Minha Conta
Recuperar Senha

Digite seu endereço de e-mail que foi cadastrado e enviaremos seus dados de acesso.

Minha Conta

A senha deve conter no mínimo 6 caracteres.

Ao se cadastrar, você concorda com a Política de Privacidade e Segurança

Mudar Data: Photoshop CS6 Módulo I
Preço
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
  Itens Preço
Carrinho de Compras
O carrinho está vazio.
INVESTIMENTO TOTAL:0,00

Esqueci minha senha

Foi enviado um e-mail para com os dados de acesso.

Conheça as 5 principais especializações na área de TI

A crise financeira está passando e sabemos que o mercado de TI foi um dos que conseguiram resistir aos tempos de vacas magras. Isso por que a tecnologia é quase indispensável nos dias de hoje e novas vagas vêm surgindo para lidar com a tecnologia, cada dia mais presente em nosso cotidiano. Nesse ponto, destacam-se as especializações em TI.

Tendo em vista que os especialistas são pessoas que se ocupam exclusivamente de uma área particular de estudo, os de TI são profissionais que focam seus estudos em tendências do mercado e novas tecnologias capazes de transformar o dia a dia de uma empresa e da sociedade.

Para ter o título de especialista, é necessário fazer um curso de pós-graduação lato sensu em uma instituição credenciada. A pós-graduação consiste em um curso de pelo menos 360 horas e duração mínima de um ano.

Apesar do grande número de vagas abertas no mercado, profissionais pós-graduados estão sendo cada vez mais requisitados, e é importante investir em você para obter o devido destaque. Pensando nisso, este post falará sobre as 5 principais especializações na área de TI.

1. Cientista de dados (data science)

O conceito de cientista de dados está intimamente ligado com outro termo bastante utilizado atualmente: Big Data. A grande questão da atualidade é a massiva quantidade de dados que só aumenta a cada ano. Nesse sentido, não basta ter os dados — é necessário transformá-los em informações e interpretá-los para obter os melhores resultados.

Um cientista de dados é um profissional com uma base sólida em computação, matemática, estatística e modelagem, com técnicas capazes de resolver problemas complexos de dados. Ou seja, eles conseguem adquirir um grande volume de dados, organizar e tratá-los, gerando informação e inteligência no campo dos negócios. Esses profissionais deverão ser capazes de:

  • desenvolver estratégias de dados para elaborar modelos de negócios;
  • dominar frameworks de processamento e armazenamento de dados, como Hadoop e Spark;
  • criar e modelar banco de dados não estruturados;
  • aplicar técnicas de gestão de dados;
  • identificar padrões de comportamento; e
  • criar visualizações adequadas dos dados criados.

Os cientistas de dados serão os analistas responsáveis pela mudança na organização em que trabalham, por meio de análise de diversas fontes de dados.

Pós-graduação em Business Inteligence

2. Business Intelligence (BI)

O BI se relaciona em certo ponto com o cientista de dados. Ambos lidam com informação. No entanto, é o especialista em BI o responsável pelos processos de tomada de decisão. Assim, esses profissionais assumem cargos de confiança nas empresas e são os responsáveis por gerir a informação coletada e interpretá-la de maneira inteligente.

Os profissionais especializados em BI são capazes de entender estratégias e necessidades dos mais diferentes tipos de negócio, tendo condições de gerenciar, projetar e desenvolver soluções que auxiliam a tomada de decisões das organizações. A pós-graduação em BI ensina o profissional a:

  • tomar melhores decisões;
  • testar os conhecimentos usando situações e problemas reais do mercado;
  • conhecer as ferramentas comerciais; e
  • criar um projeto completo de BI.

3. Engenheiro de softwares

A criação de softwares se utiliza dos mesmos processos de construção usados em outras engenharias, como a civil, mecânica etc. Dominar a metodologia de construção desses sistemas é o papel do engenheiro de software. Um bom especialista na área pode desempenhar diversos papéis no mercado de trabalho, como analista de sistemas, analista de requisitos, gerente de projetos, entre outros.

A especialização em engenharia de softwares busca prover aos participantes uma visão ampla e atualizada das tecnologias para desenvolvimento de softwares de forma sistemática e previsível e também para a gestão dos projetos que envolvem esse desenvolvimento. O profissional especializado deverá ser capaz de:

  • dominar metodologias ágeis de software;
  • elaborar a engenharia de requisitos;
  • realizar o design de software;
  • entender sobre qualidade de projeto, produto e processo de software;
  • implementar e fazer reúso de software;
  • gerenciar o desenvolvimento;
  • compreender os fundamentos da arquitetura de sistemas web e aplicações de dispositivos móveis; e
  • fazer testes sistemáticos.
O papel desempenhado pelo engenheiro de software qualificado nas empresas é de suma importância, uma vez que é o responsável por toda a especificação e supervisão do produto desenvolvido pela companhia de tecnologia.

4. Desenvolvimento de aplicativos móveis

Essa pós-graduação tem seu foco no futuro da tecnologia: dispositivos móveis. Isso é refletido na crescente demanda por desenvolvedores para Android, Windows Phone e iOS. O desenvolvedor de aplicativos pode ter uma alta rentabilidade, podendo trabalhar tanto sozinho quanto em grandes corporações com foco na área.

O desenvolvimento de aplicações móveis tem características próprias que são inerentes do ambiente, como baixa memória, tempo de bateria, tamanho de tela etc. Por isso, a pós-graduação nessa área se tornou tão importante — ela prepara o desenvolvedor para lidar com esse tipo de situação.

O profissional especialista em aplicações móveis deverá ser capaz de entender:


  • a arquitetura para aplicações móveis;
  • computação em nuvem;
  • Internet das Coisas (IoT);
  • plataformas de desenvolvimento para Android, IOS e Windows Phone;
  • design de interação;
  • desenvolvimento de APIs para Back-end; e
  • segurança de aplicações.
Além disso, a formação do profissional conta com conhecimentos em gerência, modelo de negócios e análise do mercado.

5. Desenvolvedor de jogos

Os dispositivos móveis citados no tópico anterior trazem também a uma perspectiva maior para o desenvolvimento de jogos para essas plataformas. Sucessos estrondosos como Candy Crush Saga e Angry Birds dão uma dimensão do futuro que o desenvolvimento de jogos tem.

Isso sem falar da popularização de plataformas de jogos como a Steam, que dá visibilidade para empresas de pequeno e médio porte divulgarem seus jogos. Inclusive, o mercado de jogos no Brasil movimenta mais de 900 milhões de reais, com um crescimento entre 9% e 15% ao ano, sendo responsável pela geração de mais de 4 mil empregos no setor de tecnologia.

O profissional desenvolvedor de jogos é capaz de atuar em todas as etapas de criação de um jogo — da concepção e desenvolvimento até a criação de arte. Desse modo, os cursos de graduação em jogos digitais ensinam ao aluno a:

  • entender o mercado de games;
  • construir jogos para aplicativos móveis;
  • especificar, projetar e desenvolver jogos;
  • conhecer as tecnologias;
  • entender sobre gamificação; e
  • empreendedorismo voltado para games.
Como vimos até aqui, especializar-se é fundamental e o mercado exige cada vez mais capacitação do profissional. Nesse sentido, os cursos lato sensu trazem uma visão diferenciada ao futuro especialista, que aprende diferentes disciplinas dentro de um mesmo contexto. Portanto, é importante estar sempre atento às demandas e especializações em TI.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, aproveite a visita ao blog e baixe agora mesmo o nosso guia para começar a carreira em TI. Até a próxima e boa leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">

Artigos Relacionados