DPO (Data Protection Officer): descubra o que faz esse profissional

Entenda a importância de um DPO, quais são as suas responsabilidades e os requisitos para assumir este cargo. Além disso, destacamos os motivos para (...)

Autor: Rogério Ramalho

O mundo virtual se expande a cada dia, afinal, mais e mais informações são geradas a cada segundo sobre os usuários que utilizam a internet. As empresas, para entender melhor o que buscam os seus consumidores, também coletam inúmeros dados de usuários, sejam os números de um cartão de crédito ou um endereço de e-mail.
Esses dados, conhecidos também como big data, estão, portanto, na grande rede e, sem a devida proteção, podem acabar nas mãos de pessoas com más intenções — os famosos hackers. Considerando esse contexto, autoridades de alguns países se reuniram e criaram um regulamento com normas e práticas obrigatórias que as empresas e companhias precisam seguir.
Uma das exigências desse regulamento é justamente a presença de um Data Protection Officer (DPO) dentro de empresas que armazenem ou processem uma grande quantidade de dados e informações, seja de funcionários ou usuários fora da organização.
Quer saber mais sobre o que faz esse profissional de tecnologia? Continue a leitura para entender a importância de um DPO, quais são as suas responsabilidades e os requisitos para assumir o cargo. Além disso, destacamos os motivos para que a sua empresa tenha um DPO em seu quadro de funcionários. Confira!

Quais são as funções e responsabilidades de um DPO?

Em um trabalho conjunto, o Parlamento Europeu, o Conselho Europeu e a Comissão Europeia criaram o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR). O processo, que foi iniciado em 2012 e aprovado em 2016, tem como objetivo garantir mais segurança para os dados e informações que estejam nas mãos de grandes empresas e companhias.
Com a aprovação do GDPR, o DPO se tornou uma função obrigatória dentro de qualquer organização que tenha ou processe uma grande quantidade de dados (seja de funcionários ou de usuários externos) em seus servidores.
O Oficial de Proteção de Dados (em uma tradução livre), portanto, tem um papel fundamental de liderança na segurança dessas informações. Suas principais atribuições são: supervisionar as estratégias utilizadas para a proteção desses dados e garantir que todas as exigências do GDPR estão sendo seguidas dentro de uma organização.
Além disso, o DPO precisa garantir que todo o pessoal envolvido no processo de análise de dados tenha o treinamento adequado para colocar em prática o que consta no regulamento e assegurar que as informações pessoais estejam armazenadas da maneira correta.
Como qualquer tarefa analítica, o monitoramento também é peça-chave para ter a certeza de que os processos estão sendo executados corretamente. Dessa forma, é possível identificar o que está funcionando e, por exemplo, quais tarefas precisam ser otimizadas para evitar danos mais sérios. Auditorias internas são realizadas para assegurar que o regulamento está sendo seguido e também para encontrar potenciais formas de melhoria.
É necessário registrar, de maneira abrangente, tudo o que foi feito em relação ao processamento de dados dentro da empresa. Explicar, por exemplo, qual foi o objetivo da sua equipe ao tomar determinada decisão ou escolher certo caminho é algo que precisa estar documentado, afinal, essas informações podem se tornar públicas em caso de solicitação externa.
Outra função desse profissional é ser o responsável pelo contato entre a empresa que representa e as autoridades de supervisão do GDPR — seja para tirar dúvidas sobre regras que a organização precisa seguir, por exemplo, ou para receber uma equipe de fiscalização.
Mas o DPO não deve se atentar apenas aos profissionais subordinados em sua escala de trabalho e que lidam diretamente com a segurança dos dados na empresa. É preciso garantir que os outros funcionários da organização também sigam algumas normas e comportamentos para proteger essas informações. Nesse contexto, educar a empresa como um todo para seguir certas regras está em seu escopo de trabalho.

Quais são os requisitos para assumir o cargo?

Apesar de ser uma função obrigatória de acordo com o GDPR, a qualificação de um DPO não é detalhada no regulamento. O único ponto que se refere ao tema exige um profissional com “conhecimento especializado de leis e práticas de proteção de dados”, ou seja, um cientista de dados.
Além disso, é preciso buscar por um DPO que tenha as habilidades (tanto hard skills quanto soft skills) necessárias para atuar de acordo com os tipos de operação de processamento e armazenamento que são realizados na organização.
O mais importante é garantir que o perfil profissional do escolhido para exercer a função de DPO tenha muita experiência no assunto e saiba lidar com o papel de liderança e as inúmeras responsabilidades que o cargo exige.

Por que a sua empresa precisa de um DPO?

Garantir a segurança das informações pessoais armazenadas ou processadas pela sua empresa deve ser um assunto tratado com seriedade. Portanto, seguir as regras do GDPR é o primeiro passo para fortalecer esse conceito, além de garantir para os seus consumidores, fornecedores e parceiros que está comprometido com a segurança desses dados.
O armazenamento de informações pessoais é um assunto delicado e precisa ser levado a sério. Afinal, muitos usuários confiaram na sua empresa na hora de disponibilizar esses dados e existem muitas pessoas em busca dessas informações para utilizá-las da maneira errada.
Além disso, o GDPR indica o pagamento de multas em caso de descumprimento das regras. Hoje, no entanto, esse cenário é mais provável na Europa. De qualquer forma, a tendência é que o regulamento se torne cada vez mais importante em outros países e continentes. Portanto, o quanto antes a sua empresa se adequar a essas normas e condições, melhor para o seu negócio.
Como ficou evidente, o DPO tem diversas obrigações em seu escopo de trabalho e todas elas são de vital importância para garantir a segurança de dados e informações pessoais armazenadas ou processadas pelas empresas.
Por isso, é essencial contar com um profissional de confiança e capacitado, que possa assegurar a eficiência de todos os processos internos e ter a certeza de que o GDPR está sendo seguido à risca.
Agora que você já entendeu quais são as funções e responsabilidades de um DPO e qual é a importância dele para a empresa, que tal conhecer mais sobre assuntos relacionados? Curta a nossa página no Facebook! Assim, você pode acompanhar outros conteúdos como este!

1 Comentário

    Deixe o seu comentário!

    Não perca nenhum post!