Minha Conta
Recuperar Senha

Digite seu endereço de e-mail que foi cadastrado e enviaremos seus dados de acesso.

Minha Conta

A senha deve conter no mínimo 6 caracteres.

Ao se cadastrar, você concorda com a Política de Privacidade e Segurança

Mudar Data: Photoshop CS6 Módulo I
Preço
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
  Itens Preço
Carrinho de Compras
O carrinho está vazio.
INVESTIMENTO TOTAL:0,00

Esqueci minha senha

Foi enviado um e-mail para com os dados de acesso.

Aprenda a investir e gerenciar seus ativos financeiros

Como você tem cuidado do seu dinheiro? Ter um bom emprego ou um negócio bem-sucedido são um importante passo para a conquista da independência financeira.

Porém, sem investimentos e uma boa administração de ativos financeiros, não é possível construir um patrimônio que proporcione segurança e independência reais.

A verdade é: a forma de gerir o dinheiro é tão — ou mais — importante quanto a própria remuneração ou o volume dos lucros adquiridos por uma pessoa.

Por isso, construir um portfólio (ou seja: um conjunto, uma carteira) de ativos financeiros é uma estratégia mais eficaz do que simplesmente poupar ou do que adquirir bens que não trarão liquidez ou — pior ainda! — só trarão obrigações e dívidas.

Neste post, ajudaremos você a entender efetivamente o que são os ativos financeiros e qual é a importância de investir e de gerenciá-los. Acompanhe:

A diferença entre poupar e investir

Se você já tem o hábito de guardar uma parcela da sua renda mensal e manter uma poupança, parabéns! Você já está se preparando melhor para o futuro do que os 62% dos brasileiros que não têm hábito de poupar, segundo o SPC Brasil e CNDL.

Porém, isso ainda não te torna um investidor. Investir é adquirir bens que dão frutos. Por isso a chave da independência financeira são os investimentos. Ao investir, você coloca o seu dinheiro para gerar mais dinheiro.

Uma carteira ou portfólio de investimentos pode conter vários tipos de investimentos: imóveis, empresas, ativos…

Neste post, falaremos sobre investimentos em ativos financeiros, que podem ser usados para formar um patrimônio que vai gerar rendimentos automáticos e te trazer independência financeira.

Se você depende de um trabalho para fornecer o dinheiro que precisa para viver, você não é independente financeiramente. Da mesma forma, se você possui bens móveis ou imóveis, eles também não te trarão independência, a menos que você os transforme em ativos financeiros.

O que são ativos financeiros

São bens adquiridos por meio de operações no mercado financeiro. Esses bens podem ser valores, créditos ou quaisquer outros direitos aos quais possa ser atribuído um valor.

Existem 3 modalidades de ativos financeiros:

Ativos de geração de renda

Os ativos de geração de renda são os que rendem valores constantemente, seja por dia, mês, ano ou qualquer outro período. Um exemplo são os títulos públicos ou privados que rendem juros semestrais.

Esses rendimentos periódicos podem ser usados como renda, para manter o padrão de vida do investidor e custear as suas despesas ou podem ser reaplicados, aumentando o seu patrimônio.

Alguns investidores criam estratégias de uso de ativos de geração de renda. Por exemplo: comprar, uma vez a cada semestre, títulos que rendem bons juros semestrais. Dessa forma, cada rendimento propicia uma remuneração que mantém sua subsistência até que venha o próximo rendimento.

Ativos de reserva financeira

Os ativos de reserva financeira são aqueles valores que você junta e não usa de maneira alguma. A reserva deve permanecer intocada e só pode ser usada em casos de extrema emergência.

Educadores financeiros recomendam que todo indivíduo forme um patrimônio de reserva suficiente para manter a sua subsistência por 3 a 6 meses sem trabalhar.

Ativos de crescimento

Os ativos de crescimento são aqueles acumulados com foco no longo prazo. São investimentos feitos na intenção de colher resultados maiores e, justamente por isso, requerem mais ousadia e paciência.

Um grande exemplo são as ações. O investidor que compra ações está adquirindo uma participação nos lucros da empresa. Ele arrisca o seu dinheiro acreditando que a empresa pode crescer mais e trazer a ele maiores rendimentos também.

Você se sentiria confortável assumindo essa estratégia mais arriscada? Identificar qual é o seu perfil de investidor vai te ajudar a decidir quais os investimentos mais adequados para você.

Aprenda a investir e gerenciar seus ativos financeiros

Que tipo de investidor é você

Existem 3 perfis de investidores:

Conservador

O investidor conservador prefere investimentos mais seguros, mesmo que isso signifique rentabilidade reduzida. Gosta de ter perspectivas realistas sobre quanto e quando vai ter retornos do seu investimento.

Para esse perfil, os ativos financeiros mais adequados são os de renda fixa, ou seja, os investimentos que oferecem previsibilidade sobre os lucros, como os títulos públicos (Tesouro Direto) e privados (Certificados de Depósito Bancário, Letras de Crédito do Agronegócio etc).

