Minha Conta
Recuperar Senha

Digite seu endereço de e-mail que foi cadastrado e enviaremos seus dados de acesso.

Minha Conta

A senha deve conter no mínimo 6 caracteres.

Ao se cadastrar, você concorda com a Política de Privacidade e Segurança

Mudar Data: Photoshop CS6 Módulo I
Preço
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
  Itens Preço
Carrinho de Compras
O carrinho está vazio.
INVESTIMENTO TOTAL:0,00

Esqueci minha senha

Foi enviado um e-mail para com os dados de acesso.

Como funcionam os cabeamentos ópticos?

Com a popularização de serviços de visualização de vídeos e filmes como Netflix e YouTube, que juntos são responsáveis por quase 45% de todo o tráfego da América do Norte, estamos cada vez mais interessados em velocidades maiores de banda larga.

E ao pesquisar pacotes de internet de velocidades rápidas suficientes para podermos ter todas as temporadas de House em full HD em um único triste final de semana, uma das primeiras tecnologias que encontramos é a fibra óptica. Mas o que é isso, afinal? Para que serve? Como funciona?

O que é fibra óptica?

Fibra óptica, ou cabeamentos ópticos, é um cabo de vidro maleável e extremamente fino, com cerca de um décimo de um milímetro de diâmetro, envolvido por uma camada de um material refletor. Em vez de sinais elétricos, esse cabo carrega sinais de luz de variadas frequências para levar imensas quantidades de informação a distâncias muito superiores aos cabos de cobre comuns.

Como funciona?

Quando a luz atinge qualquer material, ela pode ser absorvida, refletida ou refratada, ou alguma combinação dos três efeitos simultaneamente, como vemos, por exemplo, ao iluminar janelas com uma lanterna: conseguimos iluminar o outro lado, mas também vemos que parte da luz reflete de volta.

O que torna os cabeamentos ópticos possíveis é um fenômeno da reflexão em que ao diminuir o ângulo da luz no vidro, chega-se a um ponto crítico em que a luz é 100% refletida. Esse fenômeno é responsável pelo efeito espelho nos lagos quando o sol está próximo ao horizonte, e é assim que a luz se propaga dentro da fibra óptica.

Nunca passando desse ângulo crítico, a luz não escapa do pequeno filamento de vidro e consegue ser transmitida por mais de 50 quilômetros até precisar que o sinal seja impulsionado por um repetidor. Em contraste, cabos de cobre perdem seu sinal em meros 500 metros.

Cabeamentos ópticos ajudam a melhorar a velocidade da internet

E como essa tecnologia me afeta?

Em 1988, o primeiro cabo de fibra óptica foi estendido através do Oceano Atlântico, chamado de TAT-8 (transatlantic 8). Foi o oitavo cabo de conexão entre o leste e o oeste, muito mais fino e resistente do que o anterior e com capacidades de até 40.000 conexões telefônicas simultâneas.

Ele era dez vezes mais rápido que o cabo anterior, que ainda era feito de cobre. Desde então fibra óptica vem sendo cada vez mais usada no dia a dia, tanto pelo tamanho do tráfego que a fibra suporta, com limites teóricos de até 1 Petabit por segundo (1.000 Terabits!), quanto pela resiliência do sinal, que por ser luz é imune à maioria das interferências comuns.

É muito possível que você já esteja se beneficiando de cabos de fibra óptica, pois a maioria dos provedores de internet já usam eles para transferir grandes quantidades de banda da central até a caixa de distribuição no seu bairro ou rua, e que de lá passe a usar cabos tradicionais de cobre por serem mais baratos.

Mas com a demanda de velocidade cada vez maior, eventualmente teremos fibra óptica da central até o seu modem, como já é em alguns países, que possibilita velocidades de algumas magnitudes maiores do que as que estamos acostumados hoje.

Entendeu? Ficou dúvidas? Comente abaixo! E não esqueça de verificar aqui outros materiais que irão inovar nossa tecnologia.

[fbcomments url="" width="100%" count="off" num="3" countmsg="wonderful comments!"]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">

Artigos Relacionados