Minha Conta
Recuperar Senha

Digite seu endereço de e-mail que foi cadastrado e enviaremos seus dados de acesso.

Minha Conta

A senha deve conter no mínimo 6 caracteres.

Ao se cadastrar, você concorda com a Política de Privacidade e Segurança

Mudar Data: Photoshop CS6 Módulo I
Preço
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
15/09 a 26/09 Manhã 4000,00
  Itens Preço
Carrinho de Compras
O carrinho está vazio.
INVESTIMENTO TOTAL:0,00

Esqueci minha senha

Foi enviado um e-mail para com os dados de acesso.

Conheça os materiais que prometem inovações tecnológicas

Hoje, os aparelhos eletrônicos, a medicina, a construção civil, automobilística e diversos outros setores do mercado impressionam por sua capacidade de inovação e crescimento cada vez mais rápidos.

Mas para todo produto novo ou para qualquer inovação física, é preciso materiais base, seja ou não produzido diretamente pela natureza. O que acontece é que, ao contrário do avanço da tecnologia, as matérias-primas nem sempre são recursos infinitos e duradouros.

O lado positivo disso tudo é que a ciência também não para. Pesquisadores buscam materiais e criações que possibilitem inovações tecnológicas. Está curioso pra conhecer alguns?

Veja alguns materiais que prometem inovações tecnológicas!

Grafeno: fino, transparente, flexível e altamente resistente

O grafeno é um dos raros materiais que conseguem unir, ao mesmo tempo, transparência, conduzir eletricidade e calor e ainda ser flexível. Ele será essencial na produção de produtos eletrônicos mais finos, mais rápidos e mais baratos do que os feito atualmente com o silício.

Como é um material resistente à água, um outro exemplo de aplicação é nas baterias de longa duração à prova d’água. Ele é extremante barato e certamente trará muitos benefícios à população em geral.

Já pensou poder carregar um carro elétrico em alguns poucos minutos ou o celular em segundos? E, além de tudo, o uso da tecnologia aplicado em eletrônicos, revelou que o grafeno interage muito bem com os seres vivos, dando ao material um potencial para ser utilizado na medicina, podendo, por exemplo, ser ligado ao nosso sistema nervoso.

Chip microfluídico: tecnologia no combate ao câncer

Como este microdispositivo é coberto de DNA não há risco de rejeição pelo corpo e, por ser muito pequeno, consegue circular através da corrente sanguínea. 

Ele consegue absorver células cancerígenas sem causar efeitos colaterais nos pacientes, armazenando estas células para que os cientistas possam estudá-las depois, sem a necessidade de biópsia.

Um dos componentes do chip é o grafeno. Estudos e testes já estão sendo realizados em seres humanos e acredita-se que neste ou no próximo ano ele já esteja pronto para comercialização.

Nanofibra: uma solução para a continuidade da água potável

A nanofibra é um material extremamente fino que funciona como um filtro para materiais pequenos de maneira muito eficaz: quem sabe não é a solução para nossos problemas com água potável?

Estudos mostram que as nanofibras poderão ser usadas para filtrar a água do mar. O problema dessa tecnologia é o alto custo de produção, que acaba inviabilizando o processo. Em tempos de seca, seria bom uma inovação dessa já funcionando, não é mesmo?

DNA como meio de armazenamento

A forma mais rápida dos meios de armazenamento populares hoje é o SSD, presente nos computadores mais modernos. Acontece que pesquisas já mostram que é possível guardar informação digital em DNA humano e a capacidade de recuperar os dados foi de 99,99% de precisão, extremamente similar aos SSDs e HDs que utilizamos atualmente.

O desenvolvimento e aperfeiçoamento desta tecnologia será capaz de fomentar a produção de equipamentos eletrônicos bem menores do que os que conhecemos hoje (e bem mais leves também).

D-metionina: redução de ruídos de forma mais eficaz

Os profissionais da construção civil e da indústria são os principais beneficiados com as vantagens dessa substância, que é capaz de proteger os ouvidos contra barulhos.

A D-metionina será manipulada em uma cápsula e basta tomá-la como um comprimido qualquer para manter a audição preservada mesmo após grandes períodos de exposição a ruídos. A sintetização dessa proteína concentrada já está em testes e tem apresentado resultados interessantes mesmo após 7 horas de exposição aos barulhos.

Memristor: aumentando a velocidade de comunicação

O memristor (memória + resistor) é um componente que tem sido estudado para ser aliado aos resistores, capacitores e indutores, nos chips utilizados hoje em dia. Esta união poderá trazer um aumento gigantesco na velocidade dos sistemas elétricos que conhecemos. Esta velocidade poderá ser aplicada na tecnologia, deixando mais barata e nos dando celulares, computadores e tablets mais eficientes energeticamente, além, é claro, de bem mais velozes.

Celulose nanocristalina

Com propriedades bem similares ao grafeno, este material vem da madeira. Através de um processamento da polpa da madeira, conseguem-se minúsculos cristais que lembram a neve.

É um material muito barato e já está sendo usada para a produção de telas flexíveis e componentes de computadores. Esta nanotecnologia também promete superar os plásticos e a partir do seu processamento em larga escala, poderão resultar em ótimos isolantes térmicos.

O que você achou destas novas tecnologias? Acredita que estes componentes chegarão em um futuro próximo? Conte qual desses materiais você está mais ansioso pela chegada.

[fbcomments url="" width="100%" count="off" num="3" countmsg="wonderful comments!"]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">

Artigos Relacionados