Você sabe como fazer uma storytelling de sucesso? Descubra!
Minha Conta
Recuperar Senha

Digite seu endereço de e-mail que foi cadastrado e enviaremos seus dados de acesso.

Minha Conta

A senha deve conter no mínimo 6 caracteres.

Você está criando uma conta para sua empresa?

Ao se cadastrar, você concorda com a Política de Privacidade e Segurança

Mudar Data: Photoshop CS6 Módulo I
Preço
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
  Itens Preço
Carrinho de Compras
O carrinho está vazio.
INVESTIMENTO TOTAL:0,00

Esqueci minha senha

Foi enviado um e-mail para com os dados de acesso.

Você sabe como fazer uma storytelling de sucesso? Descubra!

Cada vez mais as empresas têm utilizado como estratégia de comunicação a criação de histórias atraentes para transmitir mensagens ao seu público e se conectar verdadeiramente com ele. Essa técnica é chamada de storytelling. Mas, afinal, como fazer storytelling pode gerar resultados tangíveis?

O fato é que as pessoas vivem em uma era chamada de economia da atenção, em que o cérebro está sobrecarregado de informações e precisa filtrar o que será útil armazenar. Diante disso, as histórias são excelentes ferramentas para romper essa barreira e criar conexões verdadeiras com o público-alvo.

Interessado no assunto? Então, continue lendo e confira como fazer storytelling corretamente!

A persona como centro da estratégia

A arte de contar boas histórias pode ser aplicada para alcançar diferentes objetivos, desde educar os potenciais clientes e aumentar a visibilidade de marca até inspirar credibilidade e confiança, dentre outros. Até a geração de vendas pode ser a meta a ser alcançada com o storytelling.

Contudo, em vez de fazer uma venda direta da empresa, como em uma propaganda, as narrativas são mais sutis. As boas histórias partem de técnicas de persuasão quase imperceptíveis, mas que geram grandes resultados!

Para que uma narrativa seja interessante, é necessário conhecer bem o público a que se destina. Afinal, a linguagem, o enredo, os desejos e dificuldades dos personagens devem envolver e fazer sentido para quem vai ler essa história — e isso será possível somente com um conhecimento detalhado sobre as pessoas que vão ter acesso ao conteúdo.

Portanto, para constatar os maiores desafios das pessoas, seus sonhos, o tipo de conteúdo de interesse, entre outros pontos, é fundamental criar uma persona. Trata-se, basicamente, de uma representação ficcional do cliente almejado.

A realização de entrevistas com os principais clientes é um dos melhores caminhos para encontrar esse perfil que mais se aproxima do cliente ideal. Assim, ficará mais simples identificar que tipo de história se comunicará e chamará mais a atenção do seu público.  

O grande motivo

Entender por qual razão a sua história deve existir é um dos primeiros passos para criar narrativas emocionantes! Ao identificar os principais motivos que levaram à criação da narrativa, a história terá ainda mais significado.

Um exemplo de bom motivo pode ser ajudar as pessoas a perder o medo de falar em público e melhorar a oratória, por meio da narrativa. Isso também ajuda bastante a diagnosticar a essência da sua história, o que realmente deve ser transmitido às pessoas.

Ao descobrir o motivo que levou a construção da narrativa, ficará mais fácil identificar quais são as lições que as pessoas que lerem o conteúdo precisam entender. Então, sabendo exatamente o que você pretende com o storytelling, suas chances de conseguir mensurar os resultados são muito maiores.

storytelling_jornada_heroi

A Jornada do Herói

Existe um padrão de narrativas de sucesso apresentado por Joseph Campbell, em seu livro “O Herói de Mil Faces”. Trata-se de um método muito interessante composto por etapas, que podem ajudar a nortear a criação das suas histórias.

A seguir, compartilhamos as principais fases que a narrativa precisa ter para se tornar ainda mais atraente para o leitor.

Introdução que gere conexão

Nesse momento é que se cria uma afinidade com o leitor, apresentando o personagem com que a persona se identificará. A missão aqui é captar o interesse logo nos primeiros instantes, mostrando que o protagonista tem muito em comum com quem está lendo a história.

O problema

A apresentação do problema é um grande gatilho para fazer o leitor continuar acompanhando a história, por isso, ela deve acontecer logo após a introdução. O ideal é que esse desafio represente uma dor muito forte enfrentada pela persona a quem a história se dirige.

É importante ressaltar que, muitas vezes, as pessoas ficam em busca de fatos mirabolantes para usar como esse “problema”. Contudo, o que mais vale é observar quais são as dificuldades enfrentadas pelo público que vai ter acesso ao conteúdo.

Uma questão comum, por exemplo, pode ser a dificuldade de conciliar a carreira e a maternidade, por exemplo. Esse pode ser o grande desafio da sua narrativa.

A rejeição ao chamado

Também é interessante apontar as objeções que impedem o personagem de agir nesse momento. Isto é, a história precisa mostrar que existem várias razões para que o protagonista acredite que não conseguirá superar o problema. Assim, a persona se identificará mais uma vez com os medos em comum, que podem limitar a conquista dos seus sonhos.

Encontrando um mentor

Nessa etapa, o personagem encontra um mentor, que será como um guia na sua jornada e o ajudará a conquistar os seus objetivos mais grandiosos.

Essa é uma forma de demonstrar que todas as pessoas precisam de ajuda — e, na maioria das vezes, o público ainda não descobriu que necessita de auxílio para resolver determinadas questões. Com isso, ele terá uma visão mais ampla e saberá que contar com o apoio de um orientador (ou uma empresa) pode ser um caminho.

Superando etapas

Mesmo com a presença de um conselheiro, é importante reforçar que o personagem passará por grandes contratempos, afinal, assim é a vida: agir apesar de qualquer medo. Pois é exatamente isso que o protagonista faz. A narrativa passa por esses momentos de reveses e o herói começa a se sentir cada vez mais fortalecido rumo ao objetivo final.

O desafio

O ponto culminante é a superação de todos os medos que separam o herói dos seus maiores sonhos. Este é o momento da vitória do personagem, que vai inspirar muita esperança e otimismo nos leitores: a hora da virada, em que ele supera o maior confronto e vence a si mesmo para chegar ao topo.  

A conclusão

Nesse fechamento, a história precisa ser clara o suficiente sobre o quanto valeu a pena superar todos os obstáculos para conquistar o que o herói tanto almejava. A maneira como o personagem se sente após ter sucesso na sua caminhada, apesar de tantos percalços, é o que deve permanecer na mente das pessoas.

Sem dúvidas, com vimos, o storytelling é uma ferramenta poderosa na comunicação e pode trazer resultados incríveis — se aplicado de maneira estratégica. Nesse sentido, um dos maiores equívocos cometidos por várias pessoas é achar que apenas escrever bem é o suficiente para criar narrativas envolventes.

Diferentemente do que essas pessoas imaginam, a arte de contar boas histórias não é um dom, mas sim uma técnica, que requer conhecimento e, é claro, deve ser aprendida. Assim, se você deseja fazer a diferença e ter sucesso profissional, o aprimoramento deve ser constante não somente na construção das narrativas, mas em diversos temas.

Então, se você gostou deste post, que tal começar a sua estratégia na criação de histórias atraentes? Conheça o curso on-line "Aplicando o storytelling na construção e comunicação da marca" e descubra, com detalhes, como fazer storytelling de maneira simples e muito prática!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">

Artigos Relacionados