Minha Conta
Recuperar Senha

Digite seu endereço de e-mail que foi cadastrado e enviaremos seus dados de acesso.

Minha Conta

A senha deve conter no mínimo 6 caracteres.

Ao se cadastrar, você concorda com a Política de Privacidade e Segurança

Mudar Data: Photoshop CS6 Módulo I
Preço
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
  Itens Preço
Carrinho de Compras
O carrinho está vazio.
INVESTIMENTO TOTAL:0,00

Esqueci minha senha

Foi enviado um e-mail para com os dados de acesso.

Entenda o que é a Inteligência emocional

Durante muito tempo, a análise da inteligência se concentrava em habilidades linguísticas, lógicas, matemáticas e analíticas, que eram mensuradas em testes de QI — ou Quociente Intelectual. Porém, a partir da década de 1980, o foco das pesquisas passou a ser a inteligência emocional e seu traço fundamental na vida das pessoas.

Para entender melhor como a inteligência emocional pode ser usada a seu favor, acompanhe nosso post e comece a identificar e desenvolver o seu próprio QE — Quociente Emocional — agora mesmo!

A Inteligência Emocional

O psicólogo Daniel Goleman, autor do livro “Inteligência Emocional” a define pela forma como as pessoas lidam com as próprias emoções e com a dos outros. Diferentemente da competência intelectual, que tem presente o traço genético determinante, as habilidades emocionais, tais como a autoconsciência, motivação, persistência, empatia, persuasão, cooperação e liderança são habilidades aprendidas e exercitadas pelas pessoas.

Segundo Goleman, o objetivo final é equilibrar ambas inteligências e não se pautar apenas na razão ou na emoção. Ele afirma que o intelecto não pode oferecer o seu máximo, sem que a inteligência emocional resguarde o raciocínio.

Reconhecendo a Inteligência Emocional nos outros

Uma pessoa emocionalmente inteligente identifica e encara, com domínio, as suas próprias emoções e as de outras pessoas, gerando grande satisfação no controle dos hábitos que induzem a produtividade. Com isso, o indivíduo tem mais facilidade de lidar com as turbulências da vida, mantendo a calma e pensando com clareza.

As pessoas com QE elevado sabem reconhecer os esforços alheios, praticam a gratidão frequentemente, são muito dedicadas e focadas em atingir seus objetivos. São pessoas positivas, muito confiantes e flexíveis e capazes de se recuperar, rapidamente, de situações estressantes.

No trabalho, se dão muito bem com toda equipe e possuem facilidade para liderar atividades em grupo. Essas pessoas tendem a se destacar bastante em áreas de liderança e Planejamento e Gestão.

Entenda o que é a Inteligência emocional

Quociente Intelectual X Quociente Emocional

Para Goleman, as pessoas com QI elevado e alto conhecimento técnico, mas baixo QE, são mais propensas a extrema eficiência nos resultados profissionais, mas, na vida afetiva são insensíveis, arrogantes e prepotentes.

Já as pessoas com alto QE e baixo ou regular QI têm a tendência a ser mais leais, confiáveis, honestas, empáticas, persistentes e conscientes dos outros. São bons ouvintes e se colocam no lugar do outro com grande facilidade.

Desenvolvendo a Inteligência Emocional

De acordo com Goleman, desenvolver a inteligência emocional, melhora o desempenho frente a vida, de maneira global, mas requer muita persistência. Após identificar o objetivo que pretende alcançar, é necessário ficar atento às situações e não cair em velhos hábitos, reagindo de maneira produtiva e substituindo os hábitos antigos pelos novos, desejados.

Além deste exercício permanente, treinamentos direcionados e apoio de profissionais como o coaching de carreira, facilitam muito o desenvolvimento das cinco habilidades emocionais:
  • Autoconhecimento: além de saber lidar com os próprios sentimentos, entender como eles se relacionam e quais as reações que eles provocam sobre nós.
  • Autocontrole: administração racional dos sentimentos sobre as situações. Ao adquirir autocontrole, a pessoa passa a ter domínio de como seus sentimentos serão expostos.
  • Responsabilização pessoal: assumir a responsabilidade e reconhecer as consequências de suas decisões, aceitar seus próprios sentimentos.
  • Habilidade Social: é a capacidade de entender e gerir os sentimentos alheios e manter boas relações interpessoais.
  • Empatia: é a habilidade de compreender os sentimentos de outra pessoa e adotar a perspectiva dela, para entender a lógica de seus sentimentos e ações.
A inteligência emocional é fundamental na formação e liderança de equipes sinérgicas e, por isso, mais eficazes. Habilidades como persuadir, inspirar, desafiar, compreender e gerenciar, só são possíveis em indivíduos que leem nas entrelinhas emoções, anseios e expectativas que fazem parte, junto a todo o conhecimento técnico, do capital humano, matéria essencial das empresas.

Não deixe de exercitar seu lado intelectual, nem o emocional e torne-se um profissional ainda mais qualificado! E como anda a sua inteligência emocional? Compartilhe o nosso post e prolongue essa discussão!

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">

Artigos Relacionados