão acelerando seu processo de “profissionalização” e criando seus próprios negócios. Ao mesmo tempo, há uma grande mudança no mercado, onde as empresas estão trocando software ultrapassados por sistemas baseados na nuvem



Isso se dá não necessariamente por conta de folha de pagamento ou benefícios melhores, mas sim por conta de novidades como engajamento de empregados e software analíticos de recrutamento.

7 - Cibersegurança

Nos últimos anos, falhas de segurança nos sistemas de grandes empresas do setor varejista ao redor do mundo têm ganhado as manchetes e surpreendido clientes. Diante de toda essa confusão, as empresas passaram a investir pesado na segurança de sua rede, criando um celeiro de oportunidades para negócios especializados em proteção de dados e rede.

Especialistas da Forrester Research afirmam que “com as empresas procurando por maneiras inovadoras para lidar com a tecnologia de nuvem, análise de big data, cenários de ameaça, há muito dinheiro para ser investido em empresas de cibersegurança e segurança de informações, muitas oportunidades.”

Essa demanda não deve sumir em pouco tempo. Na verdade, o fator mais atraente das startups de cibersegurança é que raramente lhes falta trabalho. Apesar de a cada dia mais e mais tecnologias de segurança surgirem no mercado, as brechas de segurança seguem acontecendo e não vão desaparecer por um longo tempo.

8 - Tecnologia Verde

Embora a tecnologia verde não seja nenhuma novidade, empreendedores e investidores estão cada dia mais empolgados com o que vêm sendo chamado de solução de tecnologia verde – modelos de negócios inovadores que procuram acelerar a adoção de energia limpa sem trazer maiores riscos ou as “dores de cabeça” de sua produção.

O especialista Scott Clavenna, CEO da Greentech Media, que publica notícias e pesquisas sobre fontes limpas e renováveis de energia, afirma que “as oportunidades não estão na produção de tecnologias – construção de uma refinaria de biocombustível ou uma fábrica que produza turbinas de vento ou novos painéis solares, por exemplo – mas sim em soluções que exigem menos investimento.”

Segundo ele, “Alguns dos maiores sucessos na área são os sucessos de modelos de negócio. A companhia em si não fabrica nada, eles apenas fazem negócios de forma diferente e desconstroem a maneira como o negócio de energia é conduzido.” Clavenna aponta para a acessibilidade do painel solar como um exemplo de solução de tecnologia verde.

SolarCity, por exemplo, oferece planos de financiamento simplificados para seus painéis, permitindo que tanto residências quanto empresas optem pela energia solar sem se preocupar com débitos.

Deixando um pouco de lado a energia solar, a “rede limpa” é uma estratégia de tecnologia limpa que se refere a aplicações que ajudam tanto o ambiente quanto os consumidores, como o sistema de caronas para o trabalho ou apps que registram o gasto de energia em tempo real.

Para um empreendedor do ramo da web limpa não há necessidade de esperar uma utilidade surgir para adotar a tecnologia, uma vez que o mercado é lento. Você não precisa esperar o mercado decidir se sua tecnologia é boa enquanto investe milhões de dólares na produção.

Você concorda com essas tendências? Deixe sua opinião nos comentários e compartilhe suas experiências com startups.
[fbcomments url="" width="100%" count="off" num="3" countmsg="wonderful comments!"]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">

Artigos Relacionados