Moderado

O investidor moderado é mais tolerante a riscos, embora ainda prefira deixar boa parte da carteira reservada para investimentos mais previsíveis. Geralmente diversifica o seu portfólio entre renda fixa (resultado previsível) e renda variável (resultado imprevisível).

Agressivo

Já o investidor agressivo é o que topa assumir maiores riscos, visando a possibilidade de conseguir também maiores lucros. O seu foco não é a rapidez ou a segurança; é a rentabilidade.

Qual desses perfis se parece com você?

Tenha em mente que não existe perfil melhor ou pior. Existem opções de investimento apropriadas para todos os perfis e todos os tipos de objetivos. Conforme o investidor adquire experiência e se sente mais seguro, ele pode inserir algum risco ao seu portfólio.

O importante é saber o seu objetivo financeiro e, com base nisso, escolher o investimento que melhor se adeque a ele, para que você comece a montar o seu portfólio.

Como montar um bom portfólio? 

Pesquise as características específicas de cada investimento para entender quais são as fraquezas e diferenciais de cada um.

Em geral, um bom portfólio de ativos financeiros é formado por ativos que se destaquem em segurança, rentabilidade e liquidez. Quanto maior a diversificação, melhor.

Os ativos que se destacam no quesito da segurança (ou baixo risco) são os que apresentam menor perigo de perdas. Caso alguém invista basicamente só em ativos de alto risco, corre o risco de nunca ter boa rentabilidade.

Os ativos que se destacam quanto à rentabilidade são aqueles que vão trazer os maiores lucros. Com certeza é o que todo investidor quer, não? Porém, não se engane: alguns ativos têm chance de alta rentabilidade, mas trazem junto um grande risco ou pouca liquidez.

Os ativos que se destacam quanto à liquidez são aqueles que mais facilmente se convertem em dinheiro propriamente dito. Entenda: ativos financeiros só se transformam em dinheiro quando são resgatados.

Alguns ativos têm grande valor. Porém, esse valor não pode ser recebido antes de terminar o prazo para contratado para o investimento; se você o resgatar antes desse prazo, ele não apresentará a rentabilidade total contratada, e o imposto de renda que for descontado pode também fazer com que o valor diminua.

É essa a importância de ter uma carteira diversificada. Assim, os pontos fracos de um ativo podem ser compensados pelos pontos fortes de outro, e o conjunto deles pode te ajudar a alcançar o objetivo dos seus ativos: renda, reserva ou crescimento.

Gerenciando ativos financeiros

Além da diversificação, que acabamos de falar, outras dicas para a gerência dos seus ativos financeiros são:

Mantenha registros

Com uma carteira que contém vários ativos, você pode se perder se não mantiver registros e anotações. É importante que você tenha um documento listando todos os seus ativos para poder ter controle de tudo. Isso pode ser feito através de uma planilha ou de uma agenda, por exemplo, armazenados em um local seguro.

Não resgate o título antes do fim do prazo

Se você comprou títulos públicos ou privados a vencer em uma determinada data, resgatá-los antes vai te fazer perder rentabilidade.

Não se desespere com as variações

Comprou ações de uma empresa? Comprou títulos do Tesouro Direto indexados ao IPCA? Calma, é natural que os valores e a rentabilidade se alterem a cada dia. Nas ações, o foco é no longo prazo. E no Tesouro IPCA, a rentabilidade contratada vai ser entregue na data certa, não se desespere.

“Engorde” os ativos que estão a todo vapor

Se um ativo está trabalhando muito a seu favor e rendendo bem, ele merece ser alimentado para poder seguir crescendo. Preste atenção nos ativos que estão trazendo bons resultados e considere comprar mais deles.

Pesquise e leia

Como você deve ter percebido, há muito para ser aprendido sobre investimentos e ativos financeiros! Além da experiência e da prática, a melhor maneira de aprimorar os seus conhecimentos é buscando informações por meio de cursos e de estudos e acompanhando notícias e materiais sobre o assunto.

Agora que você aprendeu sobre como investir e gerenciar os seus ativos financeiros, que tal aprender mais para ajustar as contas? Confira o e-book Manual da organização financeira pessoal

Receba o Manual da Organização Financeira Pessoal

Receba o seu e veja como é possível melhorar suas finanças e conseguir fazer seu dinheiro render. E mais:



  • Planeje
Entenda os fatores que explicam a importância da boa educação financeira e veja como se planejar para chegar aos seus objetivos!

  • Organize
Separamos ainda algumas dicas fundamentais para organizar suas finanças e conseguir economizar. Confira todas!

  • Aprenda
Para aperfeiçoar seus conhecimentos em finanças e investir na sua educação, alguns programas podem ser úteis.
[fbcomments url="" width="100%" count="off" num="3" countmsg="wonderful comments!"]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">

Artigos Relacionados